Unboxing e primeiras impressões: fonte de alimentação Thermaltake Smart RGB de 700 W

Na série RGB a Thermaltake levou as luzes multicoloridas, que permitem aumentar as taxas de quadros por segundo, também para as fontes de alimentação. A linha Smart é uma das mais baratas com esta tão marcante característica.


Esta é a embalagem da fonte:



A Smart RGB conta com uma ventoinha de 120 mm com rotação de 1800 RPM, logicamente que com os leds RGB que dão nome ao modelo:


Aqui vemos a etiqueta com as especificações de potência e corrente fornecidas por cada canal. O número de conectores é o seguinte:

  • Dois PCI Express de 6+2 pinos;
  • Alimentação auxiliar de 4 + 4 pinos;
  • ATX de 20 + 4 pinos;
  • Seis SATA;
  • Cinco de periféricos (também conhecidos como “molex”);
  • Um para unidade de disquete.


No painel traseiro há, além do botão liga-desliga, um botão para acionar a iluminação RGB. Como esta fonte tem um circuito PFC ativo, não há a chave seletora da tensão de entrada. A Thermaltake promete uma eficiência de 87% em plena carga - a eficiência de uma fonte de alimentação é a quantidade de energia elétrica que ela gasta para o seu próprio funcionamento.

No caso deste modelo que conta com até 87% de eficiência, isto significa que 13% do que ela “puxa” da tomada é usado para a alimentação dos seus circuitos internos. Se esta fonte consumir 100 W da tomada em um determinado momento, fornecerá 87 W aos dispositivos por ela alimentados.

Conforme a publicidade da Thermaltake há a certificação 80 Plus padrão (White), muito embora eu não tenha achado na listagem da empresa responsável pelas certificações o código exato deste modelo. Até há uma Smart RGB de 700 W certificada, porém com código SPR-700AH2NK-1 – a que estou avaliando possui o código SPR-0700NHFAWB-1. Provavelmente em uma nova atualização da lista de fontes certificadas constará o novo código.


Estes são os demais itens que acompanham a Smart RGB. Ela vem com cabo de alimentação! 😱


Assim como ocorre com o modelo Smart tradicional de 600 W, esta fonte também não possui o fio de alimentação de 3,3 V no conector SATA. Até hoje eu nunca soube de algum dispositivo que utilize este conector e que requeira tal tensão, mas sem dúvida é algo fora do padrão.


Embora seja improvável que uma fonte venha com defeito de fábrica, nunca devemos desprezar o velho Murphy. Assim sempre faço um teste preliminar com o Dr. Power II também da Thermaltake. Está tudo certo com a Smart RGB:


O único problema foi com a mensuração da tensão de 3,3 V do conector SATA, algo esperado visto que simplesmente não há esta tensão no referido conector.


Enfim, a Smart RGB de 700 W é um modelo intermediário que possui um bom número de conectores e uma potência razoável. Aos apreciadores dos artefatos RGB, ela é uma das fontes mais baratas com esta pirotecnia.

Comentários