Montando um 486 VLB (Parte 1 – Apresentação)

Resolvi montar um PC 486 baseado em uma placa-mãe VESA Local Bus. Todos os detalhes estão aqui!


A era do processador 80486 foi a mais prolífica da história dos PCs, em praticamente todos os sentidos. Começando pela grande diversidade de fabricantes: se hoje só há Intel e AMD no mercado de chips x86, naquela época havia uma profusão de empresas que faziam os seus 486s, tais como a Cyrix/IBM, Texas Instruments, UMC, Siemens, além das já citadas Intel e AMD.

A tecnologia das placas-mãe também evoluiu tremendamente durante a era 486. As primeiras delas ainda eram baseadas no já ultrapassado barramento ISA de 16 bits oriundo dos 386 e 286, passou pela evolução do VESA Local Bus e já no finalzinho do reinado dos 486 chegaram placas com o revolucionário barramento PCI.

Neste projeto resgatei uma configuração que era muito popular no período. Vamos aos componentes!

Processador – Intel 80486 DX2 de 66 MHz

Este talvez tenha sido o melhor custo x benefício do período, principalmente entre a PC Master Race. As suas características são as seguintes:
  • Frequência do barramento externo de 33 MHz e multiplicador 2, com largura de 32 bits;
  • 8 KB de cache L1;
  • Coprocessador aritmético integrado;
  • Litografia de 1000 nm ou 1 micrômetro;
  • Tensão de alimentação de 5 V;
  • Lançado em agosto de 1992.

São 196 pinos

Placa-mãe – Soquete 3 VLB

Trata-se de uma placa soquete 3 baby-AT típica do período, cujo fabricante e modelo exato eu não consegui descobrir. Felizmente ela tem os principais ajustes dos jumpers serigrafados no próprio PCB, o que facilita enormemente a configuração. 


São sete slots ISA de 16 bits, e três deles com a extensão VLB:


A placa conta com dois slots para módulos SIMM-72 e quatro para SIMM-30. São 256 KB de cache L2, e há soquetes disponíveis para ampliar o cache.


Placa de vídeo – WD Paradise VLB

Sim, Western Digital já fabricou chips gráficos, e a série Paradise é considerada como um dos melhores chips da era ISA e VLB. A placa conta com 1 MB de VRAM e oito soquetes para a ampliação da memória.


O chip WD Paradise

Controladora I/O – UMC VLB

Até a era do VLB era necessário usar placas controladoras de I/O, uma vez que ainda não vinham integradas na placa-mãe. Esta controladora conta uma porta PATA/IDE para até dois dispositivos, uma para unidades de disquete, duas seriais e uma paralela.


RAM – 8 MB FPM

São dois módulos SIMM-72 de 4 MB cada. Notem que um deles possui tempo de acesso de 60 ns (-6) e o outro é de 70 ns (-7). Para evitar problemas de estabilidade, a placa-mãe deverá ser configurada para operar em 70 ns.


Placa de som – Creative Sound Blaster 16 ISA

Esta é a SB16 raiz, de antes da era do plug and play. Conta com interfaces para unidades de CD no padrão Panasonic/Mitsumi e Sony – apesar de também terem 40 pinos, a sinalização destas interfaces é diferente do padrão IDE.


Placa de rede – NE2000 ISA

Esta é uma placa genérica compatível com o padrão NE2000 da Novell, bastante popular na época. Conta com um conector BNC para redes com cabo coaxial e um RJ-45 para cabos de par trançado, com transferência de até 10 Mbps.


Disco rígido – Quantum Fireball de 640 MB

Conta com rotação de 5400 RPM e 128 KB de cache, com taxa de transferência máxima de 16 MB/s.


O Quantum 640AT era um dos discos mais rápidos da época

Unidade óptica – Creative Double Speed

Muito comum no surgimento dos chamados kits multimídia, que levavam o PC a um novo patamar como uma máquina de entretenimento e jogos. Esta unidade utiliza a sinalização no padrão Panasonic.


Fonte de alimentação – AT de 250 W

Será avaliada antes do uso.


Unidades de disquete - 1,44 MB 3,5" e 1,2 MB 5,25"

Um PC típico dos anos 1990 jamais seria completo sem as unidades de disquete.

Gabinete – Torre média AT

Um clássico!


Sistema operacional – MS-DOS 6.22

O velho e bom DOS de 16 bits monotarefa era onipresente nos PCs do período.


Ambiente gráfico – Windows for Workgroups 3.11

O Windows passou a ser levado a sério pela indústria a partir da versão 3.0, mesmo com a sua notória instabilidade e multitarefa cooperativa (veja aqui mais detalhes sobre a multitarefa cooperativa e preemptiva). A versão 3.11 trouxe uma interface melhorada e suporte nativo para redes locais, sendo um grande sucesso de mercado.


Por fim, gostaria de agradecer ao amigo Diego Todeschini pela doação da maior parte dos componentes deste projeto, e ao amigo Fabiano Ochmat pela doação da placa de vídeo WD Paradise. 😀

Até a próxima parte!

Comentários

  1. Parecida com essa placa mãe
    https://www.elhvb.com/webhq/models/486vlb3/m912v14.htm

    ResponderExcluir
  2. Sempre tive vontade de montar um PC Retro dessa época i386, i486, mas com os preços dessas placas e processadores estão insanos infelizmente fica impossível. Tenho uma placa soquete 3 e um AMD Am5x86 133, até conseguir brincar com ela por um tempo, mas infelizmente depois de um tempo ela morreu, sendo assim quem sabe um dia consigo montar um.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os HuehueBR estão metendo a faca até mesmo em hardware antigo. Incrível.

      Excluir
  3. Valeu Michael. Será uma satisfação ver essas peças em funcionamento novamente.

    ResponderExcluir
  4. Nossa Michael!
    Caramba!!!
    Que sorte ganhar um conjunto desses!!!
    Parabéns ao Diego e ao Fabiano!
    Hoje comprar placas como essas está realmente quase impossivel.
    Eu tenho 3 placas 486 mas são todas um pouco mais modernas, com conectores ISA e PCI.
    Minha SB 16 é plug and play e eu gostaria de ter uma dessas não P&P.
    Já minhas super I/O não sei se não funcionam ou eu não soube configurar.
    Uma coisa que quero fazer, é copiar a bios de minhas placas, principalmente as sem identificação. Comprei um gravador de eeprom e quero aproveitar isso, só não sei se com chip de bios muito antigo meu gravador vai reconhecer.
    Bios com mais de 20 anos acho sempre bom fazer um backup.
    Parabéns por mais esse projeto!!!

    ResponderExcluir
  5. Tirando a placa de video - eu usava uma Trident SVGA de 1Mb, os demais componentes (inclusive o gabinete) são exatamente iguais ao meu DX2 66 que tive por muitos anos..kkk...Além daquele famoso monitor Samsung SyncMaster

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Mais lidas da semana

Salvando uma placa 286

Avaliando o ReFS

Ficou feio