Pentium versus 5x86

Lançado em 1995 já no finalzinho do reinado dos processadores 80486 e do soquete 3, o 5x86 tinha segundo a AMD desempenho equivalente aos Pentium de frequências menores. Será que é verdade?
Antes de irmos aos resultados em si, farei uma breve descrição dos competidores e das plataformas de testes. 

A plataforma de testes soquete 7 é baseada naquela mostrada no projeto Rebuild #3. A placa-mãe é uma Asus P5A com o chipset Ali Aladdin V, complementada por 128 MB de RAM, disco rígido Maxtor de 10 GB e o Windows 98 SE. 


Já a soquete 3 conta com a placa-mãe PCChips M919 com o chipset UMC 8881F, além de 32 MB de RAM e o disco rígido Seagate Medalist de 4,3 GB (veja mais detalhes aqui). 


A placa de vídeo para ambos é a já conhecida 3dfx Voodoo4 4500 PCI e o sistema operacional é o Windows 98 SE.

Intel Pentium

A publicidade da AMD na época dizia que o 5x86 de 133 MHz teria um desempenho similar ao de um Pentium de 75 MHz, exemplar mostrado abaixo já instalado na placa-mãe. Ele é baseado na microarquitetura de quinta geração da Intel, com cache L1 de 16 KB (metade para instruções e metade para dados) e litografia de 600 nm.


O Pentium 75 MHz utiliza a frequência externa de 50 MHz e multiplicador 1,5. Entretanto a menor frequência suportada pela Asus P5A é de 90 MHz, e assim o processador rodará com um leve overclock:


AMD 5x86

A sua frequência de 133 MHz é obtida a partir da frequência externa de 33 MHz e multiplicador 4. Conta com 16 KB de cache L1 unificado e litografia de 350 nm, mais atualizada do que a do Pentium. Mais detalhes sobre ele estão aqui.


Resultados

Considerando que o Pentium rodou em 90 MHz até que os resultados do 5x86 foram muito bons, exceto nos testes de ponto flutuante como os do CPU-Z e do Sandra 99:


No gráfico que compila a média dos resultados fiz uma simulação matemática de como seriam os resultados do Pentium rodando em 75 MHz, a partir da diferença da frequência em relação aos 90 MHz que é de 16%. Realmente a publicidade da AMD refletia a verdade:


Por fim, vale lembrar que os resultados de todos os processadores antigos testados pelo blog estão aqui.

Até a próxima!

Comentários

  1. Ficou muito interessante esse comparativo!
    Alguem pode até dizer que o válido seria os dois rodando à mesma velocidade, e aí o AMD ficaria para traz, mas por outro lado, a placa mãe socket 7 com seu chipset e as memórias são muito mais modernas, o que também da uma ajuda para o Pentium.
    Olhando para esse encapsulamento do Pentium, lembrei-me da época de ouro dos falsificadores de velocidade! pentium 133!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade! No presente exemplo esse Pentium 75 rodou sem problemas a 90 MHz, era um prato cheio para os falsificadores!

      Excluir
  2. Pelos resultados vemos como o Pentium foi um grande salto para a época. Um processador da geração anterior, mesmo com um clock muito maior, no máximo empatava. Se colocarmos ponto flutuante na jogada, o Pentium era super avançado, demorou anos até a AMD ter uma FPU à altura a da Intel.

    Pena que hoje em dia a tecnologia de processadores evolui a passos vagarosos comparado àquela época.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade!

      Além do processador toda a plataforma do Pentium também evoluiu, por exemplo, com o barramento local de 64 bits.

      Excluir
  3. O Pentium 1 era uma senhora peça de tecnologia pros padrões de 1993, porém, o preço alto prejudicou as vendas iniciais, as pessoas na época estavam muito satisfeitas com a linha 486 e seus clones, e abaixo da linha do Equador, o 386.

    O Pentium só foi pegar de vez em 1996 com o lançamento do Pentium MMX e o advento dos jogos 3D, pra não repetir o que aconteceu com o Pentium 1 e evitar que a plataforma anterior prejudique a próxima por questões de custo, na era Pentium II ela criou o Celeron.

    Algo semelhante acontece hoje, temos 2 linhas de baixo custo na Intel abaixo da linha Core, Pentium (Gold e Silver) e Celeron, tudo para convencer o povo a trocar de processador ao preço menor.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Mais lidas da semana