Diagnosticando problemas com a fonte de alimentação do PC

Quando um PC apresenta um comportamento errático, a hipótese da fonte de alimentação estar com problemas quase sempre é deixada em último plano pelos usuários avançados e mesmo muitos técnicos – geralmente o pobre Windows recebe toda a culpa e o disco rígido é reformatado sem necessidade (e o que é pior, sem resolver a verdadeira causa das falhas verificadas). Problemas com a fonte de alimentação dos PCs são comuns e nesta postagem compartilharei com vocês um pouco da minha rotina de diagnóstico e manutenção de PCs que venho exercendo nos últimos vinte anos. Uma boa leitura!


Recentemente o amigo Rafael Sandim esteve o RetroLab para trocar o gabinete do seu PC principal, bem como também verificar o funcionamento do conjunto pois ele constantemente apresentava resets aleatórios e desligava sozinho. Realizei a troca de gabinete, porém antes de verificar o funcionamento do conjunto resolvi testar a fonte de alimentação, procedimento que faz parte da minha rotina de manutenção. A etiqueta da fonte encontra-se abaixo:



Segundo a etiqueta trata-se de um produto de 600 W com circuito PFC ativo. A marca é desconhecida – pesquisando pelo código SL-8600EPS foi possível descobrir que o verdadeiro fabricante desta fonte é a Solytech. Bastou pluga-la no testador de fontes Thermaltake Dr.Power II para que o aparelho acusasse uma falha em uma das linhas da fonte (note a cor vermelha do visor):



Mais de perto podemos ver que a falha está na linha de 3,3 V:



A análise do conector SATA (que também faz uso da linha de 3,3 V) da mesma forma revelou a falha:



A falha na linha de 3,3 V indica que a tensão fornecida pela fonte nesta linha está fora do intervalo de tolerância previsto pelo padrão ATX (o qual é de até 5% para mais ou para menos). É certo que PCs modernos (desde os processadores Pentium 4 e Athlon 64) utilizam muito mais a linha de 12 V da fonte, porém falhas nas linhas de 5 e 3,3 V também podem acarretar no comportamento relatado (resets e desligamentos aleatórios).

Prosseguindo com o diagnóstico, retirei uma fonte (previamente testada) de um dos meus equipamentos e a operação do PC ocorreu da forma esperada. Como infelizmente eu não tinha nenhuma fonte disponível compatível com o conjunto para emprestar, recomendei ao amigo a compra da confiável e relativamente barata Corsair CX430 de 430 W, a qual é capaz de alimentar o seu velho companheiro Athlon 64 X2 5000+ com sobras.

Concluindo, esta experiência demonstra que possíveis problemas oriundos da fonte de alimentação jamais devem ser negligenciados, e testadores simples como o Thermaltake citado agilizam bastante o diagnóstico, sendo em minha opinião um must have para todos aqueles que realizam manutenção de PCs. Lembro que paguei no meu algo tem torno dos cem reais, valor que considero irrisório perto do tempo que ele me poupa neste tipo de situação.

Em tempo, gostaria ainda de agradecer ao amigo Rafael pela doação do processador Athlon 64 X2 3200+ AM2 e da placa mãe Asus M2N-X... muito obrigado meu velho!

Veja também:

Comentários