Unboxing e primeiras impressões: placa mãe Gigabyte Z77X-UP7

Eu nunca havia tido antes a oportunidade de trabalhar ou de possuir uma placa mãe tão topo de linha como esta. Não que as placas que eu tive anteriormente fosse de baixa qualidade, eu sempre as comprei mais de olho no custo x benefício, mas não há como compará-las a um produto topo de linha como este. Prezados amigos, apresento-lhes a grandiosa placa mãe Gigabyte Z77X-UP7 - nasce uma nova lenda!


A minha placa mãe atual, a Gigabyte Z68X-UD3-B3, vinha me atendendo perfeitamente bem, com recursos razoáveis e mantendo o meu processador Core i7 2600K em overclock a 4,5 GHz sem grandes problemas. Sua única limitação, que nem pode ser creditado à placa e sim aos processadors Intel LGA 1155 (e 1150 também), é o fato de possuir apenas 16 linhas PCIE disponíveis. E no meu caso, como tenho um arranjo SLI com duas placas Nvidia GeForce GTX 760, elas ficavam limitadas ao modo 8x PCIE 2.0 apenas. A segunda motivação foi para aumentar o overclock no processador, visto que esta placa é desenhada para isto e a minha antiga Z68X já estava no limite. A terceira é que a placa mãe do meu servidor pessoal já apresenta sinais de cansaço e a Z68X seria uma ótima substituta - cobrirei a atualização de hardware do meu servidor em um futuro post. Além do mais, só faz sentido sair de um 2600K overclockado para um processador LGA 2011 de seis núcleos, que sozinho já custa bem mais do que a Z77X-UP7, além dos custos de uma placa LGA 2011 (que também não são nada baratas) e até mesmo o meu velho e ótimo cooler (Cooler Master Hyper N620) eu teria que trocar visto que não seria compatível com a nova furação.

Mas o soquete 1155 não está praticamente morto?

Sim e não. Sim pois muito provavelmente a Intel não lançará mais novos processadores para este soquete. E não porque os processadores disponíveis para ele, principalmente os Core i7 2600K, 2700K e 3770K, continuarão atuais por um bom tempo e, principalmente no caso do 2600K, possuem um ótimo potencial de overclock. Pretendo colocar o meu 2600K para rodar entre 4,6 e 5 GHz (o que não é nada para esta placa) o que me proporcionará um conjunto atual por vários anos ainda. Quanto ao custo dela, bem... realmente não é nada barata, ainda mais por aqui, mas é o preço que se paga por um produto diferenciado e de alta qualidade. Na minha opinião, ela valeu cada centavo pois toda vez que a utilizo tenho um verdadeiro nergasm! :-)

A placa

Bom, o que posso dizer? Ela é linda! O PCB tem tom escuro com os slots e outros detalhes em laranja. A placa é extremamente bem acabada, com os dissipadores de calor sobre o regulador de tensão do processador, chip chaveador PCIE PLX PEX8747 e o chipset Intel Z77, bem como o duto de cobre que os interliga, possuem um tratamento bastante polido e elegante.

Visão geral da Z77X-UP7: uma obra de arte!

Processadores suportados e regulador de tensão

Logicamente que a placa suporta qualquer processador 1155, mas a utilização de uma CPU com o multiplicador desbloqueado (série "K") é praticamente obrigatória visto que se trata de um produto voltado para overclock. O seu grande diferencial é o projeto do regulador de tensão do processador, com nada menos do que 32 fases! Tal projeto permite manter a tensão fornecida ao processador estável mesmo em situações de overclock extremo com uma menor dissipação de calor, bem como um menor stress sobre os componentes do regulador de tensão do que ocorreria em um projeto de menor número de fases. O número "32+2+3" diz respeito ao número de fases para o processador (32), para o agente do sistema (2) e para a GPU integrada (3). Todos os capacitores da placa são sólidos e de origem japonesa.

Slots de memória

Esta é uma das partes mais "convencionais" da placa, que conta com quatro slots com suporte a módulos de até 8 GB (totalizando 32 GB) no modo de dois canais - são suportados até módulos DDR3-2800. Sempre é bom lembrar que o controlador de memória fica no processador.


Slots de expansão e o chip PLX PEX8747


A Z77X-UP7 possui nada menos do que cinco slots de expansão PCIE 3.0 x16! Os slots na cor laranja são controlados pelo chip chaveador PLX PEX8747 que expande o número de linhas PCIE disponíveis das 16 originais para 32 linhas - o que permite a utilização de duas placas de vídeo em SLI ou CrossFireX no modo x16/x16 em um sistema 1155 - sendo um outro grande diferencial desta placa. O número de linhas PCIE destes slots é a seguinte: x16 (1), x8 (3), x16 (5) e x8 (7). Desta forma, para a instalação de duas placas de vídeo devem ser utilizados os slots 1 e 5. Logicamente que a placa suporta os modos SLI e CrossFireX de até quatro vias. Sempre é bom lembrar que o suporte ao PCIE 3.0 só ocorre quando um processador Ivy Bridge está instalado, com um Sandy Bridge os slots funcionam no modo 2.0.

O slot x16 preto (2) está ligado diretamente ao processador e deve ser usado caso você tenha apenas uma placa de vídeo. Há também dois slots PCIE 2.0 x1 (4 e 6) controlados pelo chipset Z77. Uma particularidade desta placa é a presença de um conector de alimentação padrão SATA na sua borda: este conector deve ser empregado sempre que mais de uma placa de vídeo for instalada para aumentar a estabilidade do sistema.

Armazenamento e conectividade

A placa mãe possui nada menos do que 10 portas SATA, sendo duas SATA3 controladas pelo chip Z77 (conectores brancos), quatro SATA2 via Z77 (conectores pretos) e mais quatro SATA3 controlados por dois chips Marvell 88SE9172 (cinzas), sendo que os Intel apresentam melhor desempenho. Todas as portas suportam os modos RAID e AHCI. 

Há também 10 portas USB3. Seis delas estão no painel traseiro, sendo duas controladas pelo Z77 e quatro por um chip VIA VL800, e quatro disponíveis em conectores internos, sendo dois deles controlados pelo Z77 e dois pelo chip Etron EJ168. A placa também possui duas interfaces de rede gigabit ethernet, uma controlada por um chip Intel e a outra por um Atheros. O pacote de acessórios conta também com uma placa de expansão PCIE x1 que adiciona interfaces Wi-Fi e Bluetooth.

Áudio

A Z77X-UP7 conta com o codec de áudio Realtek ALC898, que suporta até o modo de 7.1+2 canais. O seu grande diferencial é a relação de sinal/ruído de excelentes 110 dB - não sou propriamente um audiófilo, mas é claramente perceptível que o áudio desta placa é diferenciado, com uma sensação de maior fidelidade e limpeza do som mesmo com aqueles arquivos MP3 de baixa resolução.

Demais diferenciais

Outro grande diferencial da placa é a presença de um bloco de botões físicos de liga-desliga, clear CMOS, ajuste do multiplicador e do clock base. Perto destes botões há também pontos específicos para monitoramento de tensões através de um multímetro - no kit da placa há conectores que facilitam esta medição.

Botões de overclock automático!

Há também um display de diagnóstico que mostra os resultados do POST (no manual há uma tabela de referência com o significado dos códigos) e o recurso Dual-BIOS comum nas Gigabyte há muitos anos, mas que no caso da Z77X-UP7 conta com um diferencial: há chaves para habilitar ou desabilitar o recurso e também para selecionar qual BIOS está ativa. O BIOS desta placa é do tipo UEFI. Farei um artigo exclusivo sobre overclock nesta placa onde mostrarei as opções presentes.

Conclusão

A Z77X-UP7 é uma verdadeira obra de arte e faz jus ao seu slogan: nasce uma lenda! Os seus pontos positivos são os seguintes:

  • Circuito regulador de tensão com 32 fases;
  • Grande facilidade para realizar overclock, principalmente com as CPUs "K";
  • Ótimo acabamento;
  • Chip chaveador que oferece 32 linhas PCIE;
  • Grande quantidade de slots de expansão, portas SATA e portas USB3;
  • BIOS com muitas opções, principalmente para overclock;
  • Codec de áudio de ótima qualidade;
  • Duas interfaces de rede gigabit ethernet;
  • Ótimos diferenciais;
  • Grande quantidade de acessórios (vide o vídeo).

Como único ponto negativo desta placa eu poderia citar o preço (principalmente por aqui), mas se considerarmos a qualidade e os diferenciais do produto veremos que o preço não pode ser considerado injusto.

Fiquem agora com o vídeo do unboxing desta coisa linda! Um grande abraço!


Veja também:

Comentários

  1. Essa placa mãe é Chubaquinha, muito boa. Sempre tive placa mãe Asus, não sei hoje em dia como estão as mesmas, mas eram muito boas a alguns anos atrás, sendo tops em alguns de seus modelos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esta placa é hiper mega super plus CHUBACA!! Babo horrores por ela.... hahhaha. As Asus são boas também, mas a minha primeira opção de placa mãe é Gigabyte. Claro que tudo depende do modelo!

      Excluir
  2. Apesar do post ser antigo, venho parabenizar pela sua descrição da placa. Tenho a Gigabyte como minha marca de placas favorita, tanto mobos como VGAs. O detalhe é o custo BR que não anda favorável.
    Esta mobo da Gigabyte é hyper demais. Até me deu vontade de "downgradezar" e procurá-la, juntamente com o lendário Core i7 2600k, que para mim é o mito da Intel em over até hoje, só para usá-los.
    Esta mobo é muito linda e sem falar que ela entrega 2000w de potência através de seu circuito regulador de tensão monstruoso :D Esta mobo é um espetáculo à parte.
    Se um dia for vendê-la, caso a tenha, posta aí :D
    Atualmente tenho uma AsRock Z97 Extreme 4 e um Core i5 4º geração, me quebrando um ganho mas quem sabe um dia pego uma Gigabyte topo, como a GA-Z270X-Gaming 9, da linha Aorus, espetacular.
    Não tenho muita queda pela Asus ou AsRock, mas Gigabyte e MSI sempre me hipnotizaram.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem falar que a Z77X-UP7 ainda continua atual: tem PCIE 3.0 (dois slots x16 e dois x8!), SATA-600, USB 3.0, enfim, não fica muito atrás de muitas placas Z270 atuais.

      E os processadores topo de linha LGA 1155 ainda continuam plenamente capazes, tais como o 3770K, o citado 2600K ou ainda o 2500K, sem falar que com um overclock moderado (4,5 GHz é tranquilo para estes processadores) atingem o mesmo nível de desempenho das novas gerações da Intel.

      Também tenho a Gigabyte como a minha fabricante favorita de placas mãe, e nas placas de vídeo ela manda muito bem também.

      Excluir

Postar um comentário