Dicas Linux #10 – Instalando o Debian 10

O Debian é uma das mais antigas e tradicionais distribuições Linux, sendo a grande inspiração de uma infinidade de distribuições derivadas como o famosíssimo Ubuntu. Aqui mostro como instalar a 10, que é a sua última versão estável.

Obtendo e gerando uma mídia de instalação

Quando eu testo alguma versão do Debian geralmente eu baixo o ISO do primeiro DVD de instalação (não é necessário baixar mais do que isto) de algum dos espelhos oficiais daqui, como o da UFPR, o que permite uma maior velocidade de download.

Após baixar a imagem ISO a melhor forma para instalar o sistema é gerar um pendrive de boot, o que pode ser feito no Windows com a ajuda de softwares como o Rufus, como eu mostro aqui. Embora a postagem seja baseada no Ubuntu, o procedimento é o mesmo para qualquer distribuição.

A instalação

Com o pendrive pronto, inicie o PC por ele. Na primeira tela exibida selecione Graphical install.

Em seguida escolha a linguagem, localidade e layout do teclado.



Em seguida o instalador iniciará a interface de rede com DHCP. É preferível que haja uma conexão à Internet ativa no momento da instalação, mas não é algo mandatório.

Informe o nome do PC:

Se a rede local possui um domínio, entre com o nome dele. Caso contrário, deixe o campo em branco.

Entre com a senha do root. Ao contrário do Ubuntu e de muitas outras distribuições derivadas, no Debian é esta senha que é requerida para fazer procedimentos que requeiram privilégios elevados.

Agora forneça o seu nome, um nome para a conta de usuário e a sua senha:



Escolha o fuso horário:

Chegou a hora de particionar o disco. Escolha a opção Manual para um maior controle.

Aqui estou instalando em um PC que já tinha o Windows 10 e um espaço em disco livre. Se o disco não tem espaço livre, veja nesta postagem como proceder para liberar espaço para o Linux.

Voltando ao Debian, selecione o espaço livre no disco e clique em Continuar:

Selecione a opção Criar uma nova partição:

Digite o tamanho da partição. Aqui usarei uma partição única com todo o espaço livre no disco, entretanto caso você queira usar partições separadas (como para a /home) coloque um tamanho menor e posteriormente repita os procedimentos para criar as partições extras.

Uma vez que o disco já possui uma partição primária, aqui usei uma partição lógica. Se o Debian for o único sistema operacional do PC, crie uma primária.

Deixe as opções como mostrado abaixo - se o Debian for único sistema mude a opção Flag inicializável para ligado. Feito isto, selecione a opção Finalizar a configuração da partição e clique em Continuar.

Se tudo estiver correto, selecione Finalizar o particionamento e escrever as mudanças no disco e clique em continuar.

Hoje em dia manter uma partição exclusiva para swap é algo desnecessário, pois é possível criar um arquivo de swap de forma similar ao que temos no Windows (veja mais detalhes aqui).

Desta forma, escolha Não e clique em continuar.

Escolha Sim para salvar a partição no disco:

Em seguida a partição será formatada e o sistema básico instalado.


Se o PC tiver uma conexão à Internet ativa, selecione Sim para configurar os repositórios de software.

Para um melhor desempenho selecione algum espelho localizado no país em que você esteja, aqui no meu caso é o Brasil.


Se a sua conexão não usar um servidor proxy, deixe o campo em branco.

O repositório será configurado:

Aqui fica a seu critério participar ou não:

Agora vamos escolher qual gerenciador de janelas que será utilizado (aqui escolhi o MATE). Marque também a primeira e última opção, conforme mostrado abaixo:

O restante do sistema e o gerenciador de boot GRUB serão instalados:


Selecione Sim para instalar o GRUB:

Escolha o disco pelo qual o PC será inicializado, e em seguida a instalação do GRUB será finalizada.


Instalação concluída. Ufa! 😀

Agora é só reiniciar o PC e apreciar a sua instalação do Debian nova em folha!


Até a próxima!

Comentários