Intel e AMD anunciam divórcio

Os processadores Kaby Lake-G de oitava geração foram um marco na história da computação, por combinarem um chip x86 Intel com uma GPU AMD Radeon. Porém as duas gigantes iniciaram o processo de divórcio e assim os processadores desta família serão descontinuados.


Nos idos de 2017 um anúncio deixou todo mundo estarrecido: que a Intel produziria um chip com uma GPU da AMD integrada no mesmo encapsulamento, utilizando uma tecnologia chamada de EMIB (Embedded Multi-Die Interconnect Bridge), a ponte entre a CPU e a GPU que permite que duas peças heterogêneas de silício se comuniquem de forma extremamente rápida.


Era a primeira vez desde 1987, quando a Intel unilateralmente rompeu um acordo de cooperação tecnológica e não licenciou o projeto do 80386 para que a AMD pudesse fabricá-lo (que acabou fazendo o seu 386 próprio por engenharia reversa, veja mais detalhes aqui), que as duas empresas trabalhavam tão próximas.

O motivo oficial para o rompimento é a baixa demanda dos chips Kaby Lake-G pelos fabricantes de notebooks, que teriam que redesenhar os sistemas de resfriamento dos aparelhos para os novos processadores. Além deste eu pessoalmente acrescento também dois motivos não oficiais:

  • A Intel está assustada com o aumento da participação de mercado da AMD com o Ryzen;
  • A empresa já tem uma tecnologia própria de GPUs saindo do forno, e assim simplesmente não vale mais a pena pagar para utilizar a tecnologia da concorrente.

Em que pese o pouco êxito mercadológico, foi um acordo que chamou mais a atenção por reunir duas ferrenhas rivais históricas. Não havia como durar por muito tempo mesmo.

Comentários

  1. Eu sempre achei essa dupla muito massa, o único "porém" é ela ter sido feita com chip Polaris e não Vega, mas não sei se o desempenho seria grandes coisas a mais, quem sabe consumiria menos, aumentando a eficiência, e teríamos um chip consumindo 90 W ao invés de 105 W? Não sei, to chutando. Quanto às GPUs Intel estou bem curioso, especialmente na questão desktop. Imagina se o bicho vem custando menos até que as RX 580, que já estão em ponta de estoque, e desempenhando parecido? Seria um alvoroço no mercado, mas sendo a Intel a Intel, preço baixo não combina, mas espero estar redondamente enganado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em termos de consumo energético as Vega são ainda mais vorazes do que as Polaris, porém com um desempenho um pouco superior.

      Quanto às GPUs dedicadas, por ser um player novo no mercado acredito que a Intel terá que ser mais agressiva nos preços (para baixo), ao menos inicialmente. Aguardemos.

      Excluir

Postar um comentário