Rebuild #1 – O meu primeiro PC próprio (Parte 4 – Upgrades)

O glorioso DX4 100 MHz recebeu alguns incrementos, sendo que alguns deles o deixaram ainda mais parecido com o que o meu primeiro PC era em 1995 e 1996. Confira aqui em todos os detalhes!


Upgrade #1 – Placa de vídeo

É com grande satisfação que consegui achar esta preciosidade: uma clássica Diamond Stealth 64 baseada no chip S3 Vision968. A placa conta com 4 MB de VRAM, algo muito expressivo para a época! Para efeito de comparação, o meu primeiro PC contava com uma placa baseada no chip S3 Vision864 com 2 MB de VRAM, sendo portanto muito similar a esta.


Com a daughterboard removida. A placa originalmente conta com 2 MB de VRAM:


Enquanto que a daughterboard acrescenta 2 MB. Show!


A placa conta com um conector de saída de sinal bastante atípico, que também conta com 15 pinos assim como o padrão VGA. Pesquisei sobre o mesmo e não consegui achar nada, então acredito que seja algum conector proprietário da Diamond. Felizmente a placa conta com um adaptador para o padrão VGA.


Instalação no Windows for Workgroups 3.11

Uma vez que anteriormente os drivers da placa Trident 9680 estavam instalados o WfW 3.11 não iniciava. Este ambiente gráfico não conta com suporte ao padrão Plug and Play (que apenas foi implementado a partir do Windows 95) e assim não tem como identificar a troca do hardware em tempo de execução. Mas há como contornar esta limitação: basta editar o arquivo SYSTEM.INI presente no diretório C:\WINDOWS no MS-DOS e achar a linha que começa com display.drv. Achada a linha troque o driver para VGA.drv conforme mostrado no exemplo abaixo:


Este procedimento fará com que seja utilizado o driver VGA padrão, que é compatível com qualquer placa.

O instalador dos drivers da Diamond:


O painel de controle. Praticamente nada a dever para os drivers atuais da AMD e Nvidia. :-)


A melhora de desempenho com esta placa nos jogos como o Doom II é bastante perceptível e em breve atualizarei os benchmarks. Na época os chips S3 Vision eram considerados como um os melhores aceleradores 2D do mercado, travando uma verdadeira batalha pela supremacia com os ATI Mach64 e Matrox Millennium.

Upgrade #2 – Mais 8 MB de RAM

Consegui encontrar um pente de memória FPM que funcionou na placa mãe PCChips M921 486AVIP do DX4. Com 8 MB ele aumentou o total de RAM para 12 MB, muito mais conforto para rodar jogos mais exigentes como o Dark Forces que exige cerca de 7 MB de RAM para rodar.



Upgrade #3 – Disco rígido Quantum Fireball de 640 MB

Este upgrade é idêntico ao que fiz no início de 1996, quando o disco WD Caviar de 540 MB começou ficar sem espaço. E pensar que quando o PC foi comprado me diziam que eu jamais conseguiria “encher” este disco… a tecnologia é implacável.


O WD de 540 MB ficou como master na IDE primária enquanto que o Quantum foi configurado como master na secundária.


Upgrade #4 – CPU Cooler

Chega de gambiarras como fixar um dissipador apenas com pasta térmica. Este cooler é típico da geração 80486 pelas “garras” laterais que o prendem diretamente no processador.



O cooler já instalado, assim como o novo módulo de memória:


Como ficou a instalação atual:


Bônus: Windows NT 3.51

Sim! Com 12 MB de RAM e mais um disco rígido foi possível instalar o NT 3.51, que ficou em “trial-boot” com o MS-DOS 6.22 e o Windows for Workgroups 3.11.


O tempo de boot ficou muito bom:


Uma curiosidade é que o NT 3.51 já inclui drivers para o chip gráfico S3 Vision, excelente!



É isto aí! Espero que tenham gostado e até a próxima parte!

Próximo:
Rebuild #1 – Benchmarks com a placa de vídeo S3 e atualizações

Anterior:

Comentários

  1. Esse micro (olha a linguagem entregando a idade) agora tá micro de magnata, esbanjando memória, e os discos da Quantum são o oposto dos Maxtor: horríveis! E pra mim não existe uma combinação mais nostálgica do que um 486 com DOS e Win 3.11, é quase um orgasmo nerd :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsrsrsrs realmente era micro de magnata em 1995!

      Excluir

Postar um comentário