Avenger PC (Parte 3 – Over & Benchs)

Será que realmente os processadores Intel conseguem chegar aos 5 GHz com facilidade? Veja a resposta aqui!


Caso você ainda não tenha visto, a seleção dos componentes do Avenger PC está na primeira parte desta série, enquanto a montagem e configuração estão na segunda. 👍

Indo direto ao ponto, a resposta é sim! E é muito fácil: basta entrar no setup da placa-mãe, alterar o multiplicador para 50, salvar e sair. Nem com a tensão de alimentação é preciso mexer! Esta é a única relativa vantagem dos processadores Intel hoje em dia.


A maior dificuldade nesta operação passa a ser a temperatura: mesmo com um watercooler (vale lembrar que o Avenger PC usa o Corsair H100i) as temperaturas ficam relativamente elevadas, embora ainda dentro da margem de segurança estipulado pelo fabricante. 

Note que a dissipação de potência superou os 140 W, e isto com “apenas” seis núcleos. A litografia de 14 nm++++++++++++++++++++++++++++ da Intel manda lembranças! 🔥


Conforme a nova metodologia de testes do blog, os ganhos com o overclock em média foram de 7%, com os melhores resultados sendo no CPU-Z Multi Thread, Cinebench R20 (ambos com 13% a mais) e no V-Ray (+ 12%). Os comparativos com os demais processadores testados pelo blog estão aqui.


Concluindo, em face aos aumentos de preços dos processadores Zen 3 até que os Intel de décima geração (a última geração é totalmente irrelevante) ganharam um custo x benefício razoável, em que pese a sua defasada litografia, alto TDP e a falta de suporte ao PCIE 4.0, o que não faz a mínima diferença para a maioria.

Vale destacar que isto pode mudar de uma hora para outra pela alta volatilidade dos preços, tendo em vista o cenário de pandemia e o descontrole cambial aqui da Bozolândia. 

Comentários

Mais lidas da semana

Pentium versus 5x86

O restritivo Windows 11

Microsoft Batch 98