Ray Tracing nas GeForce GTX: resultados decepcionantes

Saíram os primeiros resultados do Ray Tracing rodando nas GeForce GTX tradicionais e, como era esperado, eles não foram nada animadores.


Os testes foram feitos pela própria Nvidia, e reproduzirei aqui os resultados que considerei mais relevantes, que foram os obtidos nos únicos três jogos que suportam a tecnologia DXR (DirectX Ray Tracing) do DirectX 12. Vale lembrar que nas placas GTX o processamento do Ray Tracing é feito pelos núcleos responsáveis pelos shaders, uma vez que não há núcleos dedicados (os RT Cores) para a tarefa.

No Battlefield V, que aplica o RT apenas para reflexos, mesmo uma parruda 1080 Ti conseguiu apenas 30 FPS em 1440p:


No Shadows Of The Tomb Raider, que aplica o RT para sombras, o nível de desempenho foi o mesmo:


Já no Metro Exodus, que usa o RT de iluminação total e assim é bem mais exigente, a 1080 Ti mal conseguiu 20 FPS em 1440p. Wow! Provavelmente, se for reduzida a qualidade gráfica (o teste foi feito no Ultra) deverá ser possível chegar próximo dos 30 FPS, um nível de desempenho console like, como cravei na postagem em que noticiei a novidade


Sem dúvida o Ray Tracing ainda é uma tecnologia que tem um longo caminho de desenvolvimento pela frente, tanto no suporte dos produtores de jogos quanto pelos drivers da própria Nvidia. Será interessante ver também testes de outros laboratórios, inclusive nas GPUs da AMD como a Radeon VII, que também seriam compatíveis com o DXR do DirectX 12 mesmo não tendo hardware dedicado, assim como as GTX.

Por fim, pegando um gancho no assunto, informo que os meus testes próprios com a GeForce RTX 2080 Ti estão quase prontos, devo publicá-los na semana que vem. Aguardem! 😉

Fonte e imagens: Nvidia.

Comentários