Xeontosh (Parte 4 – Usando o macOS Catalina)

Agora o Xeontosh vai finalmente rodar o macOS e as suas aplicações. Veja como foi!

Primeiramente, confira a apresentação dos componentes, a montagem do Xeontosh e a instalação do macOS, caso ainda não o tenha feito. 👍

Configurando o boot

Como vimos na terceira postagem da série, logo após a instalação do macOS o PC consegue inicializar somente pela mídia de instalação (pendrive ou DVD), sendo necessário instalar e configurar um gerenciador de boot compatível com o macOS. Para tal função recomendo o uso do Clover EFI, que pode ser obtido aqui.

Após o download instale o Clover EFI no macOS: basta dar um duplo clique no arquivo PKG e fornecer a senha do usuário quando solicitado.

Deixe selecionadas as opções abaixo:

Caso a seguinte mensagem seja exibida, clique em Instalar Mesmo Assim.

Após a instalação do Clover EFI reinicie o PC ainda com o pendrive (ou outra mídia usada na instalação do macOS) conectado. Na tela de boot selecione a opção Shell UEFI como mostrado abaixo:

Com o shell exibido, entre com os seguintes comandos:

Shell> fs0: 

Shell> cd \efi\boot

Shell> bcfg boot add 0 bootx64.efi “Clover”

Com estes comandos mudamos para a primeira partição, acessamos a pasta de boot e instalamos a opção para carregar o Clover. Caso a pasta de boot não exista, tente mudar a partição (fs1, fs2...). Agora vamos verificar se a opção do Clover foi adicionada:

Shell> bcfg boot dump

Se a opção estiver presente, basta remover o pendrive e reiniciar o PC com o comando abaixo:

Shell> reset

O PC deverá iniciar pelo dispositivo de armazenamento (SSD ou disco rígido) e exibir esta tela:

Agora é hora de desfrutar da maçã proibida! 🍎

Configuração do hardware

O macOS Catalina identificou o Xeontosh como um iMac Late 2012 e o Xeon E3 1230 V2 como um Core i7. Maravilha!

A configuração da RAM foi corretamente detectada:

Assim como a Radeon RX 570. A vantagem de usar uma GPU AMD é que elas funcionam no macOS out of the box, tendo em vista que a AMD é a única que fornece GPUs dedicadas à Apple.

Da mesma forma ocorreu com o chipset H61, o que mostra o benefício de usar uma plataforma Intel nos hackintoshes.

Usando o macOS

O Catalina traz um tema escuro muito bonito:


Um hackintosh é uma forma muito mais barata de testar o funcionamento do Safari com as páginas e sistemas, tendo em vista que a Apple descontinuou a versão para Windows do navegador.

Com um ID Apple é possível instalar quaisquer softwares da App Store:

Foi possível até mesmo atualizar o sistema operacional na boa:



Jogos

Com algumas limitações também é possível jogar no macOS. Instalando o cliente do Steam:

Não são muitos títulos que estão disponíveis para a maçã:

Além da plataforma, o Catalina também é incompatível com jogos cujo binários sejam de 32 bits. Isto limita ainda mais as opções – aos que tem um Mac legítimo, é muito mais negócio instalar o Windows pelo Boot Camp para jogar.

Tirando as limitações, sim, é possível se divertir com os poucos jogos compatíveis. Aqui usarei como exemplo o American Truck Simulator:

O funcionamento foi idêntico ao da versão para Windows.

Até a próxima parte! 😃

Comentários