Core i9 9900K, um péssimo custo x benefício

O primeiro processador mainstream da Intel com oito núcleos inegavelmente é um bom produto. Mas segue a tradição da companhia de oferecer um péssimo custo x benefício.


Como eu sempre costumo fazer, tomo como referência o ótimo teste do Clube do Hardware com o Core i9 9900K, que é um dos únicos sites de hardware no qual eu realmente confio. Para verificar a viabilidade financeira do Core i9 9900K resolvi fazer uma média da diferença de desempenho verificada em relação ao Ryzen 7 2700X nos diversos ensaios do teste, e comparar esta média com a diferença do preço entre os dois.

Pois bem, conforme os meus cálculos a média da diferença de desempenho entre o 9900K e o 2700X foi na casa dos 18% em favor do primeiro, enquanto que a diferença de preço nos EUA levantada pelo Clube do Hardware foi de nada menos do que 80%! Wow! Imaginem como será aqui? 😱

Também é digno de nota que as maiores diferenças de desempenho foram verificadas nos testes que usam uma única thread, cenário onde a maior frequência máxima do 9900K (5 GHz contra 4,3 GHz do 2700X) certamente favoreceu o processador da Intel. Se fosse feita uma comparação com ambos os processadores travados na mesma frequência, ouso dizer que a diferença de desempenho seria irrisória.

Não estou afirmando que o Core i9 9900K é um produto ruim, de forma alguma. Porém dado o seu preço, ele inegavelmente tem um péssimo custo x benefício, talvez um dos piores que eu já vi no mercado de processadores x86 – um exemplo histórico de custo x benefício ruim foi o do Pentium 4 Willamette em comparação com o Athlon Thunderbird, com a diferença de que o primeiro Pentium 4 de fato não era um bom produto, sem falar que ele ainda exigia as caras e exóticas memórias Rambus, lembram-se?

Voltando à 2018, não consigo imaginar um cenário para recomendar a compra do 9900K, salvo se você felizmente limpar a bunda com notas de cem e quiser montar o “PC ostentação para jogos”: junte o 9900K com um SLI de GeForce RTX 2080 Ti e seja feliz! Ao contrário do que prega a falsa humildade esquerdista, ser rico não é crime e todos podem fazer o que bem entenderem com o próprio dinheiro, desde que seja de origem lícita. 😉

Porém, aos demais mortais que procuram um processador que seja “pau para toda obra” e que não custe uma obscenidade, os Ryzen 7 são opções imbatíveis, e não digo apenas sobre o 2700X: incluo também na lista o 2700 normal e os de primeira geração, que podem ser encontrados em boas promoções mesmo no varejo brasileiro. Sem falar que placas-mãe intermediárias baseadas nos chipsets B350 e B450 podem ser encontradas a preços bem razoáveis, como essa aqui.

Os Ryzen 7 são os reis do custo x benefício

Finalizando, este comparativo também mostrou que o IPC dos Ryzen está praticamente no mesmo nível dos Core, que levam vantagem mais pelas frequências de operação maiores. E para aumentar ainda mais o desespero da Intel, os Zen 2 vem aí! 😈

Comentários

  1. A AMD está fazendo direitinho a lição de casa. Palmas para ela.
    Já a Intel ainda parece estar incrédula que a sua eterna concorrente não está mais dormindo no ponto e insiste em ficar blefando na sua posição de líder do mercado. Trágico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A AMD voltou à boa fase, como a que tinha na época do Athlon Thunderbird, Athlon XP e Athlon 64. O mercado agradece, monopólio não é bom para ninguém!

      Excluir
  2. 😳 Dei uma olhadinha na amazom, e o preço varia de 700 a 800 dolares.
    Que bom!!!
    Agora sim a AMD vai vender adoidado, embora tem aqueles que só confiam no nome intel. Deixa eles encherem os cofres da intel.
    Eu pessoalmente acho que hoje em dia os computadores são hiperdimencionados. Muito poucas pessoas necessitam de tanto poder de processamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os PCs tendem a tornarem-se cada vez mais equipamentos de nicho, justamente por oferecerem um maior poder de processamento. Acho que hoje em dia ninguém é louco o bastante para comprar um PC desktop apenas para acessar o feice e o youtube.

      Mas, de fato, não são todos que precisam de um processador de oito núcleos, ainda mais se ele for tão caro como o 9900K.

      Excluir

Postar um comentário