Projeto RETRO Server

Depois de anos de bons serviços prestados, o bravo servidor Windows Server 2012 R2 foi descomissionado para atuar em outra tarefa não menos nobre (mais detalhes em breve!). Para o seu lugar decidi montar um servidor bem mais ao estilo RETRO, aproveitando sobras de peças. Confira aqui o nascimento do mais novo Frankenstein feito com hardware 100% reaproveitado.


Propósitos e necessidades

O RETRO Server tinha a difícil missão de atender a duas premissas que em um primeiro momento parecem conflitantes: ser feito com peças reaproveitadas porém sem ser completamente obsoleto, de modo a rodar com uma performance mínima a última versão estável do sistema operacional escolhido, o Debian Linux. Também por questão de performance não será instalada qualquer interface gráfica no servidor, sendo o seu gerenciamento feito completamente via SSH e linha de comando. As funcionalidades mínimas pretendidas para o servidor são:

  • DHCP;
  • Cache Web (Squid);
  • Cache DNS (Bind).

Com estes serviços tenho o objetivo de otimizar o uso da minha conexão ADSF (Assimetria Determinada pelo Sinal de Fumaça) de míseros 10 Mb.


O processador

Primeiramente pensei em utilizar um Pentium 4 (tenho vários deles no laboratório), porém logo mudei de ideia pelo mesmo ser baseado na ineficiente arquitetura Netburst: esquentadinho e voraz consumidor de eletricidade, demandaria uma respeitável solução de refrigeração e não seria nada amistoso com a minha conta de luz. Enquanto pensava em um substituto, encontrei esquecido no canto do armário um singelo processador Celeron 430. Eureca! Este Celeron já é baseado na moderna arquitetura Core (TDP de apenas 35 W!), conta com instruções AMD64 e apesar de ter somente um núcleo rodando a “apenas” 1,8 GHz, bate facilmente os Pentium 4 pela grande eficiência da arquitetura - o seu IPC (Instruções Por Ciclo) é bastante superior. Ei-lo:



As características básicas do Celeron 430 são as seguintes (mais detalhes aqui):

  • Frequência de 1,8 GHz (800 MHz no FSB);
  • Cache L2 de 512 KB;
  • Instruções AMD64;
  • TDP de 35 W;
  • Litografia de 65 nm;
  • Preço de lançamento: 37 obamas (LOL).

Ainda tenho a caixa do processador, guardo sempre as embalagens de todo o hardware que compro ou recebo de doação. Nem preciso dizer que a minha mulher adora...



As especificações presentes na caixa:



Se suporta o Windows Vista, é capaz de rodar sem problema de performance qualquer sistema operacional do universo! :p



Placa mãe

Para a empreitada selecionei uma MSI P35 Neo que tenho guardada aqui em estado de nova, na caixa com manual e espelho traseiro. Uma joia!



A placa conta com o chipset Intel P35 + ICH9 (suportando FSB de até 1333 MHz), com quatro slots para memória DDR2-667/800, um slot PCIE x16 1.1, três PCIE x1 e dois PCI tradicionais, além de quatro portas SATA-300. O PCB na cor vermelha é muito bonito.



O painel traseiro conta com duas portas PS/2 para mouse e teclado, serial, paralela, quatro USB 2.0, seis conectores de áudio analógico e uma porta Gigabit Ethernet controlada pelo chip Realtek RTL8111B.



Placa de vídeo

Como a MSI P35 Neo não conta com vídeo integrado, utilizarei esta GeForce 7200 GS da Foxconn com refrigeração passiva. Era a mesma placa que utilizava no servidor Windows.



RAM

Como memória principal será empregado um único módulo Markvision DDR2-667 de 1 GB que estava sobrando por aqui. Para um Debian em modo texto e pela utilização prevista não é necessário mais do que 1 GB, e tampouco o modo dual channel fará qualquer diferença.



Disco rígido

Utilizarei esta unidade Fujitsu de 2,5” e 160 GB, com rotação de 5.400 RPM - como não será um servidor de arquivos ou de backup não é necessário mais do que isto. Este era o disco original do meu MacBook, que agora está com um SSD. Curiosamente este disco continuará rodando um sistema operacional Unix-like. :-)



O teste de bancada

Eis o sistema montado para testes em bancada. Complementa o conjunto uma fonte Cooler Master de 550 W e uma unidade óptica para abrir o DVD de instalação do Debian 8.3 de 64 bits.



Tudo positivo e operante! Eis o programa Setup com as informações do Celeron 430:



A tela de configurações avançadas. Ficará tudo no default, visto que a principal premissa é estabilidade.



Iniciando a instalação do Debian:



O gabinete

Enquanto o Debian é instalado vamos dar um trato no gabinete, este humilde modelo ATX sem marca que há muito estava esquecido. Agora ele terá uma nobre função.



Ele está com muito pó, teias de aranha e ferrugem em alguns pontos. Vamos resolver isto.



Primeiro tirei o grosso da sujeira com um aspirador e para o restante utilizei um pano com álcool. Como disse a minha filha, a dona aranha terá que procurar uma nova casa.



Para lidar com a ferrugem utilizei este produto convertedor, que transforma a ferrugem em um fundo para pintura.



Para a aplicação utilizei uma escova de dente velha. Reações químicas transformam a ferrugem em um fundo (na cor escura) para a aplicação de tinta - como não irei pintar o gabinete e somente queria remover a ferrugem, após a secagem da segunda demão o gabinete está pronto para a montagem. Todo o processo levou cerca de duas horas.



A montagem

Aqui a placa mãe já está devidamente posicionada:



Neste modelo de gabinete a fonte fica bem em cima do processador, felizmente o Celeron 430 esquenta muito pouco (com um Pentium 4 seria um problema). A seta indica o único parafuso de fixação do disco rígido de 2,5” em uma baia de 3,5”, o que não é um grande problema pois este disco é muito leve.



Por fim, a montagem final. O gabinete veio sem as tampas das baias frontais então eu tive que fazer algumas adaptações, o que é melhor do que deixar tudo aberto.

RETRO Server powered by Debian


Terminamos aqui a montagem física do nosso simpático RETRO Server. Mais hardware antigo executando uma nobre missão!

Para as próximas partes estou pensando em mostrar como configurar o Debian para as funcionalidades esperadas, nos mesmos moldes que fiz para o Windows Server 2012 R2. O que acham?

Veja também:

Comentários

  1. você não poderia estar usando esta placa mãe da MSI no seu pc de testes, em vez de comprar aquela da Asrock, visto que ambas são para intel soquete 775?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A AsRock tem alguns recursos a mais como o suporte a memórias DDR3. Vou reservá-la para projetos futuros, os quais serão informados em momento oportuno.

      Excluir
  2. eu já usei um celeron 430 destes numa máquina de um amigo meu que eu formatei e instalei o windows 8,1 de 64 bits pra ele, numa placa mãe da foxconn com o mesmo chipset desta msi, 1 giga de ram ddr2 de 800mhz da kingston, vídeo onboard, hd ide samsung nacional de uns 160 giga, de 5400 rpm eu acho.... o uso do processador ficava em quase 100% o tempo todo mas até dava pra usar. Mas não dava pra desfragmentar o hd nem ferrando - travava tudo.... tive que configurar o windows 8,1 para melhor desempenho em vez de deixar para o windows escolher a melhor opção. Sei lá, achei este celeron 430 no mínimo estranho... Leve para algumas coisas, responde rápido para outras coisas porém muito pesado pra fazer coisas simples - abrir o excel no office 2013 por exemplo.... mas gostei do seu site de blog - estou acompanhando direto.

    ResponderExcluir
  3. acho estranho vc mencionar que este celeron 430 é superior aos pentium 4 e ao seu core do 2 quad no que diz ao IPC.... deve aguentar o vista e o seven, não sei como ficaria no windows 10 mas para o 8,1 eu não recomendaria este processador não, não espere muito dele com windows 8....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não me lembro de ter afirmado que o Celeron 430 é superior ao Core 2 Quad em IPC...

      Excluir
  4. Que bom que encontrei alguém que pensa como eu. Sempre achei este Celeron 430 muito estranho mesmo. Mas um tio meu conseguiu rodar o Windows 10 nele, poe meu core2quad no chinelo. Você pode me explicar como fez pra instalar no windows 8.1? Não consegui fazer funcionar =/ Qual seu e-mail?

    Laura Pacheco


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Galera, vamos com calma! :p
      Não dá para comparar a performance do processador no Windows 8.X e 10 com um Debian em modo texto - mesmo com um simples Celeron 430 e HD de 5.400 RPM o boot dele é quase instantâneo. Diria que é até mais rápido do que o boot do Windows 7 no meu Core i7 com dois SSDs em RAID 0.

      Porém não duvido que dê para rodar de forma satisfatória o Celeron 430 no Windows 10/8.X bem configuradinho, sem falar que este processador aguenta um overclock bem razoável sem mexer no Vcore.

      Excluir
  5. O problema desse Celeron é não possuir SpeedStep. Com a inflação brutal do preço da energia, um Pentium ou C2D qualquer (preferencialmente os 45 nm) ficam melhores. Estou seriamente pensando em aposentar meu NAS caseiro com C2D por causa do consumo elétrico. Como NAS verdadeiros, daqueles que usam SoC ARM, custam um absurdo aqui (novidade!), acho que a alternativa é achar uma placa com SoC Atom da série C2000 (arquitetura Silvermont, bem superior à Bonnell da série S1000). Algo como os modelos da Supermicro:

    http://www.supermicro.com/products/nfo/atom.cfm#MB

    Esses SoC em repouso devem consumir quase nada.

    Porém é hardware difícil de achar aqui e que chegará custando uma banana de dinheiro. :-(

    Outra saída é recorrer aos modelos com Celeron J1900 onboard. Não teria a confiabilidade das placas da Supermicro, e o TDP é um pouco maior, mas dá para encarar o preço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Celeron 430 roda a apenas 1,8 GHz. Se tivesse o recurso SpeedStep que reduzisse a sua frequência para, digamos, 900 MHz, a diferença na conta de luz seria irrisória. Ainda mais que dá para colocar o VCore dele em 1,25 V sem problema de estabilidade.

      Excluir
    2. É que estou paranoico com consumo de energia. :-p

      Excluir
    3. Não é para menos, tendo em vista o custo da energia elétrica. :-)
      Digamos que a "versão 2.0" do RETRO Server virá com novidades interessantes...

      Excluir
  6. Bom, na minha opinião eu escolheria uma placa mãe com vídeo onboard, o consumo de uma placa de vídeo destas para um servidor modo texto não faz sentido, e um desperdício.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida que com vídeo onboard seria melhor, porém essa era a única placa soquete 775 funcional que eu tinha disponível no momento. Vou ver se faço algumas realocações nas minhas máquinas aqui e pegue uma placa com vídeo integrado para o servidor.

      Excluir
  7. Rigo, o que é aquela "hierarquia militar", no lado direito da segunda imagem do setup de placa?

    ResponderExcluir
  8. Anônimo/ Laura Pacheco, fiz a instalação do windows 8,1 normal, do zero, boot via DVD de instalação do windows - igual windows 7, 10, vista, XP.... Tudo normal, nada de diferente. Instalou tudo na boa. Só o windows update que demorou - levou cerca de 12 horas para baixar e instalar todas as atualizações, sendo 4 horas de download e 8 horas de instalações. Agora é windows 8,1 update 1 - aquele que aparece o ícone da Microsoft Store na barra do menu iniciar.... Minha conexão de internet é da Vivo Fibra - fibra óptica de 50 megas por segundo máxima teórica - deve chegar a uns 25, 28 mbps reais....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi,

      A internet da vivo é muito boa mesmo, né? Também tenho. Mas a minha é de 200Mega com IP Fixo. Consegui uma promoção de R$ 309,90 por R$ 209,90. Ahh hihihih Fiquei com dúvida que quase nem dormi: se o seu nome é Gilson Ladeira, seu usuário de rede é gladeira? ihihi
      Beijos.
      Laura Pacheco

      Excluir
    2. Pessoal, sem "merchan" aqui. Beleza? :-)

      Excluir
  9. Seria bom adaptar um cooler para placa de vídeo... a vida útil dessas placas é bem pequena se deixar somente no cooler passivo (alumínio).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida a preocupação é válida, porém esta é uma solução temporária. Para a "versão 2.0" do RETRO Server vou utilizar uma placa mãe com vídeo integrado.

      Excluir
  10. Sim, sem merchan mesmo.... Não quero comercializar nem divulgar nada.... 50 megas téoricos - 25 a 28 mega real são bem melhores do que internet 3g que tinha de apenas 1 mega....daquela operadora que comprou a NET recentemente....

    ResponderExcluir
  11. Laura Pacheco, pq sempre escreve como anonimo??

    ResponderExcluir
  12. Não, meu usuário de rede não é gladeira......

    ResponderExcluir
  13. Michael Rigo eu nunca consegui fazer download do Debian. O que vc usa é pago? Comprou via CD ou DVD de instalação??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Debian pago? LOL
      Sempre baixo as imagens por aqui: https://www.debian.org/CD/http-ftp/. Geralmente as mesmas ficam em servidores de universidades, o que garante downloads no máximo do que a sua conexão permitir.

      Excluir
  14. Me recomendaria um bom liniux? Já usei o Fedora/KDE, Ubuntu/Gnome2, Ubuntu/Unity, Mint/Mate e Mint/Cinnnamom. Gostei do Mint mais do que os outros que eu testei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Particularmente gosto do Xubuntu: contém todos os recursos do Ubuntu porém é otimizado para o gerenciador de janelas XFCE, o qual na minha opinião é mais adequado para desktops além de ser bem mais leve do que o Unity, Gnome 3 e o KDE.

      Excluir
  15. O que achei legal no debian é que na instalação vc tem a opção de qual interface gráfica vc deseja instalar. As outras distribuições bem que poderiam ser assim também, em vez de ter uma iso para cada ambiente gráfico. Ontem eu vi- descobri pois não sabia que já tinha - ubuntu com a inteface Mate, achei bem estranho... diz ser Mate mas é identico ao ubuntu 14 quando era padrão Gnome2..... Não vi muita diferença... me corrija se eu estiver errado....rsrsr...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Mate é um fork do Gnome 2, então a semelhança é normal.

      Excluir

Postar um comentário