O mito 80486 (Parte 6 – O Cyrix 80486 DX2 de 66 MHz e benchmarks clássicos)

Na mais nova parte da série sobre o honorável 80486 foi avaliado um exemplar da Cyrix, o Cx486DX2-66, que foi muito popular na época pelo bom custo x benefício. Será que ele se equipara ao modelo equivalente da Intel? Confira aqui!



Uma palavrinha sobre a Cyrix

Como este é o primeiro processador desta empresa a figurar no blog, creio que se faz necessário um breve histórico sobre a simpática Cyrix. Fundada em 1988 por Tom Brightman e Jerry Rogers com sede na cidade de Richardson no Texas, a Cyrix entrou no mercado de componentes para PCs desenvolvendo coprocessadores aritméticos compatíveis com os 8087, 80287 e 80387. Os FastMath, como foram comercialmente chamados, eram considerados os melhores do mercado por serem bem mais rápidos do que os equivalentes da Intel (em alguns casos até 50% mais rápidos). Desde o início a Cyrix sempre foi uma empresa fabless, ou seja, não tinha fábricas e apenas desenvolvia os projetos dos componentes que eram efetivamente fabricados por outras empresas como a IBM, a Texas Instruments e a SGS Thomson.

Os primeiros processadores x86 feitos pela empresa foram os 486SLC e 486DLC, que eram compatíveis respectivamente com os 80386 SX e DX (podiam ser instalados nas mesmas placas mãe, desde que tivessem o soquete adequado), porém traziam algumas instruções dos 486 e ainda 1 KB de cache L1 integrado. Já os 486 verdadeiros da Cyrix foram o Cx486S (equivalente ao 486 SX), Cx486DX, DX2, DX4 e ainda os Cx5x86, o qual apesar do nome era um 486 “turbinado”: tinha o mesmo conjunto de instruções dos 486, porém atingia frequências de até 133 MHz.

A primeira CPU equivalente ao Pentium foi o 6x86, que tinha um bom desempenho no geral, porém sofria com a fraca unidade aritmética em relação aos modelos da Intel – infelizmente a Cyrix não conseguiu repetir aqui o bom desempenho que os coprocessadores FastMath tiveram em seu tempo. O 6x86MX incorporou o conjunto de instruções MMX sendo mais tarde renomeado para MII, em uma tentativa de competir com os Pentium II que chegavam ao mercado.

Porém um projeto da Cyrix foi realmente pioneiro, o precursor dos modernos chips SoC (System on Chip): o MediaGX, que incorporava controladores gráficos e de som em um único chip. Fez muito sucesso em PCs de baixo custo, porém a sua arquitetura era baseada nos antigos processadores 5x86 (desta forma tratava-se essencialmente de um 486) e rodava no máximo a 133 MHz, o que penalizava o desempenho. Posteriormente o MediaGX foi melhorado, chegando a atingir até 333 MHz e com suporte às instruções MMX (sendo uma espécie de “486 MMX” :p).

Com dificuldades financeiras, em 1997 a Cyrix fundiu-se com a National Semiconductor e em 1999 foi vendida para a fabricante de chipsets Via, que durante algum tempo produziu a linha de processadores x86 de baixo custo chamada de Via-Cyrix, cuja arquitetura era equivalente à dos Pentium III.

O Cx486DX2-66

Por que diabos os revendedores “picham” os processadores?


Ao contrário da AMD que produzia os seus clones dos 486 (e anteriores) a partir de contratos de licenciamento feitos com a Intel, os 486 da Cyrix eram produzidos totalmente através de engenharia reversa - nos anos 1990 a Intel até processou a Cyrix por supostas quebras de patentes, porém nada foi comprovado e a Intel pagou à Cyrix 12 milhões de verdinhas a título de indenização e custas processuais.

Aqui cabe um parêntese: em 1997 foi a Cyrix que processou a Intel por supostas violações de patentes no projeto do Pentium Pro, mas durante o processo a Cyrix fundiu-se com a National Semiconductor e o litígio acabou com um acordo de colaboração de patentes. Fico imaginando se a Cyrix tivesse razão na argumentação: desta forma até mesmo um lindo e moderno Core i7 teria um pouco do DNA da Cyrix, uma vez que a família Core é diretamente descendente da arquitetura do Pentium Pro. Que loucura!

Mas voltando ao Cx486DX2-66, trata-se de um clone compatível pino-a-pino com o Intel 80486 DX2 de 66 MHz, ou seja, conta com as seguintes características:

  • 8 KB de cache L1;
  • Frequência do barramento frontal de 33 MHz (e multiplicador 2);
  • Coprocessador aritmético integrado;
  • Tensão de alimentação de 5 V;
  • Lançado em setembro de 1993.

Com as mesmas especificações dos Intel e um preço muito mais em conta na época, os Cx486DX2-66 foram um grande sucesso pelo ótimo custo x benefício. Outra vantagem do modelo da Cyrix é o dissipador de calor incorporado, o que dispensava a necessidade de comprar um dissipador separadamente, barateando ainda mais o conjunto.

Montagem e funcionamento

Pela total compatibilidade com os Intel, basta inserir o processador no soquete 3 e revisar a configuração dos jumpers da placa mãe.



Qualquer semelhança NÃO é mera coincidência... :-)

O esquema de jumpeamento do manual da placa mãe

Jumpers ajustados


Os demais componentes são os mesmos aplicados juntamente com o Intel DX2 – clique aqui para conferir! 

O PC ligou de primeira. Eis a tela de resumo do POST:



CyrixInstead. Oh yeah!



Mas será que o projeto feito via engenharia reversa da Cyrix pode fazer frente ao Intel original em desempenho? Confira nos benchmarks! Para facilitar o comparativo abra a página de compilação de benchmarks em outra janela. ;-)

Benchmarks

Eis o tradicional sumário do sistema do Norton System Info 6.01:

Curiosamente, o NSI aponta que o processador está rodando a 76 MHz


O índice de CPU do NSI mostra que o Cyrix ficou 17% atrás do Intel:



Como os dois modelos contam com o mesmo disco rígido, no índice de disco no NSI houve um empate técnico:



No índice geral o Cx486DX2-66 ficou 16% atrás:



No Superscape 1.0 os dois modelos obtiveram exatamente a mesma pontuação:



No índice de CPU do SpeedSYS 4.78 o Cyrix ficou 13% à frente:

Já o SpeedSYS reportou a frequência do processador de 22 MHz... :p


No Chris´s 3D o Cyrix ficou 12% atrás do Intel DX2, e 8% atrás do Intel equipado com a placa mãe baseada no barramento VLB:



No Doom o modelo da Cyrix ficou 8% atrás:



No Super Pi 1M o Cx486DX2 obteve um tempo 38% superior ao Intel, levando 17 minutos a mais para completar o teste:



Conclusão

Com exceção do SpeedSYS e do Superscape, todos os demais testes mostraram que de fato o projeto da Cyrix não atingia o mesmo desempenho do Intel. Porém podemos dizer que o seu desempenho era OK considerando o custo, tanto que foi um enorme sucesso e fez da Cyrix um player de respeito no mercado durante a geração do 80486.

Próximo:

O mito 80486 (Parte 7 – O IBM 5x86C de 100 MHz e benchmarks clássicos)

Anterior:

Veja também:

Comentários