Eis a versão final do Windows 10

Ontem a Microsoft liberou o Build 10240 do Windows 10 e conforme fontes internas da empresa trata-se da compilação RTM (Release To Manufacturer), a qual é fornecida à indústria para testes antes do lançamento oficial do sistema. Desta forma esta compilação é a mesma que será lançada oficialmente no próximo dia 29 - confira aqui a análise RETROWARE voltada à turma do mouse e teclado desta tão aguardada versão final do novo sistema operacional da Microsoft!

O Build 10240 é a compilação RTM/final do Windows 10


Interface

Estas são as principais novidades na interface com o usuário do novo Windows, começando pela tela de login:



O tema padrão escuro é bastante agradável aos olhos.



O novo menu Iniciar é uma junção do existente no Windows 7 com os blocos dinâmicos introduzidos com o Windows 8. Ele pode ser completamente personalizado, deste o seu próprio tamanho até a posição, exibição e o funcionamento dos blocos dinâmicos, trazendo o melhor dos dois mundos. Este é o maior exemplo de que a Microsoft (sob nova gestão, diga-se de passagem) soube ouvir os seus clientes.



O sistema traz também um novo pacote de ícones, os quais suscitaram muitos debates em diversas compilações de testes quanto à sua beleza e a uma alegada excessiva simplicidade. Em minha opinião os ícones desta versão RTM estão em harmonia com a interface do sistema.



No Windows 10 as aplicações modernas e as desktop clássicas praticamente se fundem. As primeiras são voltadas para telas touchscreen, porém no novo Windows elas podem ser confortavelmente operadas também pela dupla dinâmica mouse e teclado. Isto é algo que sempre faltou no Windows 8.X, que tinha uma grande ambiguidade entre as duas classes de aplicativos (esta foi uma das principais fontes de críticas a esta versão, ao lado da falta do menu Iniciar).

Softwares modernos (para telas com touchscreen) e os desktop clássicos se fundem no Windows 10


O gerenciador de áreas de trabalho, que estava presente desde a primeira compilação de testes:



Quem não gostar do tema escuro padrão pode personaliza-lo como preferir. Oficialmente não é possível mudar a cor da barra de título, porém há na Internet arquivos de temas modificados do Windows 10 que permitem alterar esta cor. O Google é seu amigo!

A equipe de desenvolvimento do Windows até chegou a afirmar que estaria pensando em trazer a interface Aero do Windows 7 de volta no 10, mas pelo menos nesta versão RTM ela não deu as caras. Quem sabe em uma futura atualização do sistema (algo como um Windows 10 Update 1 ou então Windows 10.1) ela seja incluída, ficamos na torcida!



A área de notificações lembra bastante a presente em smartphones.



O prático menu de contexto com atalhos para funções do sistema (que é exibido clicando com o botão direito sobre o logotipo do Windows na barra de tarefas) surgido com o Windows 8.1 felizmente continua. Acostumei-me tanto a ele que mesmo com as novidades na interface o continuo utilizando também no Windows 10.



Aplicativos

Quanto aos aplicativos disponíveis, sem sombra de dúvidas o maior destaque é o navegador Edge que tem a missão de sepultar de uma vez por todas o anacrônico Internet Explorer. Segundo a Microsoft nesta versão RTM/final o Edge teve ganhos significativos de desempenho, algo que somente os benchmarks poderão apontar. Aguardem que vêm mais um episódio do épico Browser Wars por aí! :)



Para quem estiver preocupado com a incompatibilidade do Edge com certos plug-ins e controles ActiveX, o Windows 10 conta também com o Internet Explorer 11 para casos de necessidade. Não há como romper subitamente com o passado, principalmente por questões de retrocompatibilidade.

O próprio Internet Explorer estimula a migração para o Edge


O assistente de sincronização com dispositivos móveis surgiu no Build 10166 e é compatível com os principais sistemas operacionais mobile do mercado.



Outros destaques entre os aplicativos que acompanham o Windows 10 são o Email e o Calendário. Juntos eles formam uma espécie de versão compacta do consagrado Outlook. 





Quanto à compatibilidade com softwares diversos que eu utilizo apenas o Kaspersky Antivírus 2015 tem problemas. Isto se manifestou desde as primeiras compilações de testes e estou aguardando ansiosamente que a Kaspersky lance uma versão compatível do seu produto para que eu possa atualizar o meu PC principal.



Já o glorioso Visual Basic 6 Highlander continua perfeitamente compatível com o Windows 10. Muito em breve farei uma atualização da postagem de instalação do VB6 no Windows 10 para esta versão final. Aguardem! :)



Desempenho e estabilidade

Quanto ao desempenho, o Windows 10 vem apresentando uma ótima forma mesmo em um hardware modesto. O meu PC de testes é de 2009 e basicamente consiste em um Intel Core 2 Quad Q6600 com 4 GB de RAM DDR2-1066 e placa de vídeo Nvidia GeForce 9600 GT com 512 MB de VRAM, e neste conjunto o desempenho é bem satisfatório. O mesmo foi observado em uma máquina virtual do VMWare Player.

A estabilidade também é outro destaque: desde a primeira compilação de testes lançada lá nos idos de outubro do ano passado o novo Windows jamais apresentou falhas graves neste aspecto, logicamente excetuando-se os pequenos bugs inerentes a softwares em testes, bugs estes que foram reportados e que estão corrigidos nesta versão RTM. Mas verdade seja dita: desde o Windows Vista o kernel NT melhorou bastante no aspecto de estabilidade e confiabilidade.

Conclusão

Finalizando, realmente o Windows 10 tem tudo para cumprir as promessas e ser o melhor Windows de todos os tempos. Sob nova gestão, a Microsoft calçou as sandálias da humildade, ouviu o seu público e dignamente reverteu decisões equivocadas assegurando desta forma o seu próprio futuro – outro fiasco como o Windows 8 seria um duro golpe para a empresa de Redmond.

Veja também:

Comentários