Unboxing e primeiras impressões: SSD Samsung 960 Evo de 250 GB

O Samsung 960 Evo utiliza o padrão NVMe com formato M.2 e conexão PCI Express 3.0 x4, sendo portanto um SSD topo de linha. Veja aqui as minhas impressões e testes de desempenho.


Eis a embalagem do Samsung 960 Evo:



O 960 Evo conta com chips de memória Flash NAND TLC (de três níveis, o que está se tornando padrão) com chip controlador Samsung Polaris. Segundo a empresa, esta unidade sustenta até 3200 MB/s em leitura sequencial e 1500 MB/s em escrita sequencial.


A unidade tem uma durabilidade garantida pela Samsung de 100 TB de dados gravados. É muita coisa! Se todo o dia eu reinstalar o Windows 10 que grava cerca de 15 GB de dados, eu levaria nada menos do que 6826 dias ou mais de 18 anos para atingir o limite. Wow!


A instalação é simples: basta encaixá-lo no slot M.2 e prendê-lo com o pequeno parafuso que geralmente acompanha as placas-mãe. Apenas tome o cuidado de utilizar um slot M.2 com conexão PCIE 3.0 x4, visto que algumas placas também possuem slots M.2 com conexão PCIE 2.0, como é o caso da ASRock Fatal1ty X370 Gaming K4 que tenho.


O 960 Evo deverá ser detectado como um SSD PCIE:


Testes de desempenho

Os testes foram efetuados com a seguinte configuração:

Os resultados serão comparados com um arranjo RAID 0 com dois SSDs AMD Radeon R3 de 240 GB e com outro arranjo RAID 0 com dois discos rígidos Seagate Barracuda de 2 TB (7200 RPM e 64 MB de cache).

CrystalDiskMark

No índice Seq Q32T1 (que usa blocos de 128 KB com múltiplas threads) os resultados ficaram bem próximos dos declarados pela Samsung:


Os AMD Radeon R3 foram valentes, mas é uma batalha perdida. Apenas no índice de escrita de blocos de 4 KB é que o arranjo RAID 0 teve uma leve vantagem.


A diferença para os discos mecânicos é brutal:


AS SSD

Neste benchmark os índices obtidos pelo 960 Evo ficaram mais distantes dos anunciados pela Samsung, principalmente o de leitura sequencial.


Mas mesmo assim ficaram bem acima dos Radeon R3, inclusive no tempo de acesso. Curiosamente a vantagem do RAID 0 na escrita de blocos de 4 KB manteve-se também aqui.


Novamente há um abismo para os discos mecânicos:


PCMark 8

No teste Storage o Samsung 960 Evo obteve 4998 pontos, com 366 MB/s de média nas simulações:


Aqui o RAID 0 com os Radeon R3 obteve quase a mesma pontuação, porém com uma taxa de transferência média menor:


Boot do Windows 10 com o Samsung 960 Evo

Bem, uma imagem pode valer mais do que mil palavras. O modo UEFI está habilitado.


Conclusão

Sem dúvida os SSDs NVMe com conectividade PCI Express são o estado da arte atual da tecnologia de armazenamento. Além da limitação de banda de 600 MB/s, o protocolo AHCI das portas SATA é outro fator limitante da performance para os SSDs, visto que foi implementado tendo em vista os discos mecânicos – o NVMe foi desenvolvido desde o início voltado a unidades de armazenamento de estado sólido.

Utilizar um PC equipado com um SSD como o Samsung 960 Evo é uma experiência fantástica, dada a grande responsividade do sistema. Posso dizer que, sem o menor receio de exagerar, a surpresa que o 960 Evo me proporcionou é comparável à que tive quando comprei o meu primeiro SSD lá nos idos de 2011. Ficou na minha mente aquela velha pergunta: como pude viver sem isto?

Comentários

  1. Pena q é um investimento considerável...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente nas lojas tradicionais brasileiras ele é caríssimo, isto quando é encontrado. O meu eu obtive por "meios alternativos".

      Excluir

Postar um comentário