Como atualizar o firmware de placas-mãe contemporâneas

Seja devido a bugs, melhora de performance ou suporte a novos processadores e dispositivos, atualizar o firmware das placas-mãe é cada vez mais necessário. Veja aqui algumas dicas de como proceder e, principalmente, o que não fazer.


Primeiramente, aquele aviso de sempre: seguindo estas dicas eu nunca tive problema ao realizar o procedimento, mas não tenho como me responsabilizar caso algo dê errado. Faça por sua conta e risco! No caso de PCs “de marca” há outro agravante: a atualização certamente invalida a garantia do fabricante, desta forma caso o PC ainda esteja neste período eu recomendo fortemente que você não faça o procedimento.

Aviso dado, podemos prosseguir. A principal premissa para atualizar o firmware de uma placa-mãe é saber a sua marca e modelo exato. Isto pode ser verificado na documentação da mesma ou por softwares de diagnóstico como o CPU-Z.


Com esta informação, o primeiro passo é acessar a página de suporte da placa-mãe no site do fabricante. Aqui usarei como exemplo a minha placa, que é uma Asus Prime X470-Pro. Você deve sempre baixar a última versão do firmware disponível, exceto caso seja necessário atualizar para uma versão intermediária antes, como acontecia muito com a minha antiga placa ASRock. Leia sempre as instruções do fabricante e jamais tenha pressa!


Com a imagem do firmware baixada, a descompacte (caso esteja compactada) e a copie para um pendrive formatado em FAT32 – faremos o procedimento diretamente pelo utilitário da própria placa, e nem todos eles conseguem ler partições NTFS.

Importante: eu não recomento de forma alguma realizar o processo em utilitários que rodem no Windows e/ou que baixem a imagem do firmware pela Internet. O objetivo aqui é minimizar a atuação do velho Murphy!

Com o pendrive pronto e a imagem copiada, reinicie o PC, entre no Setup e procure pelo utilitário de atualização. O nome e a interface deste utilitário variam conforme o fabricante da placa, mas os passos são os mesmos.


Importante: caso você tenha feito qualquer tipo de overclock, seja do processador e/ou da RAM, desfaça o mesmo antes de prosseguir para evitar indesejáveis instabilidades. Novamente, o objetivo aqui é minimizar a atuação do velho Murphy!

Alguns utilitários solicitam a fonte da atualização. Repito: jamais faça pela Internet!


Selecione o pendrive na lista de dispositivos de armazenamento e em seguida selecione a imagem do novo firmware:


Agora é só confirmar o procedimento e cruzar os dedos! 😱

Importante: caso a sua localização tenha muitas instabilidades na rede elétrica, recomendo o uso de um nobreak.


Espere pela mensagem de sucesso. Vale lembrar que após a atualização os parâmetros do Setup voltarão aos valores padrão de fábrica, assim você deverá reconfigurá-los.

Deu ruim! O que faço agora?

Caso seja exibida uma mensagem de erro, não desligue ou reinicie o PC. Tente refazer o procedimento. Porém caso o mesmo tenha sido interrompido, por exemplo devido a uma queda da energia elétrica, provavelmente a placa-mãe não conseguirá mais inicializar e você precisará da ajuda de terceiros (empresas especializadas na recuperação de placas-mãe e outros dispositivos) para fazê-la voltar à vida.

Como curiosidade, nas placas-mãe mais antigas o chip EEPROM que contém o firmware quase sempre era soqueteado, o que facilitava a recuperação com a ajuda de um aparelho gravador destes chips. Porém nas atuais o chip é soldado diretamente na placa, o que dificulta enormemente o processo.

Chip EEPROM soqueteado da placa-mãe Asus P5A

Por fim, espero que este tutorial lhe seja útil e que você consiga atualizar o firmware da sua placa-mãe numa boa. De qualquer modo, deixo aqui uma última e importante dica: na dúvida jamais prossiga!

Comentários

  1. É preciso lembrar a galera que BIOS não é sistema operacional, nem aplicativo. Dessa maneira, não se recomenda atualizá-lo, a menos que exista uma disfuncionalidade real, comprovadamente associada a ele. Em mais de 20 anos utilizando PCs, só realizei UMA atualização, para que fosse possível habilitar a virtualização de um Atlhon X2 em uma placa mãe M2N-E.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. É como escrevi na introdução:

      "Seja devido a bugs, melhora de performance ou suporte a novos processadores e dispositivos".

      No caso da minha placa-mãe, além do suporte a novos processadores o novo firmware também reduziu de forma perceptível o tempo de inicialização do arranjo RAID 0 que eu uso.

      Excluir
  2. Hello Michael,

    Could you please help me with 286 bios , as from your post
    "Ressuscitando um antigo 286 ", could you please dump the bios and send it to me ?

    Você poderia me ajudar com 286 bios, a partir do seu post
    "Ressuscitando um antigo 286", você poderia por favor, largar as biografias e enviá-las para mim?

    THANKS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arteq, your reply is in the original post about the 286:

      https://www.michaelrigo.com/2014/02/ressuscitando-um-antigo-286-parte-1.html?showComment=1555079042782#c3355852197005397222

      The 286 motherboard is not working anymore, no POST, just a blank screen. And please, stop flooding the comments. Thanks.

      Excluir

Postar um comentário