A batalha dos DX4

Os processadores DX4 foram o topo de linha na era dos 486. Dentre a peleja dos fabricantes, qual deles é o melhor? A resposta está aqui!



Os concorrentes

Antes dos resultados propriamente ditos, mostrarei os detalhes dos processadores concorrentes. Todos os testes foram feitos com base na plataforma Retro Cobaias #2 (basicamente, placa-mãe PCChips M919, 32 MB de RAM e disco rígido Seagate Medalist de 4,3 GB) em conjunto com a placa de vídeo 3dfx Voodoo4 4500 e o sistema operacional Windows 98 SE.

Intel

Este foi o último chip da classe 486 lançado pela Intel. Conta com 16 KB de cache L1 e litografia de 0,6 mícron ou 600 nm.


AMD

Apesar de eu não ter no laboratório um AMD DX4, pude simular um a partir do 5x86 (AMD X5) reduzindo o multiplicador dos 4 originais para 3. Esta simulação é possível pois a microarquitetura de ambos os chips é a mesma.

A litografia é a melhor dentre os concorrentes, sendo de 0,35 mícron ou 350 nm.


Cyrix 5x86

Este é um chip único, pois traz uma microarquitetura diferenciada dos demais: na verdade ele é um Cyrix 6x86 com a pinagem do soquete 3. Conta com litografia de 0,65 mícron ou 650 nm, e 16 KB de cache L1.


Sendo um derivado do 6x86, o 5x86 traz recursos avançados como o Linear Burst que otimiza o acesso aos caches L1 e L2. Para usar o recurso é preciso que o chipset da placa-mãe tenha suporte, que felizmente é o caso do UMC 8881F da PCChips M919. O mesmo deve ser habilitado no setup:


Outra curiosidade do 5x86 é o fato dele trazer a marca IBM. A Cyrix nunca teve fábricas próprias e fornecia os seus projetos para serem fabricados por terceiros como a IBM, que vendia parte dos processadores produzidos sob a sua marca.

Cyrix

Este é o DX4 tradicional da Cyrix, com a microarquitetura padrão 486 feita por engenharia reversa a partir do projeto da Intel. Conta com litografia de 0,65 mícron ou 650 nm, e apenas 8 KB de cache L1 (o menor dentre os processadores avaliados).


Resultados

Após horas de testes, troca de processadores e ajuste de jumpers, os resultados estão no gráfico abaixo. O Cyrix 5x86 mostrou a força da sua microarquitetura e liderou quase todos os ensaios.

Também chama a atenção o bom resultado dos Cyrix nos testes de ponto flutuante do CPU-Z e do Sandra 99. Vale lembrar que na era dos 386 a empresa produzia os melhores coprocessadores aritméticos do mercado (os Cyrix FasMath) e trouxe este know-how para os seus chips 486.



A média dos resultados mostra o domínio do Cyrix 5x86. O tão badalado (e caro na época) Intel ficou em terceiro lugar, apenas ligeiramente à frente do Cyrix DX4 que conta com metade do cache L1 e era muito mais barato.


Vale lembrar que os resultados de todos os processadores testados pelo blog está aqui.

Tentativa de overclock

Em todos os processadores tentei aumentar a frequência do barramento frontal para 40 MHz, sem alterar a tensão de alimentação (não há motivo para torturar chips clássicos como estes). O único que conseguiu carregar o sistema operacional foi o Cyrix DX4, que entretanto travou no Quake.


O Intel congelou durante o POST e o Cyrix 5x86 deu tela preta. O AMD não entra aqui pois ele originalmente é um chip de 133 MHz, como expliquei acima.

Até a próxima!

Comentários

Postar um comentário

Mais lidas da semana