Montando o meu próprio clone do IBM PC/AT

Uma das chaves do sucesso do padrão PC é o fato de ser um formato aberto, o que permite que qualquer um faça um clone. Pois bem, decidi fazer o meu próprio clone do clássico PC/AT.


Sem dúvida o desejo de muitos entusiastas de hardware antigo é ter as primeiras máquinas IBM “em pessoa”. Mas como vivemos em um simulacro de país sério que até pouco tempo atrás tinha uma aberração chamada de Política Nacional de Informática (popularmente conhecida como Reserva de Mercado), encontrar tais preciosidades aqui não é fácil. E quando encontra-se, custam uma pequena fortuna.

O IBM PC/AT

Assim o que me resta é fazer um clone, como tantos fabricantes fizeram na década de 1980. A inspiração para isto surgiu quando eu obtive este gabinete, que tem algumas semelhanças com o original da IBM:




Sujeira básica:


Os conectores do painel frontal não tem nenhuma identificação. Terei que seguir os fios um a um para saber a finalidade de cada conector.


Depois de muito álcool e paciência, eis o resultado: 




Componentes e Montagem

Com a placa-mãe PC-Chips M-216A montada, que inclui o processador Harris 80286 de 25 MHz e 640 KB de RAM em chips no formato DIP.


Utilizarei a clássica placa de vídeo WDC Paradise ISA, que conta com 768 KB de VRAM – um espanto para a época!


Aqui já estão instalados o coprocessador aritmético Intel 80287XL, a placa de vídeo e a fonte de alimentação, uma AT genérica de 250 W (na etiqueta):


Hora de testar o funcionamento. Deu vídeo de primeira! 😁

As mensagens de erro exibidas devem-se ao fato de a placa controladora de I/O ainda não estar instalada.


Bora prosseguir com a montagem! Como placa controladora de I/O utilizarei esta baseada no chip Winbond W83757F, que oferece uma porta IDE, uma de disquete, uma Game/MIDI, uma paralela e duas seriais:


Como unidade de armazenamento será aplicado este lindo disco rígido IBM de 171 MB:



Montagem finalizada:


Ao menos inicialmente utilizarei um emulador de disquetes USB, de modo a agilizar a instalação dos sistemas operacionais:


Configurando o Setup

A capacidade do disco rígido deve ser informada manualmente e é calculada a partir do número de cilindros, cabeças e setores. E sim, a data está atrasada… 😃


Sempre é bom reforçar que as opções presentes no menu Hard Disk Utility destes Setups antigos podem ser aplicadas apenas em conjunto com os discos rígidos MFM ou RLL, se forem usadas em conjunto com um IDE o mesmo poderá ficar inutilizado! 😱

Isto ocorre pois esta "formatação de baixo nível" acaba apagando também as informações de controle presente nas mídias magnéticas dos discos IDE.

Jamais use esta função com um disco rígido IDE!

Habilitando a verificação do coprocessador aritmético (opção "Numeric Processor Test"):


Iniciando os trabalhos, o ponto de partida é o MS-DOS 6.22:


Aguardem as próximas atualizações! 😉

Comentários

  1. Um clone bonito. Difícil é encontrar uma fonte condizente. Eu tenho um gabinete destes e estou tentando restaurar a fonte em si, que não funciona. Mas vai ser um trabalho de engenharia reversa que me comerá umas boas semanas de trabalho e uns bons anos de saúde... Alternativa mais fácil seria adaptar a placa de uma fonte AT mais moderna na fonte do XT e pronto, mas não seria ético hehehe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente o espaço da fonte é um problema. Estava pensando em fazer uma chapa adaptadora para não deixar o buraco aberto, pena que não tenho muitas ferramentas de metalurgia a disposição.

      Excluir
  2. Em tempo: não seria prudente sacar aquela bateria da placa mãe?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A bateria é nova. Ao menor sinal de vazamento será trocada.

      Excluir
    2. Uma coisa interessante que tenho feito é separar a bateria da placa mãe, ligando com um cabinho e prendendo na parede do gabinete. Assim, se ela resolver vazar, não danifica a placa. Abraço!

      Excluir
    3. Outra alternativa é usar uma CR2032 normal em conjunto com um diodo: http://www.michaelrigo.com/2015/11/perigo-baterias-ni-cd2.html

      Excluir
  3. Acho que o gabinete merecia um banho com água oxigenada para deixa-lo mais branco. Só uma sugestão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que eu acho que o amarelado é um charme... tipo cabelo grisalho! kkkk

      Excluir
  4. 768 kb de memória de vídeo para aquela época era algo alienígena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida. Era quase como ter 16 GB de VRAM hoje em dia.

      Excluir

Postar um comentário