A falta de inovações do Windows 11

Passados dois meses do início do Windows Insider e após algumas compilações de testes, a falta de inovações do Windows 11 torna-se evidente.


Desde a primeira compilação que vazou até a última oficial (a qual na presente data é a 22000.168), basicamente as novidades do Windows 11 são a barra de tarefas a lá Mac OS, as janelas com cantos arredondados, o “novo” menu Iniciar e algumas aplicações atualizadas, como o terminal de comandos em modo texto.

O menu Iniciar é o que mais está rendendo polêmicas, com muitos testadores não remunerados da Microsoft participantes do Windows Insider (incluindo este que vos escreve) solicitando que o campo “Recomendações” possa ser ocultado, e que o menu tenha a opção de trazer todas as aplicações sem precisar do desnecessário clique no botão “Todos os aplicativos”.

Seria este retângulo vazio o novo menu Iniciar?

Além da falta de inovações, há outros aspectos em que o sistema regrediu em relação ao antecessor Windows 10: um exemplo é a barra de tarefas, que não pode mais ser reposicionada em diferentes posições da tela como as laterais e a parte superior.

Falando no Windows 10, a diferença do ciclo de desenvolvimento é brutal. Avaliei o sistema desde a primeira compilação de testes lançada em outubro de 2014 (o tempo voa!) e cada nova compilação trazia novidades bastante relevantes, muitas delas sugeridas pelos testadores. Que diferença!

Como a Microsoft planeja lançar o novo Windows no começo de 2022 já em outubro, há pouco tempo para implementar recursos que realmente façam jus à mudança de versão – mudança esta que parece ser mais para remover suporte às tecnologias de legado (como firmwares que não sejam UEFI) sem sofrer demandas judiciais. 

Intel de sétima geração

Igualmente polêmico são os requisitos de sistema do novo Windows. A empresa decidiu agora incluir os processadores Core de sétima geração no rol dos chips oficialmente suportados, mas infelizmente os Ryzen de primeira geração não foram contemplados. Duh.

Imagem ISO oficial

Nesta semana a Microsoft finalmente lançou um ISO oficial do Windows 11. Será útil para testar a compatibilidade com os cacarecos antigos.

Comentários

  1. W11 = W10 22H1
    A Falta de inovação é simples, depois que a MS deixou de lucrar com o software depois do W10 (MS e Apple sofreram o baque do efeito Android na década passada), diminuir a quantidade de beta testers remunerados pra transferir a carga de trabalho pro Windows Insider (famoso beta testers não remunerados), a ordem é evolução, e não revolução, MS ja pagou caro ao tentar reinventar a roda no Windows 8, nada de correr riscos e perder mais dinheiro do que perdeu ao tornar o Windows ''gratuito'' (paga somente uma vez, atualizações ''vitalicias'').

    Tambem enxergo como um acerto, o nome W11 é uma questão de marketing, ele vai ser muito mais semelhante ao W10 do que muitos imaginaram, enxergo as mudanças como mais cosméticas, ja que nesses quase 7 anos de W10, ano a ano o sistema vem atualizando 2x por ano, isso vai mudar pra apenas 1x ao ano, igual ao Android e Mac Os, mudar uma base que se tornou a mais utilizada do mundo para correr riscos novamente como em 2012, nunca mais. Quem ja usa o W10 vai sentir diferença quase zero ao usar o W11 a nivel de desempenho.

    Como obviamente, empresa não tem coração, tem CNPJ, MS vai colocar bloqueios artificias pra forçar o povo a comprar novos equipamentos, afinal, ela só ganha dinheiro ao vender novas licenças, e não atualizando os ja existentes, W10 roda até em Core 2 Duo e AMD Athlon X2/Phenom (com perda pequena de desempenho, mas roda normal), o W11 rodaria tbm, porem, Tio Bill não quer que você use a 10° Geração do Windows NT originário dos anos 80 no seu singelo PC de 10 anos atrás (mesmo rodando). Olha o TPM 2.0 entrando na Sapucaí gente!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o Windows 10 tem tudo para ser o novo Windows 7. Não seria uma surpresa se o suporte dele for estendido para além de 2025, o que deve ter de empresa cheia de cacarecos por aí não está no gibi.

      Excluir
    2. Só irei atualizar (comprar um PC novo) meu PC pro W11 quando o 10 perder totalmente o suporte, meu Xeon 1230 V2 é considerado pré histórico pra rodar o excelentíssimo e novíssimo sistema, e o meu PC roda tão bem o W10 que vai demorar pra trocar ele, nessa crise toda nem o primeiro mundo está trocando ou fazendo upgrade todo ano!

      Espero que até 2025, as distros Linux estejam mais evoluídas a ponto de largar o Windows como sistema únicamente principal, esto apaixonado pelo Zorin OS (no qual o W11 se inspirou fortemente no visual)

      Excluir
  2. De todos os PCs que tenho acho que só um será compatível com o Win 11, porém ainda não tenho certeza se quero atualizar logo no lançamento! Quando vencer o suporte do Windows 10 formatarei as demais máquinas (que tem dual boot) e deixarei só Linux nelas para continuar usando os PCs... A Microsoft até dá um tempo bom de suporte ao Windows (10 anos); mas, como foi dito acima pelo outro usuário, precisa lançar novos sistemas para ganhar mais dinheiro e fazer com que os parceiros vendam Hardware novo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu atualizei o Windows no lançamento duas vezes. Para o Windows 7 (estava de saco cheio do XP e o Vista era uma josta na época) foi bem de boa.

      Já para o Windows 10 foi uma dor de cabeça, pela quantidade de bugs que ele tinha no lançamento. Em PCs de produção recomendo esperar pelo menos uns seis meses para atualizar para o 11.

      Excluir
  3. Eu fiz teste nas 5 máquinas daqui de casa: O Meu (Xeon 1230 v2), do meu irmão (Pentium Gold 8°Geração), dos meus pais (Pentium Dual Core 3° geração - Overclock) e em 2 máquinas que estão paradas (Pentium Dual Core 2° Geração e Celeron da mesma época, ambos em overclock).

    Os 2 primeiros rodam o W10 perfeitamente, até com HD Mecânico eles voam, principalmente na última build 21H1.
    Os 3 Últimos só testei até a build 1809, com Overclock eles rodaram o W10 igual ao W7, sem nenhum problemas de desempenho, testarei com a última build, lembrando que são chips de entrada de 10 anos atras

    Testei tbm anos atrás as primeiras
    builds em um Core 2 Duo já falecido, rodava bem tbm.

    Ou seja, o W10 atualmente está bastante estável e roda SIM em máquinas mais antigas com quase o mesmo desempenho do W7, se pegar a versão LTSB/LTSC, o desempenho será igual ou melhor que o W7.

    Como o W11 vai usar a mesma base do W10 com pouquíssimas adições, este tbm rodaria em máquinas antigas, aliás, já burlalam o chip TPM, o resto é fichinha.
    Lembrando que desde o Windows Vista, a MS usa praticamente a mesma plataforma base, mudando apenas os cacarecos de apps e mudanças visuais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os chips mais antigos em que já testei o 10 foram os Core 2 Quad Q9450 e Q6600, foram bem de boa. Vou testar em outros assim que puder.

      Excluir
  4. A única "inovação" que percebi no Windows 11 é que NÂO poderá ser instalado na maioria dos PCs em uso atualmente pela população.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como eu tinha falado anteriormente, o W11 poderia facilmente ser o W10 22H1, nada de novo, apenas updates que seriam facilmente adotadas numa build nova do W10

      Não há necessidade nem pressa em atualizar, atualizações das versões normais vai até 2025 (LTSC até 2029). Obviamente o update gratuito é pra ter um market share inflado para fins de divulgação do sistema, ja que em pleno 2021 ninguém vai pagar pra atualizar o sistema, tudo isso aconteceu graças ao Android.

      Sobre o TPM, apenas bloqueios artificiais para a MS e seus parceiros ganhar algum trocado com licenças novas, porém já foi facilmente burlado.

      Como o Rigo falou, o W10 vai virar o novo W7, apenas por causa desses bloqueios forçados, e tenho certeza que o W11 vai ter dificuldades de emplacar fora do update gratuito, estamos numa crise sem precedentes no campo da tecnologia, ninguém vai correr nesse momento pra comprar novos PCs só por causa do W11


      Excluir

Postar um comentário

Mais lidas da semana

Pentium versus 5x86

O restritivo Windows 11

Microsoft Batch 98