Meu Mac minha vida

A Apple BR é notória pelos seus preços fora de qualquer realidade. Mas com o Mac Pro ela atingiu um novo patamar!


Estava eu de bobeira e, sem nada melhor para fazer, decidi configurar um ralador de queijo Mac Pro na Apple Store huehueBR até mesmo pois ele ainda não foi migrado para ARM. O resultado é assustador.

Para início de conversa, você deve escolher o modelo: torre ou rack. Usarei aqui o torre que tem um preço “mais camarada”:


Por quase 80 mil bozos você leva a configuração básica, que consiste em um Xeon W de oito núcleos com frequência de 3,5 a 4 GHz, 32 GB de RAM DDR4 (a Apple não especifica a frequência), SSD NVMe de 256 GB e uma placa de vídeo Radeon Pro 580X de 8 GB, que tem o mesmo nível de desempenho da RX 580 tradicional. 

Sinceramente, prefiro mil vezes o meu PC que custou muito menos e é bem mais poderoso, sem falar que vai rodar o Windows 11 que é quase o macOS numa boa! 😂

Resolvi então montar um mais parecido com o meu PC. Assim troquei o processador por um de 16 núcleos, além de 48 GB de RAM (não há opção de 64 GB), SSD de 1 TB e placa de vídeo Radeon Pro W5700X (no mesmo nível da RX 5700 XT): o preço saltou para nada menos do que 120 mil bozos! 😱

Porém o melhor (ou o pior) ainda estava por vir! Chutei o pau da barraca e coloquei “tudo no talo”, com processador de 28 núcleos, 1,5 TB de RAM, SSD de 8 TB e duas Radeon Pro W6900X (equivalente à RX 6900 XT) em um Crossfire maroto. O resultado pode ser visto abaixo (retire as crianças da sala):

Mas calma, o frete é “di grátis” e dá para fazer em 12x no cartão!

Mostrarei agora algumas pérolas desta configuração. A primeira delas é a placa Afterburner que custa R$ 25 mil, a qual conforme a Apple é uma placa dedicada para decodificação de vídeo - assim você poderá assistir vídeos de banheiras de Nutella no YouTube com muito mais desempenho! E não é só isso: as rodinhas para a torre do Mac Pro custam R$ 4 mil...


O combo de um mouse e um trackpad da maçã custa quase 2.900 bozos, e no final o “menos caro” acaba sendo o Final Cut Pro que, justiça seja feita, é um ótimo editor de vídeos.

É amigos, na Bozolândia para ser um entusiasta da Apple você primeiro precisa ser um entusiasta da Apple rico! 🤑


Sim, a pandemia ainda não acabou e há a escassez de semicondutores. O governo do bozo é uma sucessão interminável de crises e o dólar flerta com os seis reais, mas nada justifica o ineditismo da Apple BR de precificar um computador pessoal no mesmo nível de um imóvel. 

Só falta agora lançarem uma linha de crédito do tipo “Meu Mac minha vida”.

Comentários

  1. Caramba! Fiquei empolgado! Será que eles fazem rolo com minha casa e meu carro?
    A Apple não tem intenção de vender no Brasil, tanto é que fecharam a fabrica há um tempo. E nos EUA os preços são razoáveis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na Apple USA o Mac Pro torre básico custa 6 mil bidens. Pela cotação de hoje são 31.380 bozos.

      Descontando a cota de US$ 500, deverá ser declarado US$ 5.500 para a receita. O imposto de importação é de 50% do valor que excede a cota, neste caso seria de US$ 2.750 ou cerca de R$ 14 mil.

      O total ficaria em torno dos 45 mil bozos, pouco mais da metade do cobrado pela Apple huehueBR. Com a diferença dá tranquilamente para comprar passagens para Miami e passar uns dias lá num hotel bacana, e ainda sobraria muito dinheiro. O que ferra é a pandemia.

      Excluir
  2. É mesmo!
    E mesmo a moeda estar proximo a 5 x 1.

    ResponderExcluir
  3. eh eh , melhor eu ficar quietinho aqui com meu Dell T5500, comprado dos recicladores

    ResponderExcluir
  4. Prefiro ficar com meu note de 12GB de RAM! Apple virou sinônimo de status/ostentação e não vejo outro motivo "válido" para comprar hardware deles! Por preços bem mais camaradas é possível comprar um ótimo PC com Windows ou Linux!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Mais lidas da semana

Pentium versus 5x86

O restritivo Windows 11

Microsoft Batch 98