Rebuild #7 - When I´m 64 (Parte 1 – Apresentação)

Na sétima temporada da série Rebuild, abordarei o momento em que entrei para o time dos 64 bits e dos processadores de dois núcleos. Em termos de recursos, foi um baita upgrade!


O contexto histórico e pessoal

Introduzido inicialmente nos processadores para servidores Opteron no já longínquo ano de 2003, o conjunto de instruções x86-64 (depois renomeado para AMD64) foi uma verdadeira revolução no mercado de chips x86, comparável apenas ao lançamento do 80386 em 1985 que definiu o conjunto de instruções básico que usamos até hoje.
 
Em comparação com o conjunto de 64 bits da Intel (IA64), o AMD64 trazia vantagens óbvias como a possibilidade de executar aplicações de 32 bits (e de 16 bits) de forma nativa sem qualquer tipo de emulação ou virtualização, e consequentemente sem perda de performance: como os processadores IA64 executam aplicações de 32 bits sob uma camada de emulação, havia degradação de desempenho. Uma vez que a indústria de softwares avança muito mais lentamente do que a de hardware, na época os aplicativos de 32 bits eram a esmagadora maioria e assim a solução da AMD foi recebida de braços abertos.

Além do AMD64, os Athlon 64 também trouxeram outra primazia: o controlador de memória, que agora estava integrado diretamente no processador e não mais no chip ponte norte da placa-mãe como era padrão até então, o que reduz enormemente a latência no acesso à RAM. Inicialmente os Athlon 64 tinham um controlador de um canal (64 bits) DDR-400 no soquete 754, ampliado para dois canais (128 bits) no soquete 939.

Foi também no soquete 939 que a AMD lançou os seus primeiros processadores de dois núcleos, o que revolucionou ainda mais o mercado e os softwares passaram a ter preocupação com o paralelismo, dada a grande popularidade que estes processadores obtiveram. O Athlon 64 X2 introduziu os chips dual core às massas.

Indo para a minha trajetória pessoal, em 2007 eu estava detonando com o meu Athlon XP Barton mas o apelo dos 64 bits e dos dois núcleos era enorme, e assim “cometi” um dos melhores upgrades que já fiz. 😃 

Vamos aos componentes!

Processador – AMD Athlon 64 X2 3800+

Com frequência de 2 GHz, na revisão Toledo de 90 nm com 1 MB de cache L2, foi exatamente o mesmo processador que usei na época. Este eu fiz questão de não vender, mesmo muito anos antes de eu sequer imaginar em fazer o blog. 😃


O processador foi comprado como um OEM, ou seja, sem embalagem.


Placa-mãe – Asus A8V

É baseada no chipset Via K8T800 Pro com o barramento AGP 8X. Assim como o processador, foi exatamente a mesma placa que usei na época. Detalhes.


Placa de vídeo – Nvidia GeForce 7900 GS (XFX)

Como em 2007 eu aproveitei a GeForce 6800 que eu usava com o Barton, decidi aplicar aqui a sua sucessora, que foi a última linha de GPUs da Nvidia disponíveis para o barramento AGP. Detalhes.


RAM – 1 GB DDR-400 (2x 512 MB)

É a mesma quantidade que tive na época.


Disco rígido – Maxtor DiamondMax Plus 9 de 80 GB

É exatamente o mesmo disco de 2007, devidamente preservado. Conta com rotação de 7.200 RPM e 2 MB de cache.


Este disco também conta com a interface PATA/IDE-133 (UDMA 6), a última especificação do padrão IDE.


Cooler – Cooler Master

Um cooler básico. É o único componente novo da montagem, uma vez que eu não tenho mais o cooler que usei na época.



Fonte de alimentação – Cooler Master de 550 W

Fonte intermediária, é a mesma de 2007 quando a comprei nova.


Gabinete – ATX branco padrão

Apesar de não ser o mesmo que eu tive, é típico do período.


Sistema operacional – Windows XP x64 Edition SP2

Foi o primeiro Windows x86-64 (vale lembrar que houve também uma versão para os processadores Intel IA64), o qual finalmente me fez gostar do XP!


Até a próxima parte! 😀

Comentários

  1. Curiosamente, existiu o Opteron de socket 939, em versão single e dual-core (na verdade, Athlons 64 com outro nome haha)
    Também tenho o Athlon X2 3800+ e consegui um overclock nele numa A8V-MX para 2,4Ghz rock solid :)

    Se colocar mais memória, pode-se testar uns jogos mais pesados tipo Crysis, GTAIV (benchmark interno), etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A placa não funcionou com mais módulos de memória de jeito nenhum... eu até tentei deixar com mais RAM, mas colocar quatro módulos (testei com várias combinações de marcas) dava tela preta.

      Como nunca havia usado a A8V com mais de dois módulos, não sei dizer se ela sempre foi temperamental assim ou se devido à idade ela não está mais tão confiável.

      Excluir
    2. Não seria uma limitação de bios? Talvez uma atualização possa ajudar.

      Excluir
    3. A minha funcionou por um um ano com 4GB de memória... depois que começou a travar depois de algum tempo de uso... deve ter ficado caduca shaushausha

      Excluir

Postar um comentário