Unboxing e primeiras impressões: fonte de alimentação EVGA de 650 W

Obscura no catálogo da EVGA, esta fonte de alimentação não tem um nome de modelo e nenhuma certificação como a 80 Plus. Confira aqui as suas características técnicas e se ela é uma boa opção de compra.


Esta é a embalagem:


O kit acompanha apenas um pequeno manual e os parafusos de fixação. Não há sequer um cabo de alimentação.


A fonte conta com os seguintes conectores:

  • ATX de 20/24 pinos;
  • Alimentação auxiliar do processador de 4/8 pinos;
  • Dois PCI Express de 6/8 pinos;
  • Seis SATA;
  • Três conectores de periféricos (“Molex”);
  • Um conector para unidade de disquete.

As informações da etiqueta:


O acabamento é na cor preto fosco:


Há uma ventoinha de 120 mm com controle de rotação conforme a temperatura:


O painel traseiro. Como esta fonte conta com um circuito PFC ativo, não há uma chave para a seleção da tensão de alimentação de entrada:


Como o velho Murphy nunca pode ser descartado, testo todas as fontes antes da utilização, mesmo se forem novas. Em princípio tudo certo com a EVGA:


Ao contrário das Thermaltake Smart e Smart RGB, esta EVGA possui a implementação completa no conector SATA, isto é, também com a tensão de 3,3 V:


Como esta fonte é um modelo obscuro no portfólio da EVGA, as informações sobre ela são escassas. Pesquisando pelo Part Number que consta na etiqueta (100-N1-0650) encontrei informações apenas sobre o 100-N1-0650-L1, modelo que é virtualmente idêntico a este avaliado, mas que também não fornece maiores detalhes como a eficiência uma vez que não existe uma certificação. São dois anos de garantia pela EVGA.

Bem, é realmente difícil afirmar se vale a pena comprar esta fonte, dada a falta de uma certificação e a escassez de informações. Eu diria que tudo depende do preço: se estiver consideravelmente abaixo de outros modelos mais tradicionais e certificados de 600-650 W, é uma opção que pode ser considerada.

Comentários