Como ripar e encodar a sua coleção de DVDs e Blu-Rays

Talvez por ter sido jovem nos anos 1990 e início dos 2000 tenho um carinho especial pelas mídias ópticas. Vivi o surgimento e a revolução dos CDs, a mudança de paradigma dos DVDs e a introdução do Blu-Ray, após vencer a guerra contra o HD-DVD. Porém se tem algo que as mídias ópticas realmente ficam devendo é quanto à praticidade: quando quero ver um trecho de um filme qualquer não tenho paciência de ir até o armário e procurar pelo filme em questão. Quero ter acesso instantâneo! Para tornar isto possível decidi ripar e encodar os meus DVDs e Blu-Rays, confira aqui como proceder!


Ripando a mídia com o MakeMKV

O MakeMKV é um utilitário que faz uma cópia exata bit a bit da mídia óptica para um arquivo container MKV, removendo quaisquer proteções no processo. Apesar de no seu site constar como beta, o software funciona muito bem – faz anos que o utilizo e ele nunca saiu deste estágio (até parece o finado Orkut, que quando foi descontinuado ainda devia estar em beta... :p). Clique aqui para abrir o site e baixar o MakeMKV.

DVD

Após instalar e abrir o software, quando for inserida uma mídia a mesma será identificada - caso você tenha mais de uma unidade óptica, selecione a que será utilizada no respectivo menu (para Blu-Rays é necessário uma unidade BD-ROM ou BD-RW). Aqui utilizamos um DVD e para abri-lo clique no ícone principal.


Agora o conteúdo do disco será exibido. Geralmente eu seleciono somente o que interessa, ou seja, o título principal, a trilha de áudio original (detesto dublagens) e a legenda, com isto será gerado um arquivo de menor tamanho. Mas se preferir você pode incluir mais trilhas de áudio e legendas. Após a seleção, escolha a pasta onde o arquivo MKV será salvo e clique no ícone “Make MKV” para iniciar o processo de ripagem.


Blu-Ray

No caso destes discos o início é o mesmo: clique no ícone para abrir a mídia.


Surgirá um aviso informando que a compatibilidade com Blu-Rays é shareware. Clique em Yes sem receio. Utilizo este software há vários anos e comigo ele nunca expirou...


De forma similar aos DVDs, temos a tela de seleção de conteúdo - a única diferença é que os Blu-Rays contêm muito mais extras e trilhas de áudio. Do mesmo modo, escolha o que lhe interessa, selecione a pasta de saída e clique no ícone para iniciar o processo.


O processo de cópia, que pode levar vários minutos principalmente no caso dos Blu-Rays:


Encodando com o HandBrake

Como o MakeMKV faz cópias exatas das mídias ópticas os arquivos gerados ficam com grande tamanho. Para resolver isto entra o HandBrake, o qual é um codificador e conversor de vídeo open source. Clique aqui para baixa-lo. Os procedimentos mostrados valem tanto para DVDs quanto para Blu-Rays.

Na interface principal, clique em Source e em seguida em File. Aponte para o arquivo MKV gerado pelo MakeMKV:


No item Destination aponte a pasta e o nome do arquivo a ser gerado. No menu Container escolha MKV (pessoalmente utilizo este formato, muito embora se você preferir também pode usar o MP4 sem problemas). Já na aba Picture você pode selecionar a resolução na qual o arquivo será codificado – pessoalmente mantenho a resolução original de 1920 pixels para Blu-Rays e de 720 pixels para DVDs. Os demais ajustes deixe no padrão.


Da mesma forma, na aba Filters deixe a seleção padrão:


Na aba Vídeo, deixo ajustado para utilizar o Codec H.264 e mantenho a qualidade constante no índice 20, o que não gera perda de qualidade perceptível.


Nas configurações de áudio escolha a trilha que será incluída, como Codec utilizo o AC3 Passthru que pela minha experiência dá menos problemas de compatibilidade com players e dispositivos diversos. É possível incluir mais de uma trilha de áudio, se você também gostar da versão dublada.


Na aba Subtitles escolha a legenda que será incluída. A opção Burn In insere a legenda diretamente da codificação do vídeo, o que pode ser uma boa por questões de compatibilidade – nem todos os dispositivos suportam arquivos de legenda separados ou ainda não conseguem identificar corretamente a legenda dentro do arquivo container.


A aba Chapters permite personalizar os capítulos. Como sou preguiçoso os deixo no padrão... :p


Tudo pronto, clique agora em Start para iniciar o processo. Você pode também criar uma fila de arquivos a serem processados clicando em Add To Queue. O tempo de codificação vai depender do tamanho do arquivo original (logicamente que os ripados de Blu-Rays demorarão bem mais) e da capacidade do seu PC.


O HanbBrake é muito bem otimizado para múltiplas threads, utilizando toda a capacidade da CPU - núcleos reais ou virtuais, no caso dos processadores Intel com Hyper Threading. Desta forma, não há como jogar uma partida de GTA V enquanto um arquivo é encodado. Paciência é uma virtude.

O HandBrake é muito bem otimizado, logo o uso do processador fica no "talo"

Qualidade e utilidade dos arquivos

Talvez os meus olhos já sintam os anos de abuso diante de monitores e TVs, mas entre o DVD/Blu-Ray original e o MKV final encodado pelo HandBrake não consigo encontrar diferença de qualidade perceptível visualmente, assim como o áudio. A compressão é fantástica: DVDs com 5 GB rendem arquivos em torno dos 900 MB, enquanto que Blu-Rays de 50 GB resultam em MKVs de cerca de 8 GB. Logicamente que o tamanho dos arquivos finais depende das configurações de qualidade e compressão, além do número de trilhas de áudio e extras incluídos.

Quanto à utilidade destes arquivos, você pode gravá-los em um disco rígido externo e assisti-los na sua Smart TV, utilizá-los em um HTPC ou mesmo em um servidor dedicado de mídia. A sua criatividade é o limite!

Veja também:

Comentários

Postar um comentário