Especial OS/2 (Parte 3 – Interface)

Na terceira parte desta série sobre o OS/2 mostrarei alguns conceitos da sua interface.


Primeiramente, vale lembrar que a preparação do disco rígido e a instalação do OS/2 já foram abordadas nas partes anteriores da série. 😉

Até certo ponto a interface de usuário do OS/2 Warp 4.5 lembra a do Windows 95, entretanto com bem mais recursos. Este seria o seu equivalente ao menu Iniciar:


Já o botão ao lado mostra os softwares em execução:


Este bloqueia a tela:


O botão que aciona a busca de arquivos e pastas:


E este desliga o sistema:


A maior área traz algumas informações do sistema, tais como o espaço livre em disco e o uso do processador:


O próximo botão permite gerenciar as barras de tarefas, tendo em vista que é possível criar novas.


Exibindo as unidades de armazenamento:


E também os arquivos. Uma coisa que notei no OS/2 é a sua redundância: ele possui várias formas de realizar as mesmas operações.


Listando as impressoras:


Enquanto que este botão traz as configurações do sistema (outra redundância):


Estes são alguns recursos avançados do sistema que mostrarei em uma futura postagem.


O último botão traz as informações e a ajuda:


Clicando com o botão direito traz um menu de contexto, que permite acessar algumas funções:


Uma delas é o System Setup, que seria o “Painel de Controle” do OS/2. As opções mostradas aqui são as mesmas do botão presente na barra de tarefas mostrado anteriormente.


Este é o ajuste da resolução da tela e da profundidade de cores:


O ícone OS/2 System traz mais configurações. Uma curiosidade é que os botões para comandar as janelas são invertidos em relação ao Windows: o da esquerda fecha a janela, o do meio minimiza e o da direita maximiza.


A sombra (shadow) é a equivalente do OS/2 aos atalhos do Windows. Para criar uma, clique com o botão direito no objeto (que pode ser uma aplicação, arquivo, pasta ou função do sistema) e selecione a opção Create shadow:


E finalmente selecione o local onde a sombra será exibida:



Até a próxima parte!

Comentários

  1. Interface bastante interessante, uma mistura de Win 3.11 com Win 95. Pena que os aplicativos Win32 não rodavam no OS/2, isso teria sido um chamariz irresistível, já que com as vantagens técnicas dele sobre o Windows o tornariam o sistema de escolha para quem quisesse estabilidade. Mas e os jogos? O suporte a hardware e recursos gráficos como OpenGL, DirectX, Glide, etc, até onde sei são inexistentes (com exceção do OpenGL?) e a regra é clara, se não tem suporte a jogos não vinga :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A versão 2.11 rodava os softwares desenvolvidos para o Windows 3.1 e nem por isso conquistou o mercado. O problema foi a falta de boa estratégia por parte da IBM! Eles conquistaram uma fatia do mercado corporativo e ignoraram o mercado doméstico, portanto o marketing falhou miseravelmente! Além disso, o suporte a hardware era bem mais restritivo do que o Windows! Há relatos de pessoas que tinham PCs montados e sequer conseguiram instalar o sistema.

      Excluir
    2. Sim, vale lembrar que o OS/2 é o NT da IBM, assim nunca foi voltado para o mercado doméstico. Mesmo a Microsoft só conseguiu fazer um Windows doméstico com kernel NT a partir do XP em 2001.

      Acredito que se a IBM tivesse continuado a desenvolver o OS/2 também haveria um maior refinamento para aplicação no ambiente doméstico, mas isso nunca saberemos.

      Excluir

Postar um comentário

Mais lidas da semana

Ryzen versus FX