A Arte do Overclock (Parte 4 - Resultados)

Finalizando a série sobre as experiências com o overclock, nesta postagem mostrarei alguns resultados obtidos em comparação com a configuração que utilizava anteriormente. Espero que curtam!




Antes de apresentar os resultados, vale destacar a diferença dos sistemas: a coluna 4,5 Ghz consiste no Core i7 2600K rodando a 4,5 GHz e na placa mãe Z68X-UD3-B3, enquanto que a coluna 4,9 Ghz consiste no mesmo processador (rodando na velocidade indicada) e na placa mãe Z77X-UP7. Os demais componentes de hardware são os mesmos. Diferenças de até 3% para menos ou para mais não serão consideradas.

PCMark 7


4,5 GHz 4,9 GHz Dif
Video playback (fps) 23,96 23,97 0%
Video transcoding - downscaling (KB/s) 6295,73 6699,21 6%
System storage - gaming (MB/s) 16,69 16,54 -1%
Graphics - DirectX 9 (fps) 101,5 102,23 1%
Image manipulation (Mpix/s) 26,9 31,12 16%
System storage - importing pictures (MB/s) 17,71 17,95 1%
Web browsing (pages/s) 22,51 22,64 1%
Data decrypting (MB/s) 153,38 214,75 40%
System storage - Windows Defender (MB/s) 5,55 5,48 -1%
PCMark score 5804 6172 6%


O PCMark 7 mostrou diferenças razoáveis, com destaque para o Data decrypting (decodificação de dados) e para o Image Manipulation.

3DMark06


4,5 GHz 4,9 GHz Dif
SM2.0 Score 12249 13423 10%
HDR/SM3.0 Score 15732 17334 10%
CPU Score 8430 9516 13%
3DMarks 31828 35194 11%


O 3DMark06 é um benchmark bastante antigo (ainda utiliza o DirectX 9c), porém é fortemente dependente do processador.

3DMark Vantage



4,5 GHz 4,9 GHz Dif
GPU Score 49237 49384 0%
CPU Score 30218 28462 -6%
3DMark Score (P) 42543 41717 -2%

O 3DMark Vantage opera em DirectX 10 e não demonstra grandes diferenças.

3DMark 11



4,5 GHz 4,9 GHz Dif
Graphics Score 16182 16139 0%
Physics Score 10370 9758 -6%
Combined Score 9084 9086 0%
3DMark Score (P) 13923 13726 -1%

A mesma tendência se manteve com o 3DMark 11 (DirectX 11).

3DMark Fire Strike



4,5 GHz 4,9 GHz Dif
Graphics Score 11188 12083 8%
Physics Score 11430 10648 -7%
Combined Score 3457 3651 6%
Score 9167 9657 5%

O 3DMark Fire Strike é a última demo da série e leva o sistema aos limites. Também é baseado no DirectX 11.
Cinebench R15



4,5 GHz 4,9 GHz Dif
CPU (cb) 786 725 -8%
CPU single core (cb) 158 170 8%
OpenGL (fps) 118,4 121,33 2%

O Cinebench realiza renderizações de imagens (para obter os índices da CPU) e faz uma simulação de um ambiente em OpenGL.

Hitman Absolution (Ultra)



4,5 GHz 4,9 GHz Dif
Minimum FPS 28,84 52 80%
Maximum FPS 71,98 106 47%
Average FPS 54,62 65,45 20%

O perfil Ultra do Hitman Absolution faz qualquer sistema "dobrar os joelhos" - nada como uma aplicação do "mundo real" para demonstrar os ganhos!

Unigine Heaven 4.0 (Extreme)



4,5 GHz 4,9 GHz Dif
FPS 69,9 71,4 2%
Score 1754 1798 3%

O perfil Extreme do Unigine Heaven roda em DirectX 11.

Conclusão

Bem, os resultados estão aí para todos possam tirar as suas próprias conclusões. Considerando que o overclock, quando bem planejado e executado, incorre em gastos praticamente nulos, acredito que qualquer ganho seja bem-vindo, mesmo que aparentemente ele seja modesto. Há, porém, um resultado que não há como ser expressado por testes: a sensação de fluidez no uso do equipamento que resulta em uma experiência muito mais prolífica na interação com a máquina.

Anterior:

A Arte do Overclock (Parte 3 - A Prática)

Veja também:
Dimensionando e escolhendo corretamente a fonte de alimentação

Comentários