Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2017

Intel anuncia os processadores Xeon W

Imagem
Nova linha de processadores para Workstations da Intel tem modelos com até 18 núcleos. O alvo é o Ryzen ThreadRipper.



Realmente os AMD Ryzen chegaram abalando e fizeram a Intel sair da letargia. Enquanto que os Core X procuram competir com os Ryzen 7 e os Xeon SP miram os Epyc, os novos Xeon W são voltados para estações de trabalho topo de linha e assim concorrem com os Ryzen ThreadRipper. No line-up da Intel os Xeon W substituirão os Xeon E5 e E7.
Haverão modelos a partir de 4 núcleos e 8 threads (algo sem muito sentido, diga-se de passagem) a até 18 núcleos e 36 threads, todos baseados na plataforma LGA 2066 com controladora de memória DDR4 de quatro canais e 48 linhas PCI Express. A lista completa de modelos pode ser vista abaixo:

O problema deverá ser o precinho: como podemos ver na tabela o modelo W-2155 com 10 núcleos e 20 threads custará nada menos do que assombrosos 1440 trumps, bem acima do Ryzen ThreadRipper 1950X que ostenta 16 núcleos e 32 threads e custa 999 verdinhas. I…

A nova montagem do Intel Core i7 3770K

Imagem
Como todos devem saber, recentemente o meu PC principal foi atualizado para um AMD Ryzen 7 1700. Porém o veterano 3770K não será abandonado e continuará tendo importância no RetroLAB.

Vazam supostos benchmarks do Core i3 8350K

Imagem
Está correndo pela Web os supostos resultados do Core i3 8350K Coffee Lake no CPU-Z. Se for mesmo verdade, então os novos Core i3 realmente vão chegar com força.

Esta é a tela do módulo de benchmark do CPU-Z que está circulando por aí, a qual compara o desempenho do Core i3 8350K com o i7 7700K:

De cara pode-se perceber que a arquitetura Coffee Lake traz um leve ganho no IPC em relação à Kaby Lake, tendo em vista o resultado em single thread (503 X 492 pontos) – também deve ser considerado que o 7700K roda a 4,2 GHz com frequência boost de 4,5 GHz, enquanto que o 8350K permanece nos 4 GHz.
Já em muti thread o 7700K fica à frente por suportar oito threads, mas o 8350K segura-se bem e não fica tão longe, com uma diferença de 33% (1982 X 2648 pontos). Para efeito de comparação, o meu Ryzen 7 1700 @ 4 GHz faz 449 pontos no single e 4909 no multi, onde as suas dezesseis threads fazem a diferença. Mas na performance por núcleo realmente a Intel ainda está um pouco à frente, mas não muito.

Unboxing e primeiras impressões: SSD Samsung 960 Evo de 250 GB

Imagem
O Samsung 960 Evo utiliza o padrão NVMe com formato M.2 e conexão PCI Express 3.0 x4, sendo portanto um SSD topo de linha. Veja aqui as minhas impressões e testes de desempenho.

O Windows 10 Pro perderá o sistema de arquivos ReFS

Imagem
Opção de criar volumes com o ReFS será removida da edição Pro a partir do Fall Creators Update, ficando restrita às edições Enterprise e a nova Pro for Workstations.



O veteraníssimo NTFS, surgido no Windows NT 3.1 em 1993, é um sistema de arquivos bastante robusto e amplamente utilizado, porém já começa a mostrar os sinais da idade principalmente na falta de recursos avançados para a correção de erros.
A primeira iniciativa para substituir o NTFS foi o WinFS, anunciado no início da década passada como uma parte integrante do Windows Vista, o qual porém tornou-se um dos maiores vaporwares de todos os tempos, em um episódio simplesmente vergonhoso da Microsoft.
O tempo passou e a companhia de Redmond surgiu com um outro candidato a substituir o vovô NTFS: o ReFS (Resilient File System, ou Sistema de Arquivos Resiliente), que traz recursos avançados de segurança e correção de erros, tais como um sistema de checksum (soma de verificação) integrado e o Storage Space, que permite automatic…

Sobre a função de detecção do AdBlock

Imagem
Implantei um script que detecta se o AdBlock está ativado, exibindo uma mensagem em caso positivo. Como os anúncios publicitários são a única fonte de renda do blog, conto com a compreensão dos nobres leitores.


Tenho que admitir: ultimamente anda difícil manter o blog atualizado, ainda mais com a riqueza de detalhes que sempre marcou este espaço. Estou com um grande projeto de longo prazo no meu trabalho e quando chego em casa (com a cabeça cansada) preciso que dar atenção à minha família, assim o ato de produzir as pautas do blog fica dependente de um tempo cada vez mais escasso para mim.
Talvez poucos imaginam, mas uma postagem (principalmente as que envolvem laboratório) que pode parecer simples muitas vezes é o resultado de semanas de trabalho, pesquisa e obtenção de componentes - este último é mais um investimento que preciso fazer, além do meu tempo livre. Foi-se a época em que hardware antigo tinha preço de banana.

Como os anúncios do AdSense são a única fonte de receita do bl…

Como gerenciar arranjos RAID no modo UEFI em placas-mãe AM4

Imagem
No firmware das placas-mãe AM4 há uma opção para gerenciar arranjos RAID diretamente no modo UEFI. Confira aqui como acessá-la.

Afinal de contas, a Nvidia realmente sabota as suas placas antigas?

Imagem
Há anos correm boatos em fóruns e afins de que a Nvidia supostamente sabotaria as GPUs antigas nas novas versões dos seus drivers, como uma forma de forçar upgrades. Será que isto é verdade?

O canal Linus Tech Tips no YouTube teve a paciência de testar as principais GPUs da Nvidia lançadas nos últimos cinco anos, partindo da GeForce GTX 680 até a 1080 Ti. Foram utilizados os drivers disponíveis no lançamento de cada GPU e a versão mais atual da Nvidia na época dos testes, em conjunto com os jogos The Witcher 3, Metro: Last Light e BioShock Infinite.

Os resultados mostraram que as placas melhoraram sutilmente com a versão mais recente do driver, porém o mais importante é que não houveram perdas. E antes que comecem os mimimis de que o Linus testou com “apenas” três jogos que supostamente seriam mais otimizados para GPUs Nvidia, pensem na quantidade de combinações que ele teria que testar se incluísse mais títulos. Pimenta no dos outros é refresco.
Enfim, pode até ser que a AMD dispend…

Samsung anuncia o SSD portátil T5

Imagem
Disponível nas capacidades de 250 GB, 500 GB, 1 TB e 2 TB, o T5 é compatível com PCs Windows, Macs e dispositivos Android. O problema, como sempre, deverá ser o custo Brasil.

As características técnicas do T5 são as seguintes:
Interface USB 3.1 com adaptadores para os tipos C e A;Possui retrocompatibilidade com os padrões USB 3.0 e 2.0;Taxa de transferência sequencial máxima de 540 MB/s;Suporte ao padrão de criptografia AES de 256 bits;Oficialmente suporta o Windows a partir do 7, o Mac OS X a partir do 10.9 e o Android 4.4 ou superior.

Sem dúvida o Samsung T5 é um produto muito interessante, pois entrega a performance de um SSD SATA topo de linha em um produto portátil. A retrocompatibilidade com o USB 3.0 e 2.0 é outro destaque, pois são poucos os PCs que contam com o USB 3.1.
Nos Estados Unidos a versão de 250 GB parte dos US$ 129,99. Aqui não seria um absurdo estimar que chegue beirando os mil reais. 😣
Fonte: Samsung.

Nvidia Volta: apenas no ano que vem

Imagem
Anunciada em junho deste ano, a nova arquitetura de GPUs da Nvidia somente estará disponível aos jogadores no ano que vem. Motivo? O alto custo de produção.



Conforme o presidente da companhia Jensen Huang, no momento as GPUs com a arquitetura Volta ainda são bastante caras para serem produzidas ao mercado de consumo (o custo de produção passaria dos mil dólares por chip). Atualmente uma única placa com esta arquitetura está disponível: é a Tesla V100, voltada para aplicações científicas e datacenters. Ainda segundo Huang, as GPUs Pascal continuam a sair-se bem no mercado de jogos e tem uma longa vida útil pela frente.


Infelizmente não há como contestar as palavras do presidente da Nvidia. Os primeiros reviews mostraram que as AMD Radeon RX Vega 64 ficam pau a pau com as GeForce GTX 1080, porém consumindo em média 100 W a mais. Em outras palavras, entregam uma performance de 1080 com o consumo elétrico de uma 1080 Ti. 
Já as Vega 56 ficam no mesmo nível das GTX 1070 (dependendo do jog…

Os Intel Coffee Lake não serão compatíveis com as placas LGA 1151 atuais

Imagem
Conforme informações da ASRock, os novos processadores da Intel não serão compatíveis com as placas LGA 1151 atuais apesar de usarem a mesma interface mecânica e elétrica. Sim, a Intel fez de novo.

Lendo este artigo da Eurogamer sobre a oitava geração dos processadores Intel, o que mais chamou-me a atenção foi o último parágrafo, onde eles afirmam que conforme informações da ASRock estes processadores não serão compatíveis com as placas LGA 1151 atuais. Bem, sem querer dar uma de Walter Mercado, eu já havia cantado a pedra:
"Realmente surpreende o fato de o mesmo soquete ser mantido em três gerações consecutivas de processadores Intel, já que a empresa tem o histórico de trocar de soquete como os seus executivos trocam de roupa, mas antes de comemorar resta saber se os chipsets atuais serão compatíveis. Utilizar a mesma interface mecânica e elétrica não quer dizer muita coisa."
RIGO, Michael. Curitiba, 18 de julho de 2017.
Não me considero o pica das galáxias por ter afirmad…

Rebuild #2: o meu PC dos sonhos em 1998 (Parte 1 - Apresentação e Montagem)

Imagem
O bravo PC 80486 DX4 de 100 MHz mostrado na série Rebuild #1 ficou comigo até 1997, quando novas aplicações e jogos mostraram-se exigentes demais para o pobre 486. Esta série de postagens mostrará a segunda configuração que tive, com algumas poucas licenças poéticas.


Esqueça tudo o que você aprendeu sobre senhas seguras

Imagem
Sabe aquelas velhas recomendações sobre misturar caracteres especiais, números e letras maiúsculas e minúsculas para criar as suas senhas? Elas não passavam de um estudo mal feito, pelo qual o seu criador pede desculpas publicamente.

A gênese desta “prática de segurança”, que muitos tinham até recentemente como um mantra sagrado, está em um estudo publicado pelo órgão do governo americano NIST (National Institute of Standards and Technology) em 2003. Tal estudo, chamado de “Special Publication 800-63”, foi feito pelo funcionário público Bill Burr, que não era lá muito versado em segurança de dados.
Passados 14 anos da “Publicação Especial 800-63”, o seu autor veio a público pedir desculpas e afirmar que tal prática para a criação de senhas não traz nenhum benefício, ou seja, não as torna mais seguras. Para piorar, Burr admitiu que o seu estudo foi baseado em outro feito no início dos anos 1980, ou seja, quando as ameaças de hoje e mesmo a Web como a conhecemos tinham ares de ficção c…

Vazam as especificações dos Intel Core i3 Coffee Lake

Imagem
Cada vez mais detalhes sobre a oitava geração dos processadores Intel vão surgindo. Agora foram as especificações dos i3 que vazaram, com um gostinho de "eu sabia!".

Na postagem sobre os Core i5 e i7 Coffee Lake, eu havia cantado a pedra de que os i3 nesta geração finalmente seriam agraciados com quatro núcleos físicos. Pois bem, o site Guru3D antecipou as características de dois modelos dos i3 de oitava geração. Bingo!
Core i3 8350K: 4 núcleos/4 threads, frequência base de 4 GHz e TDP de 91 W;Core i3 8100: 4/4, 3,6 GHz e 65W.
Não foi possível obter mais detalhes como a quantidade de cache.
Sem dúvida o grande destaque é o modelo "K", onde também pela primeira vez um Core i3 terá o multiplicador destravado, algo que somente está acontecendo devido ao efeito Ryzen 3 sem sobra de dúvida. Tem coisas que somente uma boa concorrência pode fazer.

Unboxing e primeiras impressões: Fonte de alimentação Corsair CX750

Imagem
Dentre as fontes de maior potência, a Corsair CX750 sem dúvida é uma das mais populares. Confira aqui se, apesar da sua fama, ela de fato é uma boa opção de compra.

Além dos 750 W nominais, a CX750 possui a certificação 80 Plus Bronze, a qual prevê que a fonte deve ter uma eficiência mínima de 85% quando estiver fornecendo 50% da sua capacidade nominal, e 82% a plena carga com uma temperatura ambiente de 23 ºC. A eficiência de uma fonte é a quantidade de energia elétrica que ela gasta para o próprio funcionamento.
O relatório dos testes da certificação pode ser visto aqui. A CX750 obteve 86,68% de eficiência a metade da carga e 84,45% de eficiência média, sem dúvida bons números.

A Corsair CX750 oferece um plugue de alimentação ATX de 20/24 pinos, um ATX 12 V de 4/8 pinos, quatro PCIE de 6/8 pinos, oito SATA, seis de periféricos (também conhecidos como “molex”) e dois para unidades de disquete de 3,5”.


Até mesmo por se tratar de um modelo básico, a CX750 não possui um sistema de cabo…

Samsung lança o Leader 8, celular flip com ótimo hardware

Imagem
Sim, os aparelhos com tela flip estão de volta e em grande estilo! Conheça o Leader 8, novo aparelho da Samsung com tela dobrável e teclado físico. Só digo uma coisa: eu quero!

As especificações do Leader 8 são topo de linha:
SoC Qualcomm Snapdragon 821 CPU Kryo (64 bits, quatro núcleos, frequência de até 2,4 GHz e litografia de 14 nm);GPU Adreno 530 (DirectX 11.2, Vulkan 1.0, OpenGL 3.2);4 GB de RAM;Armazenamento interno de 64 GB com suporte a cartões microSD;Duas telas de 4,2" Full HD;Câmera traseira de 12 MP e frontal de 5 MP;Bateria de 2300 mAh;Leitor de digitais;Android 6.1.

Podem me chamar de velho, anacrônico, saudosista e o que for, mas prefiro mil vezes digitar em um teclado físico. Sem falar que o estilo flip traz de volta o charme dos aparelhos pré-iPhone da década passada - depois do lançamento da Apple, todos os celulares ficaram iguais e sem graça.
O único problema é que o Leader 8 ao menos inicialmente será lançado apenas na China. Pô Samsung, bem que vocês poderia…

Unboxing e primeiras impressões: Mouse Redragon Pegasus

Imagem
O Pegasus é um mouse no estilo “gamer” que traz vários recursos a um custo baixo. Será que é uma boa opção de compra?

A Apple matou o seu melhor produto da era moderna

Imagem
Depois do Apple II e do primeiro Macintosh, o iPod Shuffle é a melhor coisa que a Apple já fez. Porém o simpático reprodutor de áudio foi oficialmente descontinuado nesta semana, para a tristeza de muitos.

O singelo iPod Shuffle na cor azul é o meu companheiro diário desde 2011 e já enfrentou de tudo: altas temperaturas, chuva e muitas quedas. Mas sempre continua lá, firme e forte para me entreter durante a minha caminhada ou corrida solitária.
Posso dizer sem o menor receio de exagerar: o Shuffle reúne tudo o que é de mais desejável em um reprodutor de áudio portátil: compacto, leve, resistente, ótima autonomia da bateria, espaço de armazenamento razoável e principalmente uma qualidade de áudio soberba. A função que lê o nome da música em execução é outro destaque e funciona muito bem.

Nestes seis anos a única “manutenção” que tive com ele foi a troca dos fones de ouvido (estou no terceiro), o que é normal dado o uso severo do aparelho. Em apenas um ponto ele realmente não brilha, q…

Estariam os arranjos multi GPU fadados ao desaparecimento?

Imagem
Durante o anúncio das novas Radeon Vega a AMD mal tocou no assunto Crossfire. Estariam os arranjos multi GPU no caminho para a extinção? Confira aqui os meus pitacos sobre o assunto.

O silêncio da AMD sobre o Crossfire durante o evento de lançamento das Radeon RX Vega não passou despercebido. Procurada pelo site Gamers Nexus, a AMD afirmou que, embora irá continuar a suportar oficialmente a tecnologia Crossfire (de fato as Vega são compatíveis), dedicará menos recursos e tempo para o aprimoramento da tecnologia. O motivo? A falta de interesse das desenvolvedoras de jogos em arranjos multi GPU.
Infelizmente não há como dizer que a AMD está errada: mais uma vez a evolução do hardware é limitada pela preguiça das empresas desenvolvedoras de software. Cito como exemplo máximo disto o jogo Mortal Kombat XL, que claramente é um título portado nas coxas das versões para os fracos consoles e é perceptivelmente incapaz de usar mais de uma GPU e ultrapassar os 60 FPS. A maioria dos outros títu…

AGESA 1.0.0.6: nenhuma melhoria prática

Imagem
Finalmente atualizei o firmware da placa mãe ASRock Fatal1ty X370 Gaming K4 para a novíssima versão do bootstrap da AMD. Porém nada mudou.



Desde que a AMD lançou a versão 1.0.0.6 do AGESA (AMD Generic Encapsulated Software Architecture) muito se dizia Web afora que esta versão trazia diversas melhorias para os sistemas Ryzen, principalmente no que tange à compatibilidade e capacidade de overclock dos módulos de memória.
Assim decidi proceder com a atualização e baixei o firmware na versão 3.00 do site da ASRock, que traz o AGESA 1.0.0.6a. O processo de atualização é bastante simples: basta copiar a imagem do firmware em um pendrive formatado em FAT ou FAT32 e acionar a opção “Instant Flash” na aba Tool do Setup. 

Porém esta nova versão do firmware com o AGESA atualizado não me proporcionou um mísero MHz a mais tanto no overclock do processador quanto das memórias. Sobre estas, já vi em alguns reviews que os módulos Kingston HyperX Fury DDR4-2133 conseguem atingir 3000 MHz sem grandes…