Benchmarks do Ryzen 7 2700X na Asus Prime X470-Pro (e desconstruindo alguns mitos)

Como prometido e antes tarde do que mais tarde ainda, eis os benchmarks do AMD Ryzen 7 2700X montado na placa-mãe Asus Prime X470-Pro em overclock. Aproveito também para abordar alguns mitos que cercam os Ryzen, principalmente os modelos de segunda geração.


Foram com estes ajustes que os testes foram conduzidos (mais detalhes estão nesta postagem): o processador está rodando a 4,3 GHz em todos os núcleos e a RAM está em 3066 MHz.



A comparação será feita com o último teste do Ryzen 7 2700X efetuado na ASRock Fatl1ty X370 antes da mesma bater as botas. Nesta placa o processador rodava a 4,22 GHz com a memória configurada em 2800 MHz, conforme pode ser visto em detalhes aqui.

O restante do PC é o mesmo, a saber:


3DMark Fire Strike

Não houveram variações relevantes tanto no índice geral quanto no de física.


3DMark Time Spy

O mesmo quadro repetiu-se aqui:


Cinebench R15

Idem, tanto com múltiplas threads e em single thread.


CPU-Z

Também nenhuma novidade aqui. Os resultados são quase idênticos ao do teste passado.


Handbrake

Foi mensurado o tempo necessário para codificar o primeiro episódio da série Band Of Brothers (arquivo extraído diretamente do Blu-Ray sem qualquer compactação) utilizando o codec H.264 com o perfil Fast 1080p.

A diferença foi de apenas 11 segundos em favor do 2700X rodando na Asus. O tempo total foi de 5 minutos e 39 segundos.


GTA V

O GTA V é fortemente dependente do processador e tem uma função de benchmark muito bem feita. Os testes foram executados no DirectX 11, em 1080p e com os ajustes gráficos definidos em “Normal” de modo a minimizar a inferência do subsistema de vídeo.

A taxa de quadros por segundo média foi de 184,94, praticamente idêntica ao obtida no teste com a ASRock que foi de 187,87.


PCMark 8 Creative

Neste teste houve algo curioso: o Ryzen na placa com o X470 obteve uma pontuação menor: 6100 contra 6686. Repeti o teste várias vezes com o mesmo resultado, do qual não consegui rastrear a causa.


PCMark 10

Este teste fará parte da suíte a partir de agora. Incluído aqui para futuras referências.


Conclusão

Como foi possível observar, praticamente não há diferenças entre as plataformas X370 e X470 em termo de desempenho (o PCMark 8 é um ponto fora da curva). Isto novamente comprova o que venho afirmando já faz tempo: o X370 e o X470 são idênticos (ouso dizer que o X470 muito provavelmente é um X370 remarcado) e não existe esta cascata das supostas menores latências do X470, que diversos sites repetem à exaustão. Ponto.

Desde o lançamento do Ryzen é dito que somente com memórias mais rápidas é possível extrair todo o desempenho do processador. Bem, com as mesmas rodando a 3066 MHz não foi observado qualquer variação - mesmo em relação ao primeiro teste que eu fiz com o Ryzen 7 1700 no ano passado não há grandes ganhos (neste teste a memória estava em 2666 MHz). Talvez com aqueles caríssimos kits DDR4-3600 (ou superiores) cheios de leds carnavalescos seja possível notar alguma diferença, mas eu não vou pagar para ver, sinceramente.

Comentários