O Build 9926 do Windows 10 mostra que o sistema segue no caminho certo

Na última sexta-feira a Microsoft antecipou o lançamento de mais uma versão de testes do novo Windows 10, a qual era ansiosamente aguardada desde novembro do ano passado em função das suas novidades. Confira aqui a análise RETROWARE (voltada aos usuários de mouse e teclado) sobre esta nova versão!



Obtendo e instalando o Build 9926


Da mesma fora como ocorreu com as versões de teste anteriores, o Build 9926 pode ser obtido através do aplicativo PC Settings (Configurações do PC) a partir do Build 9879 – um detalhe é que para a nova versão de testes ser exibida, o 9879 deve estar com todas as atualizações instaladas. A Microsoft também disponibilizou uma imagem ISO da versão atualizada para instalações feitas “do zero” – os procedimentos para a instalação são os mesmos que demonstrei na postagem sobre a primeira versão de testes do Windows 10

Novidades na interface gráfica

Nesta versão é perceptível que a Microsoft está se afastando cada vez mais da interface gráfica do Windows 8.X e buscando uma identidade visual própria para o 10, com um novo design das janelas (e dos botões de fechar, maximizar e minimizar) e também um novo conjunto de ícones. Apesar de algum tempo atrás a empresa ter declarado que estava “estudando com carinho” a possibilidade de trazer de volta os efeitos da interface Aero, infelizmente não foi desta vez que isto ocorreu e não há garantias de que isto virá a ocorrer. Uma pena.



Este novo design também se estende aos aplicativos ModernUI, o que sem dúvida aumenta bastante a consistência entre estes e os softwares desktop clássicos. O aplicativo PC Settings também foi completamente reformulado.



Um detalhe interessante é que aplicativos minimizados (mesmo os que estejam na mesma área de trabalho) ficam agora com um leve realce na sua parte inferior.



A Central de Notificações segue a nova identidade visual.



Também é digno de nota que a tela Opções de Pasta permite agora escolher onde o Windows Explorer será iniciado, algo bastante útil.



O prático menu de contexto surgido com o Windows 8.1 continua.



Menu Iniciar e o modo Continuum

O menu Iniciar também teve algumas pequenas mudanças visuais. Entretanto a sua principal novidade é a integração com o modo Continuum, que neste Build está bem mais maduro e com acesso muito mais simplificado: agora basta clicar no botão que expande o menu Iniciar.



Eis o modo Continuum, feito principalmente para dispositivos híbridos e que neste Build passa a substituir completamente a tela Iniciar surgida com o Windows 8.



Uma vez que o modo Continuum substitui a tela Iniciar, agora não há mais a opção de alternar entre ela e o menu Iniciar, o que realmente seria algo redundante e contribui para aumentar a coerência do sistema.



Cortana, cadê você?

Finalmente a assistente Cortana deu o ar da graça, mas infelizmente neste Build ela só está liberada para os Estados Unidos - mesmo alterando todas as configurações regionais para United States e US-English ela não funciona. Bad, bad girl! 



Uma observação: preferi colocar aqui a tela da Cortana avisando que não está disponível na minha região do que usar a mesma tela do “Hello, Miranda”, exaustivamente copiada por inúmeros sites e blogs brasileiros... :p
This is Sparta!

Não foi desta vez que o novo navegador do Project Spartan deu as caras. Para quem não sabe, o Project Spartan é uma iniciativa surgida na Microsoft para criar um novo motor de renderização (o EdgeHTML) com o objetivo de se livrar de toda a carga de legado do Trident, que é o motor de renderização do Internet Explorer e o qual a Microsoft acredita ser um dos principais responsáveis pela alta rejeição ao navegador. Entretanto o Trident e o Internet Explorer não terão uma morte subida: devido aos inúmeros controles ActiveX utilizados por aí e também os muitos sites feitos nas coxas que só funcionam no Internet Explorer (os chamados “IE only”), o novo navegador alternará de forma transparente entre o EdgeHTML e o Trident conforme a necessidade.

Apesar deste navegador ainda não estar presente, é possível testar o motor EdgeHTML no Internet Explorer 11 do Build 9926: abra o navegador, na barra de endereços digite about:flags e habilite a opção destacada na imagem abaixo. Desta forma, o navegador utilizará por padrão o EdgeHTML mas fará o chaveamento para o Trident de forma transparente sempre que necessário.



Desempenho e compatibilidade com aplicativos

O Build 9926 manteve a boa forma que o Windows 10 vem apresentando desde a sua primeira versão de testes liberada no ano passado. Tanto na minha máquina de testes quanto em uma VM do VirtualBox (muito embora os drivers do pacote de adicionais para o sistema guest deste ainda não são totalmente compatíveis, pelo menos até a versão 4.3.20) o desempenho foi muito bom e sem nenhum problema digno de nota. Do rol de softwares que utilizo no meu dia-a-dia, apenas o Kaspersky Antivírus 2015 continua a não funcionar no Windows 10 de jeito nenhum.



Em tempo, o Visual Basic 6 também continua funcionando a todo vapor! :)



Concluindo, o Build 9926 foi uma grata surpresa e felizmente confirmou que o desenvolvimento do Windows 10 segue nos trilhos, e que muitos dos feedbacks foram considerados. A Microsoft realmente tem um ótimo produto no forno, plenamente capaz de recuperar a imagem do sistema que foi bastante desgastada pelo seu antecessor, ainda mais se considerarmos a possibilidade da atualização gratuita dentro do primeiro ano de lançamento.

Veja também:

Comentários