Manutenção de PCs, uma ciência esotérica

Recentemente recebi no RETROLab o PC de um familiar para manutenção, a princípio apenas com problemas no Windows 7. Porém o diagnóstico e a efetiva resolução do problema foram muito além de uma simples reformatação da partição do sistema operacional e uma nova instalação do Windows, tanto que decidi compartilhar com vocês a experiência, a qual creio que poderá ajudar em situações análogas. Definitivamente, a manutenção de PCs está mais para uma ciência esotérica do que propriamente exata.



O paciente

O PC em questão trata-se de uma configuração básica para Internet e tarefas no Office, consistindo em um Intel Core i3 2100, placa mãe Gigabyte GA-H61M-D2-B3, 4 GB de RAM Kingston DDR3-1333 (dois módulos de 2 GB em dual channel), vídeo Intel HD integrado no processador, disco rígido WD Caviar Green de 1 TB, fonte de alimentação Cooler Master Elite de 350 W e um gabinete ATX genérico. O sistema operacional é o Windows 7 SP1 de 64 bits.

Este PC foi montado por mim em 2012 e vinha funcionando perfeitamente desde então. Recentemente o meu familiar relatou que ele começou a dar erros no Internet Explorer (sim, ele usa IE) e logo pensei que nada que uma instalação limpa do Windows não resolvesse, que muito provavelmente ele havia instalado sem querer algum crapware ou algo similar.

Porém quando o PC finalmente deu entrada no RETROLab e fui testá-lo pela primeira vez, o mesmo não dava nenhum sinal de vida. Nem mesmo a ventoinha do cooler do processador girava! Sinistro!

O paciente

O diagnóstico

Como a fonte de alimentação em questão não conta com PFC ativo, primeiramente olhei a chave de seleção de tensão da mesma que estava na posição correta (no meu caso, 115 V). Isto pode parecer cômico, mas o que já vi de técnicos experientes revirarem o PC para só então descobrirem que a chave seletora de tensão da fonte estava na posição incorreta não está no gibi...

Em seguida, como é de praxe na minha rotina de manutenção, testei a fonte de alimentação com o testador Thermaltake Dr. Power II e ela estava perfeita. Então verifiquei se havia algum mau contato no botão liga-desliga do gabinete, efetuando uma tentativa de ligar o sistema diretamente com uma chave de fenda (fechando um "curto" entre os dois pinos onde é ligado o conector do botão liga-desliga na placa mãe), sem resultados. Tentei então um Clear CMOS mas o sistema continuou mortinho da silva.

Intrigado, removi a placa mãe do gabinete e tentei ligá-la na bancada apenas com o processador e módulos de memória instalados, e nada. Retirei então os dois módulos para uma nova tentativa, na esperança de que o sistema ao menos desse algum sinal de vida (neste caso pelo menos deveria emitir bipes indicando que a RAM não está instalada), sem resultado.

Removi então o cooler e o processador, cuja aparência estava perfeita (assim como a placa mãe, sem qualquer sinal externo de problemas) e o instalei novamente com outro cooler e nada - caso a ventoinha do cooler estivesse com problemas, muitas placas mãe simplesmente não iniciam sem uma leitura da rotação da ventoinha.

Imaginei então que alguma condição ilógica estava impedindo o sistema de iniciar, porém antes de condenar algum componente decidi recorrer a um truque que aprendi nestes vinte anos de experiência na manutenção de PCs. Desconectei todos os componentes e conexões da placa mãe, inclusive o processador e a bateria (pilha), e a deixei em repouso por uma madrugada.

No dia seguinte reconectei os mesmos, cruzei os dedos e liguei o sistema... e não é que inicializou de primeira, como se nada tivesse acontecido? Loucura! Mas como diria aquele velho comercial de TV, não é feitiçaria, é tecnologia! :p

O flash da câmera dá a impressão de que a ventoinha está parada, mas na verdade o sistema encontra-se positivo e operante!


Tecnicamente falando, o repouso totalmente isolado de fontes de tensão fez com que os capacitores da placa mãe descarregassem completamente, o que eliminou qualquer condição ilógica que a impedia de inicializar. Então foi somente reconfigurar o Setup, remontar a placa mãe no gabinete, reinstalar o Windows 7 e correr pro abraço! Fiz também alguns testes de estabilidade e o sistema está perfeito. Mais um cliente feliz!

Veja também:

Comentários

  1. Será que não era mau contato do processador com os contatos do soquete.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até poderia ser, mas teoricamente quando eu removi o cooler (e também o processador) para testar com outro cooler deveria ter voltado a funcionar se fosse um caso de mau contato. Mas vai saber!

      Excluir
  2. Esse macete se for o que eu acho deve ser carga de eletricidade estática acumulada nos capacitores da placa mãe que devem estar interferindo nos circuito primario e nos conjuntos de mosfets. Um macete usado pelo técnicos de eletronica consiste em:

    1- retirar a bateria da bios e dar um "curto circuito" fechando os contatos dos capacitores eletroliticos. Utilize uma chave de fenda pra isso, ou um pedaço de fio para isso - de preferencia encapado, o mesmo fio com as duas pontas desencapadas vc encosta nos contatos dos capacitores.....

    2- como remover os capacitores está fora de cogitação - se não der pra encontrar os pontos de solda deles no lado oposto da placa mãe, dê um "banho" na placa mãe com água e detergente neutro.... deixe secar por uns 2 dias ou utilize um soprador térmico. Já fiz isso mas deixei a placa mãe uns 3 dias secando montada numa bancada em pé e com um ventilador assoprando ar temperatura ambiente nestes 3 dias..... Minha Asus M2nx-plus que vivia travando no boot parou de travar com isso.... os técnicos de eletrônica chamam isso de ESD e fazem um tal de teste de ESD com osciloscópio em laboratório. Muito legal isso.

    Mas acho que deixar sem a bateria que alimenta a bios já resolve, só pode demorar mais tempo pra isso. Também existem ferramentas para descarregar a eletricidade acumulada de capacitores hoje em dia sem fechar o circuito deles bem mais seguras do que fechar "encostar" os polos de um capacitor um no outro.

    ResponderExcluir

Postar um comentário