Unboxing e primeiras impressões: SSD Corsair Force MP600 de 500 GB

O Corsair MP600 é um dos primeiros e mais “acessíveis” SSDs compatíveis com o padrão PCI Express 4.0, até o momento apenas suportado pelos Ryzen de terceira geração e o chipset AMD X570. Confira todos os seus detalhes aqui!


Abrindo esta coisinha linda, que já vem de fábrica com um dissipador de calor:


Este modelo utiliza chips de memória flash NAND TLC fornecidos pela Toshiba (modelo 96L), ou seja, que gravam três bits de dados em cada célula de armazenamento, aumentando desta forma a densidade e reduzindo o valor por gigabyte, ao custo de uma menor durabilidade se comparado aos chips MLC e SLC que gravam dois e um bit em cada célula, respectivamente.

O MP600 possui a interface PCIE 4.0 x4 e o chip controlador é um Phison PS5016-E16.


Segundo a Corsair, o TBW (Total Bytes Written) desta unidade é de impressionantes 850 TB. Trata-se da quantidade de dados que podem ser gravadas no dispositivo sem que ocorra diminuição de performance, é como se fosse a garantia do fabricante. Este valor é muita coisa: se todo dia eu reinstalar o Windows 10, que ocupa cerca de 20 GB, eu levaria 43.520 dias ou quase 120 anos para atingir o TBW da unidade. Isso se até lá a humanidade ainda existir!


Os números medidos pelo CrystalDiskMark são de babar e estão em conformidade com a publicidade da Corsair. Vale lembrar que o MP600 foi instalado em uma placa-mãe X570.


Como curiosidade, compilei uma tabela com os resultados de escritas e leituras sequenciais apurados pelo CrystalDiskMark de todos os dispositivos contemporâneos já testados pelo blog. Há um abismo de diferença.

Modelo Leitura (MB/s) Escrita (MB/s)
SSD Corsair Force MP600 500 GB (PCIE 4.0 x4) 4978,4 2518,5
SSD Samsung 960 EVO 250 GB (PCIE 3.0 x4) 3244,0 1327,0
SSD Corsair Force MP300 120 GB (PCIE 3.0 x2) 1509,8 480,9
SSD AMD Radeon R3 240 GB RAID 0 (SATA-600) 775,8 992,6
SSD Kingston V300 60 GB RAID 0 (SATA-600) 676,1 166,4
SSD Corsair Force LS 120 GB RAID 0 (SATA-600) 572,7 133,0
SSD Kingston UV400 120 GB (SATA-600) 545,4 381,1
SSD WD Green 240 GB (SATA-600) 542,2 297,8
SSD Kingston UV500 480 GB (SATA-600) 537,9 522,8
SSD Kingston A400 960 GB (SATA-600) 537,3 505,2
SSD WD Blue 500 GB (SATA-600) 484,0 521,6
HD Seagate Barracuda 3 TB RAID 0 (SATA-600) 369,4 360,6
SSD Kingston V300 60 GB (SATA-600) 367,9 84,3
HD Seagate Barracuda 3 TB (SATA-600) 198,1 196,5
HD Seagate Barracuda 2 TB (SATA-600) 192,4 187,8
SSD Goldenfir 32 GB China Edition (SATA-300) 161,5 10,3
HD WD Green 1 TB (SATA-300) 98,1 95,8

De acordo com o CrystalDiskInfo, o MP600 está com plena saúde:


Na história dos dispositivos de armazenamento para o PC houveram alguns saltos evolutivos em termos de performance, elencados abaixo:

  • Discos MFM/RLL -> Discos IDE/PATA
  • Discos IDE/PATA -> Discos IDE/PATA de 7200 RPM
  • Discos IDE/PATA de 7200 RPM -> Discos SATA de 7200 RPM
  • Discos SATA de 7200 RPM -> SSDs SATA
  • SSDs SATA -> SSDs PCIE 3.0
  • SSDs PCIE 3.0 -> SSDs PCIE 4.0

Eu vivi desde a transição para os discos IDE e cada salto é bastante representativo. Talvez o mais brutal deles seja a transição dos discos SATA para os primeiros SSDs, sendo seguidos pelos modelos PCIE 3.0. 

Os modelos PCIE 4.0 como o MP600 são o estado-de-arte do momento, a última palavra em tecnologia de armazenamento para o PC. Uma vez que é difícil traduzir em palavras percepções empíricas, usarei uma única imagem para demonstrar o que senti ao usar o MP600 pela primeira vez:


E olha que eu usava antes um modelo topo de linha, o Samsung 960 EVO, mas mesmo assim a diferença é abismal. Minhas congratulações à Corsair e à AMD por nos proporcionar a chance de testemunhar mais um capítulo da história da tecnologia sendo escrito.

Comentários