Intel Core i5 7600K: resultados decepcionantes

Como infelizmente não tenho o privilégio de receber hardware para testes e tampouco dinheiro para comprar tais componentes, apenas resta-me recorrer a testes feitos em outros laboratórios para tecer análises. Pois bem, nesta semana o Clube do Hardware do grande Gabriel Torres publicou um teste com o processador Core i5 7600K e decidi utilizar estes resultados para compará-lo com as velharias que tenho aqui, em algumas das suítes em comum. Posso adiantar que o moderno 7600K passou vergonha em várias situações. Confira!



i5 7600K vs i7 3770K @ 4,7 GHz

Os resultados com o 3770K foram extraídos do teste comparativo que fiz com os diferentes tipos de RAM, onde consta também a configuração completa do meu sistema. A configuração do 7600K pode ser vista aqui.

Dos testes em comum, o 7600K levou fumo em quase todos:


As exceções são o PCMark Work e o GTA V. Enquanto que no primeiro a diferença ficou muito pouco acima da margem de 3% que aplico nos meus testes, no GTA V cabem alguns esclarecimentos: o 7600K contou com uma poderosa GeForce GTX 1080 e efetuou o teste em 1920 X 1080, enquanto que o meu sistema conta com o trio de GTX 760 e rodou o teste a 2560 X 1440.

Como pode um processador quatro gerações mais recente tomar um espanco destes? Ah, mas o seu é um i7 com HT e está em overclock! Calma meu jovem padawan, as respostas virão com o tempo.

i5 7600K vs i5 2500K @ 4,8 GHz

Okay, agora será i5 contra i5! Retirei os resultados do 2500K do ensaio com a Radeon HD 5970, além de outros testes que estavam guardados aqui. Confira:


Aqui o 2500K perdeu no Cinebench e venceu no PCMark 8 Home pela mesma diferença, enquanto que no Work há um empate técnico (por algum motivo desconhecido o PCMark Creative não rodou de jeito nenhum no 2500K em conjunto com a HD 5970). Já o GTA V é covardia visto a diferença das placas de vídeo aplicadas e foi deixado na lista apenas por curiosidade.

Quanto aos 3DMark, porém, no 7600K foi utilizado o seu chip gráfico integrado (Intel HD 630) e podemos perceber que até hoje as soluções gráficas da Intel são capengas: o HD 630 tomou um pau épico de uma placa de vídeo lançada em 2009!

Como pode um processador cinco gerações mais recente ter um desempenho apenas equivalente? Ah, mas o 2500K está em overclock! Isto nos leva ao próximo tópico.

Overclock

Nos ensaios feitos pelo Clube do Hardware foi possível subir o 7600K com estabilidade no máximo até 4,8 GHz, o que é um resultado muito modesto se considerarmos que este processador tem uma frequência base de 3,8 GHz e turbo de 4,2 GHz.

Quanto aos velhos guerreiros 2500K e 3770K, devo confessar que os overclocks dos mesmos foram obtidos após um certo estudo e alguma paciência. Porém posso dizer com 100% de certeza que qualquer Sandy Bridge e Ivy Bridge da série “K” consegue atingir pelo menos 4,5 GHz muito facilmente e com qualquer cooler de cem temers (só não vale usar o cooler box que é uma porcaria). É só ver o exemplo do 2500K, onde um simples Cooler Master Hyper TX3 Evo consegue manter a temperatura sob controle mesmo a 4,8 GHz. 

E rodando a 4,5 GHz estes clássicos processadores ainda conseguem competir em equilíbrio com o 7600K.

Conclusões

Para finalizar, é claro que este “comparativo” não tem uma metodologia 100% nos padrões científicos até mesmo por eu não ter reproduzido todos os testes feitos pelo Clube do Hardware. Mas os seus resultados mostram, sem dúvida, o que a falta de competitividade em um mercado é capaz de fazer: a Intel pôde se dar ao luxo de lançar profusões de gerações e soquetes apenas para manter azeitada a máquina da obsolescência programada.

O ensaio mostra também que quem tem um PC com os processadores Sandy Bridge, Ivy Bridge e Haswell estará bem servido por muito tempo ainda. Logicamente, para quem vai montar um PC do zero faz muito mais sentido comprar a plataforma mais recente (a não ser que encontre um conjunto usado em bom estado e por um ótimo preço), muito embora (na data em que este artigo foi escrito) eu recomendo fortemente aguardar pelos AMD Ryzen.

Falando dos novos processadores da AMD, eles são o sopro de esperança para acabar com o marasmo do mercado de CPUs x86. Mesmo antes de oficialmente lançados eles já estão incomodando a gigante adormecida Intel, fato comprovado por produtos como o Pentium HT e mesmo notícias que dão conta de que o lançamento da oitava geração dos processadores Intel será antecipada para o fim deste ano.

Veja também:

Comentários

  1. Vamos ver se finalmente o AMD Ryzen faz a Intel se mexer. O bom disso tudo é que o meu 2700k não parece tão ultrapassado mesmo sendo tão velhinho. Esse "freio" pra quem faz o básico (internet, multimídia, jogos) foi ótimo hehehehe

    ResponderExcluir
  2. so no teu teste mesmo né seu manipulador fanboy do kct. i5 7600k maioria dos jogos esta empatando ou dando pau nos i7. sai dai fanboy lixo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deixe-me adivinhar: você tem um 7600K, não é?

      Excluir
    2. claro que tenho o bixo é foda. sai pra la fanboy da amd

      Excluir

Postar um comentário