A principal novidade do Windows 10 Build 10166

Na reta final do seu ciclo de desenvolvimento não devemos esperar nenhum novo grande recurso ou funcionalidade para o Windows 10, em função da contagem regressiva para o lançamento que será no próximo dia 29. Entretanto a compilação 10166 trouxe como grande novidade um utilitário de sincronização com smartphones com Windows, Android e iOS:



O que chama mais a atenção neste utilitário é a compatibilidade com o Android e o iOS - a Microsoft realmente está mudada! Se a empresa ainda fosse a "velha Microsoft" (aquela cujo CEO era o fanfarrão do Ballmer), tal utilitário seria compatível apenas com o Windows Phone (agora Mobile) e os demais sistemas mobile seriam simplesmente ignorados. Logicamente que o fato do Windows Phone/Mobile ter chegado tarde no mercado e exibir pouca participação realmente conta, mas não deixa de ser uma mudança de hábito muito bem-vinda.

Nos demais aspectos, praticamente nenhuma diferença para as compilações 10159 e 10162.

Comentários

  1. Não havia outra alternativa, visto que nem a própria MS leva muita fé no WP. Muito se falou do recente anúncio que a empresa praticamente jogou no lixo a compra da Nokia e que poderiam (nunca admitirão, obviamente) estar deixando a plataforma de lado. Eu acho altamente arriscado, pois se o ecosistema dos aplicativos "Universais" não tiver a plataforma móvel, qual será o propósito da coisa? Alguém perderá tempo desenvolvendo para a nova API só para rodar em desktops (ah, ok, e no Xbox One), enquanto os atuais aplicativos Win32 funcionam? Ou a empresa pretende *realmente* ser uma IBM, fazendo o Windows Phone rodar aplicativos do Android e iOS, como foi anunciado na última Build? O destino do OS/2 não traz boas lembranças...

    As lambanças de Ballmer estão cobrando o preço, com juros, agora. Ainda existe muita gordura para queimar. No entanto, melhor achar uma nova fonte de comida o mais rápido possível. :-|

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem por aí. Quando o meu SIII morreu até pensei em pegar um Lumia mas vi que ia ser difícil sair do ecossistema do Android, principalmente pelos aplicativos, e assim acabei comprando o Moto G. É aquela: as pessoas não compram mobiles com Windows pela falta de apps e os desenvolvedores não se importam com a plataforma pela falta de usuários - vai ser difícil a MS superar isto.

      E ainda sem falar do Windows RT, outra herança maldita da desastrosa gestão Ballmer. O cara pode ser um gênio de marketing mas tem uma visão de longo prazo mais curta que a da minha vó.

      Excluir
  2. Infelizmente a Microsoft entrou tarde no mundo mobile, e realmente por mais excelente que seja o Windows Phone(eu gosto muito, tenho um lumia, acho ele extremamente fluido e rápido), as chances são bem pequenas dela sobreviver nesse mercado. Apesar de me fidelizar, sou um que não volta para o Android, por considerar a plataforma muito lenta e a loja de app mega vulnerável, entre outros problema. O número de aplicativos do robozinho enfadonho realmente é muito superior. Resta saber, se a Microsoft vai conseguir reverter algo com bons aparelhos e virar uma Apple ou ainda com sua última cartada o Windows 10 Mobile, vai conseguir efetivamente convencer o mercado do real valor do seu produto, e principalmente lançar mais aplicativos para sua Store, isso só o tempo dirá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem querer gerar flame, mas o que fode com o desempenho do Android são os fabricantes que enchem os dispositivos de bloatwares e interfaces desnecessárias, com a TouchWiz da Samsung - o meu antigo SIII virou outro aparelho com o CyanogenMod. Não quero dizer que o Windows não possa ser mais rápido que o Android, mas este não é mais a lesma paralítica que era há anos atrás.

      Quando à loja de apps, se a memória deste velho escriba não falhar, todas as três (Apple, Google e Microsoft) já sofreram com apps fake/maliciosos, isto é algo inerente à tecnologia.

      No mais eu realmente estou torcendo pelo sucesso do Windows 10 Mobile, o mercado mobile precisa de mais players pois está deveras concentrado na Apple e Google. Um grande abraço e obrigado pelo comentário!

      Excluir
    2. Outro grande problema do Android é o Java, veja a diferença brutal de hardware que existe entre os aparelhos Nokia e Microsoft agora com os Android, é berrante. Discordo de você com relação a politica das lojas, uma vez que a Google é bem negligente em relação a isso, muito mais que a Microsoft e que a Apple, dessas a Apple é a mais burocrática, porém provavelmente a que oferece mais qualidade na sua loja.
      Ainda sobre o Java a própria Google sabe a pedra que tem no sapato e está tentando tirar o Java do Android, uma vez que a Oracle é um porre, ambas já tiveram muitos atritos, e que o Java realmente deixa os aparelhos com o tempo mais lerdo, vide o fato que a geração 2 dos Lumia serão atualizados para o Windows 10, com hardware antigo de dois anos atrás, dificilmente aparelhos com hardware dual core e 512 giga de Ram aguentam os novos Androids.

      Excluir
    3. Sobre as lojas:

      http://www.zdnet.com/article/the-microsoft-store-a-wretched-hive-of-scams-and-fake-apps/
      https://blog.kaspersky.com/fraudulent-apps-on-apples-app-store/

      Sobre os aparelhos, exemplares com 512 MB de RAM podem rodar o Android 4.4/5.0 sem maiores dificuldades, o maior problema é a velha e conhecida fragmentação do sistema pela preguiça e falta de respeito dos fabricantes com os seus consumidores.

      Sobre o Java no Android, não tenho conhecimento de causa suficiente para opinar, então desta forma deixo a palava com o Wikipedia:

      "While most Android applications are written in Java-like language, there are many differences between the Java API and the Android API, and Android does not use a Java Virtual Machine but two other ones called either Dalvik or Android Runtime (ART).

      There is no Java Virtual Machine in the Android platform. Java bytecode is not executed. Instead Java classes are compiled into a proprietary bytecode format and run on Dalvik, a specialized virtual machine (VM) designed specifically for Android. Unlike Java VMs, which are stack machines, the Dalvik VM is a register-based architecture."

      Abração!

      Excluir
    4. Ainda não tive a oportunidade de ver o Android 5.0+ num aparelho com 512 MiB de RAM. Até o 4.4, o desempenho era meio capenga com pouca memória. Segundo o Google, o ART é bem melhor do que a Dalvik em todos os aspectos e deve (TM) melhorar o desempenho em aparelhos com pouca memória e/ou CPUs raquíticas.

      Como o Michael comenta, um Android limpo, como o usado nos aparelhos da Motorola, é totalmente diferente de um entupido de porcaria à la Samsung.

      Excluir

Postar um comentário