A batalha dos DX2

Os processadores 80486 DX2 foram os primeiros da história a contar com recurso de multiplicação de frequência. Trago aqui uma comparação entre alguns modelos populares da época.



Os concorrentes

Antes dos resultados propriamente ditos, mostrarei os detalhes dos processadores concorrentes. Todos os testes foram feitos com base na plataforma Retro Cobaias #2 (basicamente, placa-mãe PCChips M919, 32 MB de RAM e disco rígido Seagate Medalist de 4,3 GB) em conjunto com a placa de vídeo 3dfx Voodoo4 4500 e o sistema operacional Windows 98 SE.

Intel

A criadora do padrão x86 é representada aqui por dois chips, de 66 e 50 MHz. Ambos contam com litografia de 0,80 mícron (ou 800 nm) e 8 KB de cache L1.

O modelo de 66 MHz conta com barramento frontal de 33 MHz:


Enquanto no chip de 50 MHz o barramento frontal roda a 25 MHz:


Cyrix

Assim como o equivalente da Intel, o DX2 da Cyrix conta com o barramento frontal de 33 MHz e 8 KB de cache L1. A diferença está na menor litografia, que é de 0,65 mícron (ou 650 nm), e vale destacar também que o projeto dos chips 486 da Cyrix era feito por engenharia reversa.


Resultados

O Intel de 66 MHz ficou na liderança na maioria dos testes, seguido de perto pelo Cyrix e a lanterna isolada coube ao Intel de 50 MHz. É digno de nota o domínio do Cyrix nos testes de ponto flutuante, que mostra o know-how da empresa visto que os lendários coprocessadores aritméticos FasMath eram os melhores da era 386.



A média dos resultados ilustra bem o cenário: o Intel 66 MHz liderou com o Cyrix “fungando no cangote”, e o Intel 50 MHz ficou bem atrás. Certamente que o barramento frontal rodando em apenas 25 MHz é o maior culpado pela falta de performance.


Vale lembrar que os resultados de todos os processadores antigos testados pelo blog está aqui.

Tentativa de overclock

Nos chips de 66 MHz tentei elevar a frequência do barramento frontal para 40 MHz, o que resultaria em 80 MHz, mas nenhum deles deu vídeo. Já no Intel de 50 MHz subi o barramento para 33 MHz e ele funcionou normalmente a 66 MHz e com desempenho equivalente.

Até a próxima!

Comentários

  1. Esse negocio de engenharia reversa de chips acho incrível!!!
    Li alguma coisa sobre isso e o pessoal usa até microscópio eletrônico, entre varias outras coisas.

    ResponderExcluir
  2. Eu nem sabia que existia versão "vintage" do CPU-Z, vou correndo instalá-lo no meu PC-AT ASUS PS5-B, que espero ainda funcionar... Obrigado e excelente artigo!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Mais lidas da semana

Pentium versus 5x86

O restritivo Windows 11

Microsoft Batch 98