Filmes geeks que eu recomendo (2)

Estimados leitores, dando prosseguimento à série de filmes geeks que eu recomendo, este post será sobre um clássico indiscutível do gênero!


The Matrix (EUA/Austrália, 1999)



O ano era 1999. Tudo mundo morria de medo do bug do milênio, onde muitas previsões diziam que haveria no mínimo um grande apagão na virada para o ano 2000. A conexão discada era o método de acesso à Internet cuja esmagadora maioria ainda utilizava. No âmbito das artes, George Lucas retomava a série Star Wars após um hiato de 16 anos com o criticado A Ameaça Fantasma.


No meio de todos estes acontecimentos, um certo filme de ficção científica chamava a atenção. Escrito e produzido pelos até então desconhecidos irmãos Wachowski, foi "comendo pelas beiradas"  até se tornar um fenômeno de bilheteria, escrevendo para sempre o seu nome no hall da fama das produções que marcaram uma época. Acabou até mesmo por eclipsar totalmente o relançamento da série Star Wars - naquele ano só se falava em Matrix, Neo, Morpheus, Trinity e companhia!

Seguindo o mesmo modelo que iniciei com o post sobre o filme 2001: Uma Odisseia No Espaço, iriei abordar aqui os principais aspectos que na minha opinião tornam este filme tão especial. Welcome to the real world, Neo!



A eterna peleja entre homens e máquinas de um modo nunca visto antes

Ok, a luta entre homens e máquinas não é algo exatamente novo. Provavelmente começou com o computador HAL 9000 no épico 2001: Uma Odisseia No Espaço e desde então diversas produções exploraram o tema com variados graus de sucesso. The Matrix também se centra nesta temática, mas de um modo jamais pensado até então: quem poderia imaginar que os seres humanos seriam usados como fonte de energia pelas máquinas? E o pior, que seriam "cultivados" para esta finalidade?


Os casulos onde os seres humanos são "cultivados" como fonte de energia


Analogia feita por Morpheus para explicar o destino de grande parte da raça humana


O conceito da Matrix: duas realidades

E se não bastasse sermos fonte de energia para as máquinas, o pau come ainda em duas realidades! Os heróis devem enfrentar as máquinas no "mundo real" e na realidade alternativa que é a Matrix, e os acontecimentos em ambas realidades são igualmente críticos para a humanidade. O "mundo real" é um futuro pós-apocalíptico sombrio onde todo o planeta está envolto em trevas, cuja atmosfera densa (resultado de uma tentativa da humanidade de derrotar as máquinas) não deixa passar a luz solar. Já a Matrix é uma realidade simulada por computador para "entreter" as pessoas presas nos casulos, que procura reproduzir o mundo do final dos anos 90 - considerado pelas máquinas o ápice da nossa sociedade. Me lembro que na época esta dualidade de realidades deu um nó na cabeça de muita gente!



A realidade simulada da Matrix

Personagens convincentes

Neo, Morpheus e Trinity são os três personagens principais. São seres humanos normais resgatados da Matrix que lutam para libertar mais pessoas nesta mesma condição. Confesso que nunca gostei do ator Keanu Reeves, mas ele fez um ótimo trabalho interpretando Neo, um geek de computador que se transforma na maior esperança da humanidade na guerra contra as máquinas. Trinity (interpretada pela bela Carrie-Anne Moss), que faz o par romântico com Neo (o momento mais "convencional" do filme), também é bastante relevante na história. Já Morpheus (Laurence Fishburne) assume o papel de mentor do grupo preparando Neo para a batalha, com grande destaque. São personagens complexos que enriquecem bastante a trama.


Neo, Trinity e Morpheus: personagens complexos


Vilão carismático

O principal antagonista do filme é o Agente Smith (brilhantemente interpretado pelo ator Hugo Weaving), que na minha modesta opinião rouba a cena! Os agentes são programas inseridos dentro da Matrix pelas máquinas para agir contra os humanos rebeldes (seria uma analogia aos programas anti-vírus?) e para tal contam com mais recursos do sistema, como força e agilidade. Visualmente, lembram bastante agentes do FBI. O Agente Smith se destaca por algumas frases antológicas como "nunca mande um humano fazer o trabalho de uma máquina!".


O famigerado Agente Smith


Regras mutáveis

A Matrix é uma simulação criada por computador e, como todo sistema de informática, pode ter as suas instruções e regras burladas ou evitadas. O fato dos irmãos Wachowski terem levado isto em consideração foi algo simplesmente genial! Dentro da Matrix, mesmo leis absolutas do mundo real (como a gravidade) podem ser burladas desde que se possua o conhecimento para tal. Esta possibilidade deixou as cenas de combate corpo-a-corpo simplesmente espetaculares e exuberantes, criando o que até hoje é chamado de "efeito Matrix" - para se ter uma ideia do pioneirismo!

Neo e o Agente Smith quebram o pau em uma realidade alterada - o famoso "efeito Matrix"

Concluindo, sem dúvida é um clássico absoluto que figurará sempre entre os melhores filmes já feitos na temática de ficção científica, devido ao seu pioneirismo e elementos inovadores. Pena que as suas duas continuações lançadas em 2003, Matrix Reloaded e Matrix Revolutions, mesmo não sendo propriamente ruins, não tenham seguido este mesmo patamar de qualidade e inovação, muito devido à eterna tendência dos grandes estúdios de explorarem ao máximo a rentabilidade das suas grandes franquias. 

The Matrix é uma produção única.

Comentários