Teste mostra que não há diferenças entre os Intel Broadwell e Haswell

Noticiando o lançamento da nova família de processadores Intel Skylake, às vezes tenho a sensação de que pego bastante no pé da empresa principalmente pela falta de ganhos de desempenho nas novas gerações dos seus processadores, e também pela sua dança dos soquetes e a trollada de um pino. Porém esta sensação dura algo em torno de “pentelhésimos” de segundo e logo fico com a convicção de que as críticas não são infundadas, principalmente depois de ver testes como este feito pelo Clube do Hardware onde são comparados os processaodores Core i7 5775C e 4770K. 

O 5775C faz parte da arquitetura Broadwell, sucessora direta dos Haswell, que com o lançamento da nova arquitetura Skylake cairá muito mais cedo do que se esperava no ostracismo, em mais uma demonstração da voracidade da obsolescência programada. O teste do CDH comparou os dois processadores (além do AMD FX-9590 que ficou bem para trás) equipados com uma placa de vídeo intermediária GeForce GTX 970 com 4 GB de VRAM.

Pois bem, tive a curiosidade de calcular a média de diferença entre o 5775C e o 4770K nos diversos ensaios realizados, a qual ficou em irrisórios 2,55%, abaixo da margem de 3% que é adotada na maior parte dos comparativos - em 11 dos 17 ensaios a diferença ficou perto do 0%! Os maiores ganhos foram de 15% (GTA V) e 10% (3DMark Cloud Gate). Foi somente na comparação direta das GPUs integradas nos dois processadores que o Broadwell mostrou uma superioridade digna, de 47% em média, o que em minha modesta opinião não quer dizer muita coisa por três motivos: 

  • Quem compra um processador caro destes muito provavelmente vai utilizá-lo com uma placa de vídeo dedicada;
  • Esta vantagem é irrisória se observarmos que a GPU integrada do 5775C continua sendo insuficiente para os jogos mais recentes;
  • Para uso na área de trabalho do Windows e para ver vídeos no YouTube, mesmo GPUs integradas de várias gerações passadas já são mais do que suficientes.

Este teste confirmou novamente que quem tem um Sandy Bridge (lançado no início de 2011 e que em relação aos Skylake são de quatro gerações atrás - logicamente que o mesmo raciocínio também é válido para os Ivy Bridge e Haswell) em conjunto com uma GPU dedicada ainda está muito bem servido. Neste sentido, os Core i5 2500K e i7 2600K são alguns dos processadores de melhor custo x benefício e maior longevidade de todos os tempos, sem falar que com um leve overclock são capazes de atingir o mesmo nível de desempenho.

Arquitetura Intel Broadwell: resultados decepcionantes

Comentários