A Arte do Overclock (Parte 3 - A Prática)

Neste episódio do especial sobre a técnica de overclock mostrarei mais o lado prático dos procedimentos. Enquanto que as primeiras duas partes foram um tanto quanto teóricas, com bastante texto, esta parte será mais ilustrativa para demonstrar os resultados que obtive no meu equipamento. Vamos lá! :-)

EDIT 12/09/2014: muito possivelmente o overclock contribuiu para que o meu processador Core i7 2600K tivesse danos permanentes, embora seja difícil afirmar com absoluta certeza. Desta forma, caso deseje experimentar siga com cautela os procedimentos e esteja ciente dos riscos envolvidos - também não posso me responsabilizar caso haja problemas no seu equipamento. Apesar do revés, jamais irei abandonar a prática do overclock! :-)


EDIT 26/09/2014: com o processador Core i7 3770K desenvolvi uma técnica de overclock mais moderado. Confira lá!

Tela do Setup padrão das placas Gigabyte. Para overclock, porém, é melhor utilizar o layout tradicional que possui mais opções

Para os que não tenham acompanhado, o meu PC basicamente conta com um processador Intel Core i7 2600K, placa mãe Gigabyte Z77X-UP7 e 16 GB de RAM Geil DDR3-1600 (quatro módulos de 4 GB) - a configuração completa pode ser vista aqui. Você poderá usar as telas apresentadas como parâmetro e aplicá-las no seu equipamento de acordo com as opções disponíveis no Setup da sua placa mãe.

Pois bem, conforme havia informado de maneira rápida nas duas postagens anteriores, levei praticamente todo o feriado de Páscoa e o do Dia do Trabalho para chegar a este resultado, após inúmeras combinações e testes de estabilidade e benchmarks. Pois é, overclock exige uma paciência quase oriental... :-)

Toda esta maratona me permitiu obter um resultado que julguei bastante satisfatório além de ter fornecido subsídios para que eu chegasse a uma importante constatação: que em plataformas Intel a alteração do clock base é bastante critico para a estabilidade do sistema, o que torna o processo de overclock realmente difícil para aqueles que não possuem CPUs da série "K" com multiplicador destravado. Após muito tentar, cheguei à conclusão que mesmo um aumento discreto de 5 Mhz nesta frequência deixa o sistema difícil de ser estabilizado, e olha que possuo uma placa mãe topo de linha voltada para overclock como é o caso da Z77X-UP7.

Desta forma, me concentrei apenas no multiplicador do meu 2600K e aí vieram os bons resultados. Consegui obter 4,9 Ghz (o padrão dele é de 3,4 Ghz, ou seja, foi obtido um aumento de 1,5 Ghz ou 44%!) com 1,51 V no Vcore. Nergasm total! Para efeito de comparação, com a placa mãe que eu usava antes (Gigabyte Z68X-UD3-B3 que agora está no meu servidor doméstico) o processador não passava dos 4,5 Ghz de jeito nenhum.


O valor do Vcore aparece ligeiramente acima devido ao ajuste do Load Line Calibration

O Vcore pode até parecer alto em um primeiro instante, mas o meu guerreiro Cooler Master Hyper N620 conseguiu segurar as temperaturas e fiz uma descoberta interessante vendo o datasheet do meu processador (vá para a página 80). Conforme o documento da Intel, os processadores Sandy Bridge possuem VID de até 1,52 V. Isto significa que processadores fabricados nesta arquitetura podem ser classificados com até 1,52 V como tensão de alimentação e o meu processador ainda está dentro desta janela. Mas de qualquer modo fica a pergunta: pode haver degradação? Sem dúvida há este risco, mas não pretendo utilizar este processador no meu PC principal por 20 anos de qualquer forma...

VID dos processadores Sandy Bridge

Prosseguindo com os ajustes, esta é a tela de configurações avançadas do processador. Notem que conforme expliquei na Parte 2, prefiro deixar o modo Turbo Boost e o EIST desabilitados. A opção CPU PLL overvoltage habilitada ajuda bastante também na estabilidade.




Estes são os ajustes para os módulos de memória. Infelizmente eles não suportaram operar em 1866 Mhz (933 Mhz efetivos) mas suportaram o modo "Extreme" de temporizações do barramento (opção "Performance Enhance"). As demais temporizações dos módulos deixei nos valores padrão.




A próxima tela diz respeito aos ajustes do potente circuito regulador de tensão da Z77X-UP7, que é totalmente digital e conta com monstruosas 32 fases. Aqui as opções que mais importam são a "Vcore Voltage Response" e a "Vcore Loadline Calibration", que nas opções Fast/Extreme permitem reduzir as flutuações da tensão do Vcore, favorecendo a estabilidade.




A tela abaixo traz mais opções para as tensões de alimentação do processador. Além do Vcore, aumentar um pouco o CPU Vtt ajuda na estabilidade do sistema quando se tem mais do que dois módulos de memória (possuo quatro). Uma curiosidade é o valor de 1,27 V calculado pela placa mãe para o processador, que é um valor totalmente fantasioso e fora da realidade (provavelmente é algum bug) visto que sem overclock algum este valor é calculado em 1,325 V.




Já a tela seguinte é a de ajuste fino da tensão de alimentação dos módulos de memória. Como possuo quatro módulos, um leve aumento (como os 1,52 V que estou usando) favorece a estabilidade sem qualquer efeito colateral.




A última tela é o resumo clássico das temperaturas e tensões. O meu cooler é acionado pelo controlador de ventoinhas NZXT Sentry 2, que em uso intenso aumenta a rotação da ventoinha do cooler mantendo a temperatura da CPU dentro do limite recomendado de 70 ºC. Como expliquei no início do post, a tensão do Vcore está ligeiramente acima em função da atuação do Load Line Calibration.




Finalizando, posso dizer que o sistema está muito, mas muito rápido! Com a ajuda da minha unidade SSD, a carga do Windows 8.1 Update 1 é quase instantânea - o bom desempenho também se reflete nos demais aplicativos e tarefas como edição de vídeos e imagens. Cada utilização do equipamento é um nergasm! :-)

Na próxima parte postarei alguns resultados de benchmarks comparando com a configuração que eu tinha anteriormente. Até lá!

Próximo:

A Arte do Overclock (Parte 4 - Resultados)

Anterior:

A Arte do Overclock (Parte 2 - Técnicas)

Veja também:
Overclock e benchmarks: processador Intel Core i7 3770K
Dimensionando e escolhendo corretamente a fonte de alimentação

Comentários