Não sou o único

Descobri que não sou o único com problemas com uma placa AM4 de primeira geração da ASRock. Esta postagem é uma atualização sobre a atual situação desta tão polêmica placa.



Antes de prosseguir farei um resumo geral da novela desta placa, para que o estimado leitor não se sinta perdido. Tudo começou em maio de 2017 quando eu, feliz da vida, montei o meu primeiro kit Ryzen com a ASRock  Fatal1ty X370 Gaming K4.

Depois de pouco mais de um ano de uso, a placa passou a apresentar comportamentos bizarros: não salvava os ajustes do setup e mantinha alguns subsistemas ligados (como as ventoinhas) mesmo após ser desligada. Como não consegui resolver estes problemas, acabei comprando uma Asus Prime X470-Pro com a qual estou até hoje e encostei a ASRock.

A placa ficou guardada por um ano sem ver a luz do dia, até que por curiosidade resolvi testá-la novamente e não é que ela, ao menos aparentemente, estava perfeita? Tanto que me encorajou a utilizá-la no projeto RGB Master.

Porém, algum tempo depois, ela voltou a não mais salvar os ajustes do setup ao ser desligada da energia elétrica. Bem, eu posso ter muitos defeitos, mas também tenho uma grande virtude, a perseverança. Resolvi ir à fundo na questão e me dei conta de algo crucial: nos testes onde a ASRock funcionou perfeitamente foi usado o Ryzen 7 1700, enquanto que atualmente ela está com o 2700X.

Inegavelmente a placa é linda

Com esta pista pude direcionar melhor as minhas pesquisas. Descobri que há muitos relatos de donos de placas ASRock AM4 de primeira geração (produzidas em 2017) com os mesmos problemas em conjunto com os Ryzen 2000 e 3000, e que mesmo as últimas versões do firmware das placas não resolvem os problemas.

Claro que eu não posso cravar isto como uma verdade absoluta dada a baixa amostragem, mas suspeito que nestas primeiras placas deve faltar algum recurso de hardware para funcionarem 100% com os Zen+ e Zen 2. Como foram projetadas no comecinho da era Ryzen, o fabricante não tinha bola de cristal para prever todos os requerimentos lógicos e elétricos dos vindouros processadores. Merdas acontecem. 💩

Uma vez que tudo indica não se tratar de uma anomalia da minha placa especificamente, vou mantê-la em operação. Em breve o RGB Master terá uma "velha nova" atualização muito legal. Aguardem! 😃

Comentários

  1. Bah, mas que azar isso, é como ter uma Ferrari que não aceita gasolina aditivada. Da parte boa da história com essas placas acabei de ler a notícia de que a série 300 da Asrock acabou de receber o AGESA 1.0.0.4B: https://www.guru3d.com/news-story/asrock-releases-series-300-chipset-mainboard-get-agesa-1-4-patch-b-firmware.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, bem isso!

      Mas para ter certeza, vou testar novamente com um Ryzen de primeira geração assim que tiver um tempinho.

      Excluir

Postar um comentário