Postagens

Mostrando postagens com o rótulo ASRock

Xeontosh (Parte 2 – Montagem e configuração)

Imagem
Nesta postagem o Xeontosh começa a tomar forma. Todos os detalhes estão aqui!

Xeontosh (Parte 1 – Apresentação)

Imagem
Após muito lamentar os preços praticados pela Apple HuehueBR finalmente resolvi montar um hackintosh, que ainda por cima é baseado em um Xeon! Confira os componentes deste projeto! 😎

Unboxing: placa-mãe ASRock H61M-HG4

Imagem
Sim, ainda são produzidas placas-mãe soquete LGA 1155! Nesta postagem mostrarei um modelo de entrada da ASRock baseada no chipset Intel H61, que é fabricada na Zona Franca de Manaus.

A placa-mãe mais cara do mundo

Imagem
Macintosh 56K? Galaxy Fold? Nada disso! Após ver o valor dessa placa-mãe, certamente a vossa percepção de preços será profundamente e irremediavelmente alterada! 

SLI, aqui me tens de regresso

Imagem
Sim, eu voltei a ser um "feliz" usuário de um arranjo SLI. Chocante! 😱

Não sou o único

Imagem
Descobri que não sou o único com problemas com uma placa AM4 de primeira geração da ASRock. Esta postagem é uma atualização sobre a atual situação desta tão polêmica placa. Antes de prosseguir farei um resumo geral da novela desta placa, para que o estimado leitor não se sinta perdido. Tudo começou em maio de 2017 quando eu, feliz da vida, montei o meu primeiro kit Ryzen com a ASRock  Fatal1ty X370 Gaming K4 . Depois de pouco mais de um ano de uso, a placa passou a apresentar comportamentos bizarros : não salvava os ajustes do setup e mantinha alguns subsistemas ligados (como as ventoinhas) mesmo após ser desligada. Como não consegui resolver estes problemas, acabei comprando uma Asus Prime X470-Pro com a qual estou até hoje e encostei a ASRock. A placa ficou guardada por um ano sem ver a luz do dia, até que por curiosidade resolvi testá-la novamente e não é que ela, ao menos aparentemente, estava perfeita? Tanto que me encorajou a utilizá-la no projeto RGB Master .

ASRock capenga

Imagem
A placa-mãe ASRock Fatal1ty X370 Gaming K4 voltou a apresentar problema, que, porém, não impede o seu uso. Vamos ver até quando ela vai aguentar.

Projeto RGB Master (Parte 3 – A hora da verdade)

Imagem
Chegou o momento do PC RGB Master passar pela exaustiva maratona de benchmarks do blog! Será que os artefatos RGB realmente são capazes de turbinar o desempenho? Confira aqui!

Projeto RGB Master (Parte 2 – Montagem)

Imagem
Chegou a hora de montar essa belezinha! Confira aqui os principais “highlights” dessa tão agradável tarefa!

Projeto RGB Master (Parte 1 – Apresentação dos componentes)

Imagem
O RGB Master será um PC de uso secundário montado com as “sobras” dos meus últimos upgrades e certo componente que recentemente voltou à vida, além de algumas pontuais aquisições. Confira todos os detalhes aqui!

ASRock de volta à vida?

Imagem
No ano passado eu tive um problema com uma placa-mãe ASRock Fatal1ty X370 Gaming K4 que eu usava em conjunto com o Ryzen. Passado mais de um ano, resolvi testar novamente a ASRock e veja no que deu!

Boa ideia minha e da ASRock

Imagem
A ASRock anunciou uma placa-mãe AM4 compacta para a montagem em racks, permitindo desta forma a integração de pequenos servidores baseados no Ryzen. Isso me deu algumas ideias!

ASBombaRock

Imagem
Com pouco mais de um ano de uso, a minha placa-mãe ASRock Fatal1ty X370 Gaming K4 abriu o bico e foi para o lado negro da força.

Montando o processador AMD Ryzen 7 2700X

Imagem
Veja um passo a passo de como fazer um upgrade para os novos processadores Ryzen, utilizando uma placa-mãe AM4 de primeira geração.

O jeitinho taiwanês

Imagem
A ASRock usou de um expediente "criativo" para mitigar um bug do seu firmware. Antes de prosseguirmos, um pequeno histórico: lá nos idos de janeiro a ASRock liberou a versão 4.50 do seu firmware, atualizando o AGESA para uma versão compatível com os Ryzen 2000, incluindo os “G” com vídeo integrado. Porém este firmware trouxe consigo um bug que fazia desaparecer a função RAIDXpert, a qual permite gerenciar arranjos RAID no modo UEFI com o módulo CSM desativado, conforme noticiei aqui . Reportei o  bug  à ASRock pela página de suporte técnico. No início do mês passado foi lançada a versão 4.60, que traz um AGESA ainda mais atualizado (PinnaclePI-AM4_1.0.0.1a) e assim resolvi testar, imaginado que o problema do RAIDXpert tivesse sido resolvido. Mas ficou pior: ao desativar o CSM com as portas SATA configuradas no modo RAID a placa simplesmente não dá mais vídeo (trava no POST com o código de erro 0E), resolvendo apenas com um Clear CMOS. 😡 Puto da cara e a

Zen versus Zen+

Imagem
Com os primeiros reviews dos Ryzen 2000 publicados, decidi fazer uma breve comparação do modelo 2700X com o meu bravo 1700 em overclock para ver se vale a pena fazer o upgrade.

Uma boa sacada da ASRock: placa-mãe TR4 Micro ATX

Imagem
Com a placa-mãe X399M Taichi será possível montar servidores ou estações de trabalho compactas e poderosas, com o uso dos processadores Ryzen Threadripper. Quem diria que uma pequena placa-mãe Micro ATX poderia ostentar um imponente soquete TR4, o chipset AMD X399 e três slots PCI Express 3.0 x16? Confira as demais características técnicas: Alimentação do processador de 11 fases; Quatro slots de memória DDR4 de até 3600 MHz (os Threadripper possuem controlador de memória de quatro canais); Duas interfaces de rede Intel I211AT Gigabit Ethernet; Interface wireless Intel 802.11ac; Codec de áudio Realtek ALC1220; Suporte a SLI e CrossfireX; Três soquetes M.2 PCIE 3.0 x4; Oito portas SATA-600; Duas portas USB 3.1 Gen2 (tipo A e C); Dez portas USB 3.0 (também chamadas de USB 3.1 Gen1). Que plaquinha batuta, compacta mas ao mesmo tempo cheia de recursos. Se os Threadripper não custassem os dois rins e um olho aqui no HuehueBr seria uma opção muito interessante

Os Zen+ estão chegando! (Atualizado)

Imagem
Nova safra de processadores AMD está no forno e deverá ser lançada do final do primeiro semestre. A melhor notícia é que as placas AM4 atuais realmente serão compatíveis. E sim, estou de volta! 😄 A imagem de abertura desta postagem foi tirada da página de suporte da minha placa-mãe ASRock Fatal1ty X370 Gaming K4 : o novo firmware compatível com os Zen+ já está disponível! Conforme as primeiras informações os Zen+ terão alguns aperfeiçoamentos: litografia de 12 nm (os atuais são 14 nm), maiores frequências de operação (será que terão mais margem para overclock?) e a tecnologia Precision Boost 2.0. Também há rumores de que o IPC será algo em torno dos 15% maior. Mas sem dúvida a melhor notícia é a compatibilidade com as placas AM4 atuais, conforme eu já havia antecipado no início de dezembro . Ao contrário do que ocorreu com a última geração da Intel, no caso dos AMD será possível mesclar processadores e placas-mãe de primeira e segunda gerações. Muito bom. Atualização 21

Os Intel Coffee Lake não serão compatíveis com as placas LGA 1151 atuais

Imagem
Conforme informações da ASRock, os novos processadores da Intel não serão compatíveis com as placas LGA 1151 atuais apesar de usarem a mesma interface mecânica e elétrica. Sim, a Intel fez de novo. Lendo este artigo da Eurogamer  sobre a oitava geração dos processadores Intel, o que mais chamou-me a atenção foi o último parágrafo, onde eles afirmam que conforme informações da ASRock estes processadores não serão compatíveis com as placas LGA 1151 atuais. Bem, sem querer dar uma de Walter Mercado, eu já havia cantado a pedra : "Realmente surpreende o fato de o mesmo soquete ser mantido em três gerações consecutivas de processadores Intel, já que a empresa tem o histórico de trocar de soquete como os seus executivos trocam de roupa, mas antes de comemorar resta saber se os chipsets atuais serão compatíveis. Utilizar a mesma interface mecânica e elétrica não quer dizer muita coisa." RIGO, Michael. Curitiba, 18 de julho de 2017. Não me considero o pica das ga

AGESA 1.0.0.6: nenhuma melhoria prática

Imagem
Finalmente atualizei o firmware da placa mãe ASRock Fatal1ty X370 Gaming K4 para a novíssima versão do bootstrap da AMD. Porém nada mudou. Desde que a AMD lançou a versão 1.0.0.6 do AGESA (AMD Generic Encapsulated Software Architecture) muito se dizia Web afora que esta versão trazia diversas melhorias para os sistemas Ryzen, principalmente no que tange à compatibilidade e capacidade de overclock dos módulos de memória. Assim decidi proceder com a atualização e baixei o firmware na versão 3.00 do site da ASRock, que traz o AGESA 1.0.0.6a. O processo de atualização é bastante simples: basta copiar a imagem do firmware em um pendrive formatado em FAT ou FAT32 e acionar a opção “Instant Flash” na aba Tool do Setup.  Porém esta nova versão do firmware com o AGESA atualizado não me proporcionou um mísero MHz a mais tanto no overclock do processador quanto das memórias. Sobre estas, já vi em alguns reviews que os módulos Kingston HyperX Fury DDR4-2133 conseguem atingir