Marcas que deixaram saudade (Parte 1 - Processadores e chips gráficos: Cyrix, NexGen, IDT, 3dfx e ATI)

Atualmente o mercado de hardware encontra-se em uma mesmice assustadora em termos de competitividade, porém nem sempre isto foi assim: em um passado não muito distante, haviam inúmeras empresas que disputavam duramente o nosso rico dinheirinho. Nesta série você matará a saudade de algumas destas empresas que de uma forma ou de outra deixaram de atuar no mercado de hardware.

Nesta primeira parte abordarei empresas produtoras de processadores x86 e duas das principais fabricantes de soluções gráficas da história dos PCs, a 3dfx e a ATI.


Processadores x86

Hoje o mercado é dominado pela Intel com uma menor participação da AMD, mas houveram outras empresas que produziram projetos próprios de processadores x86.


A empresa foi fundada em 1988 na cidade de Richardson no Texas, e inicialmente produzia coprocessadores aritméticos, os famosos FastMath. A sua era de ouro aconteceu com os processadores 486 e 5x86 feitos a partir de engenharia reversa, ao contrário da grande maioria dos demais fabricantes de clones dos 486 da época que apenas licenciavam os projetos da Intel. Os últimos lançamentos da empresa foram o 6x86MX (equivalente ao Pentium MMX, depois renomeado para MII) e o MediaGX, este um projeto pioneiro, pois foi o primeiro chip SoC (System on Chip) do mundo ao incorporar também um controlador gráfico e de som.

Com dificuldades financeiras, em 1997 a Cyrix fundiu-se com a National Semiconductor e em 1999 foi vendida para a Via, que durante alguns anos manteve uma linha de processadores (equivalentes em termos de arquitetura aos Pentium III) chamada de Via-Cyrix.


Para mais detalhes sobre a empresa, recomendo a leitura da postagem que fiz sobre o Cx486 DX2.


Fundada em 1986 na pequena Milpitas na Califórnia, a NexGen foi a primeira fabricante a apresentar o conceito híbrido CISC/RISC nos processadores x86 com o Nx586 lançado em 1994. Neste conceito hoje onipresente o processador conta com núcleos RISC, porém com um decodificador CISC-RISC para converter as instruções x86 (que são CISC) para equivalentes RISC.


A empresa foi adquirida pela AMD em 1996 e o seu último projeto deu origem à família de processadores K6.


Projetado por uma empresa subsidiária da IDT chamada de Centaur Technology, o WinChip foi um processador lançado em 1997 com um conjunto de instruções equivalente ao do 80486, de modo a ser barato de se produzir e com um custo final baixo. O seu sucessor foi o WinChip2 apresentado no ano seguinte, que continha um conjunto de instruções comparável ao do Pentium MMX, K6 e ao Cyrix 6x86MX, mas sofria com um fraco coprocessador aritmético, muito inferior ao dos seus concorrentes.


O WinChip jamais fez sucesso no mercado, até que em 1999 a IDT vendeu a subsidiária Centaur Technology para a Via, cujos projetos foram base para os processadores Via C3, C7 e Nano. A IDT por sua vez continua presente até hoje no ramo de soluções industriais e de telecomunicações, com sede em San Jose na Califórnia.

Cabe lembrar que muitos outros fabricantes também produziram processadores x86 tais como a IBM, Harris, Siemens, Texas Instruments e a SGS Thomson, dentre várias outros, os quais porém jamais tiveram projetos próprios de processadores x86.

Soluções gráficas

Se hoje a peleja é entre a Nvidia e a AMD apenas, nem sempre isto foi assim.


A pioneira da aceleração 3D para os PCs foi fundada em 1994 em San Jose, na Califórnia. Foram as icônicas placas Voodoo em conjunto com a notória API Glide que mostraram ao mundo o poder que um PC podia ter na construção de ambientes 3D. Numa época na qual o DirectX e o OpenGL ainda capengavam, a Glide mostrou-se uma API de simples implementação por parte dos desenvolvedores de jogos, tornando-se o padrão do mercado no final da década de 1990 – na época, muitos confundiam o logo da 3dfx com a própria aceleração 3D.

A primeira Voodoo foi lançada em 1996, sendo seguida pela Voodoo2 (que tinha a mesma arquitetura básica, porém com uma unidade de texturização a mais) em 1998. Ambas eram soluções 3D apenas e operavam em conjunto com outra placa de vídeo 2D. Foram as Voodoo2 que introduziram a aclamada técnica chamada de SLI (que na época significava Scan-Line Interleave), que permitia combinar duas placas 3D: uma processava as linhas pares e a outra as ímpares das imagens dos jogos, o que aumentava muito o desempenho.

3dfx Voodoo PCI

3dfx Voodoo2 PCI com 8 MB de VRAM

A Voodoo3 foi lançada em 1999 e ao contrário das antecessoras era um chip 2D/3D, tornando-se um grande sucesso. O chip Voodoo4 (cujo nome-código é o famoso VSA-100) foi o primeiro da empresa a renderizar 32 bits de cor em 3D – até a Voodoo3 apenas 16 bits eram suportados. O último lançamento da 3dfx foi a hoje venerada (e cara) Voodoo5, que trazia dois chips VSA-100 em SLI na mesma placa.

Voodoo3 3000 AGP com 16 MB de VRAM. Uma das mais novas aquisições do blog

A derrocada da 3dfx começou em 1999. No ano anterior a empresa havia adquirido a fabricante de placas de vídeo STB Systems e decidiu não mais fornecer os seus chips gráficos a outros fabricantes, cuidando ela sozinha da fabricação das placas. Esta decisão revelou-se um dos erros mais grotescos de estratégia de todos os tempos: tradicionais parceiras da 3dfx tais como a Diamond e a Creative correram para os braços da Nvidia, o que fez aumentar vertiginosamente participação no mercado desta.

Voodoo 5 5500 AGP com os seus dois chips VSA-100. O canto do cisne da 3df

O declínio foi rápido. Em queda nas vendas e com custos mais elevados devido à fabricação das placas, a empresa começou a acumular prejuízos e dívidas. Em 2000 os seus credores entraram com uma ação judicial pedindo a insolvência da companhia, e antes mesmo que a ação fosse julgada a Nvidia adquiriu o controle acionário da 3dfx a preço de banana em dezembro do mesmo ano. Foi o fim dos históricos chips Voodoo e da memorável API Glide.

Lembro-me bem dos anos de outro da 3dfx. Sempre quis ter uma Voodoo2 ou 3, porém na época nunca foi possível (na época eu era um estudante universitário “durango”, complicado...), assim somente consegui matar a vontade de rodar o Need For Speed II SE em Glide muitos anos depois. :-)


A lendária companhia canadense foi fundada em 1985 em Ontario, e desde sempre se dedicou a produzir chips gráficos para as plataformas IBM PC e Commodore. Sua primeira placa de vídeo, a VGA Wonder, foi lançada em 1987. Porém foram os chips Mach8 (1991), Mach32 (1992) e Mach64 (1994 – este considerado um dos melhores chips 2D da sua época) que introduziram o nome da empresa nos anais da aceleração gráfica para os PCs.

ATI Mach64 PCI

Seu primeiro processador gráfico 3D foi o Rage 3D, que combinava a parte 2D do Mach64 com algumas funções de aceleração 3D, sendo portanto um chip 2D/3D, ao contrário das soluções da 3dfx da época. Seguiram-se a Rage Pro e a Rage 128, esta lançada em 1999 com suporte ao DirectX 6.

Rage 128 PCI

Em 2000 a linha Radeon foi lançada. Neste mesmo ano, com a morte da 3dfx, coube à ATI assumir o posto de principal concorrente da Nvidia. Os destaques desta linha clássica são a Radeon 8500 (concorrente da GeForce3, sendo que ambas são consideradas as primeiras GPUs da história por contarem com unidades programáveis) e a lendária série 9800. Eu mesmo tive uma Radeon 9800 Pro que com um upgrade de BIOS foi transformada em uma XT (a topo de linha da série), placa muito top da qual sinto saudades até hoje.

A clássica Radeon 8500

A lendária ATI Radeon 9800 Pro AGP

Em 2006 a ATI foi comprada pela AMD e o resto da história todos sabem. ;-)

Enfim chegamos ao final da primeira parte das marcas históricas. A lista de empresas que produziram soluções gráficas é extensa e, assim como o Jaiminho, quero evitar a fadiga dos leitores. Desta forma decidi deixar as demais para uma segunda postagem da série. Até lá!

Próximo:
Marcas que deixaram saudade (Parte 2 – Chips gráficos: S3 e Matrox)

Veja também:
Nos anos 1990, um PC de jogos era assim (Parte 1 - O Hardware)

Comentários

  1. Excelente texto, bateu aquela saudade do meu tempo de guri. Sobre as placas de vídeo, a derrocada da 3dfx Interactive foi uma das maiores tristezas do mundo dos computadores, ela era um dos bastiões, e sem ela o mercado caminhou a passos largos pro oligopólio de hoje. Mas lembro muito bem de como o mercado do final dos 90/início dos 2000 era diversificado, porque vivia enfiado numa revisteira em Passo Fundo que tinha uma sessão de revistas de informática e eletrônica muito grande, e a Diamond Stealth III S540, com chip S3, era muito propagandeada na PC Magazine, e eu inclusive via caixas dela nas vitrines das lojas de informática. E ainda existiam as (raríssimas) VGAs da Intel, baseadas nos chip i740. Ansioso pela segunda parte pra ser se as VIA Xabre e um dos xodós tecnológicos da minha vida, as Trident 3DImàge (tive uma 9750 de 4MB e uma 9880 Blade 3D de 8MB) vão dar o ar da graça :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu amigo! As Voodoo foram o meu sonho de consumo, me lembro que fiquei muito triste quando a 3dfx morreu! Que decisão estratégica desastrosa (é uma disputa dura com a decisão da Nokia de dar exclusividade ao Windows Phone...).

      Vou procurar citar as placas sugeridas. Eu mesmo quase comprei uma S3 Savage 2000 na época, e quando tinha um Pentium MMX usei uma S3 Virge DX por uns bons anos.

      Abraço!

      Excluir
  2. 3Dlabs me lembra disto: http://programmers.stackexchange.com/a/88055

    ResponderExcluir

Postar um comentário