Rebuild #3: juntando-se à Aliança Rebelde (Parte 1 - Apresentação)

Na terceira temporada da série Rebuild mostrarei o momento que deixei o Império Galáctico (Intel) e juntei-me às fileiras da Aliança Rebelde (AMD), ao trocar o Pentium MMX 200 MHz por um K6-III 400 MHz.


Se até hoje, em meio ao sucesso do Ryzen, tem gente que não abre mão de processadores Intel no PC, imagine como era no final do século passado? No início do ano 2000 eu já tinha a certeza de que queria partir para um AMD, apesar das muitas piadas dos amigos como a clássica AMD = Ai Meu Deus. 😄

O processador que eu queria era um poderoso Athlon Slot A, porém devido ao alto custo do conjunto (principalmente da placa-mãe) tive que contentar-me com um K6-III, que se tornou, desta forma, o processador do meu terceiro PC: no início de 1998 havia sido um Pentium MMX e em 1995 foi um 80486 DX4 da Intel.

Mas vamos às especificações! Vale lembrar que uma das premissas da série Rebuild é a da liberdade criativa, de modo a utilizar componentes que eu não pude obter na época seja pela indisponibilidade ou pelo alto preço. Uma forma de matar a vontade mesmo muitos anos depois.

Processador – AMD K6-III de 400 MHz

Já que eu não pude comprar um Athlon, ao menos fiquei com o melhor dos K6. Embora a primazia de trazer a memória cache L2 integrada no die tenha sido do lendário Celeron 300A Mendocino de 1998, o K6-III (nome-código Sharptooth) lançado em 1999 trouxe o dobro do tamanho (256 KB) e um conceito inédito até então: combinado com o cache presente nas placas-mãe super 7, foi o primeiro processador x86 a ter três níveis de cache (o presente nas placas tornou-se o L3).

Este exemplar do K6-III é exatamente o mesmo processador que usei há 18 anos, que felizmente consegui guardar por quase duas décadas. Conta com 64 KB de cache L1 (metade de dados e metade de instruções), 256 KB de L2 acessado na mesma frequência do processador, FSB de 100 MHz e litografia de 0,25 mícron, além do conjunto de instruções 3DNow!, a alternativa da AMD às instruções SSE da Intel.


Placa-mãe – Asus P5A

Este foi um grande sonho de consumo na época (na verdade eu queria a P5A-B, que é no formato AT para eu não ter que trocar o gabinete que vinha desde o 486), mas que não pude concretizar pois era quase impossível achar essa placa no Paraguai (o mercado de hardware brasileiro era rudimentar no início de 2000) tamanha a procura. Assim tive que contentar-me com a Asus P5S-B, placa baseada no chipset SiS 530 que aproveitei no Rebuild #2.

A Asus P5A á baseada no chipset Ali Aladdin V e conta com um slot AGP 2X, três slots para memórias PC100, duas portas USB 1.1 e duas portas IDE UDMA2 (33 MB/s). Há suporte ao FSB de 100 MHz como em toda placa super soquete 7, e cache de 512 KB, o qual em conjunto com o K6-III torna-se o cache L3. Ao lado do Via Apollo MVP3, o Ali Aladdin V é considerado um dos melhores chipsets para o soquete 7.


O painel traseiro da Asus P5A. Há um chip ESS de áudio onboard que foi desabilitado.


Os principais ajustes dos jumpers estão serigrafados no PCB, o que facilita bastante a montagem na falta do manual:


RAM – 128 MB PC133

Como o chip ponte norte Ali M1541 somente consegue cachear até 128 MB de RAM, não há motivo para mais do que isto. Sem falar que esta quantidade de RAM era uma ostentação na época.


Placa de vídeo – 3dfx Voodoo3 3000 16 MB AGP

Outro sonho de consumo absoluto, que eu jamais pude satisfazer na época por serem caras e difíceis de achar! O Voodoo3 foi um dos chips gráficos mais cobiçados do final do século passado e como não utiliza o recurso de texturização AGP traz grande compatibilidade com a plataforma super 7. O Voodoo3 3000 apera a 166 MHz e acessa a VRAM (SDR) na mesma frequência, renderizando em até 16 bits de cor em 3D. Ao contrário das duas primeiras Voodoo, também traz capacidades 2D.

Vale lembrar que na época eu usava o vídeo onboard do chipset SiS 530 ( 😯) e somente bem depois que eu consegui comprar uma TNT2 M64 PCI.


A placa é fabricada pela STB Systems, empresa comprada pela 3dfx em 1998, cuja história contei nesta postagem.


Placa de som – Creative Sound Blaster AWE64 ISA

Outro clássico, suporta até 64 instrumentos MIDI simultâneos e 512 KB de memória.


Placa de rede – Genérica 10/100 Mbps PCI

Baseada no popular chip Realtek 8139D.


Disco rígido – Maxtor 10,1 GB

Com 5400 RPM, 2 MB de cache e interface UDMA4 (66 MB/s), era um modelo topo de linha até a chegada dos discos de 7200 RPM. Na época eu usei um Quantum Fireball de 4,3 GB herdado do Pentium MMX, uma vez que os discos de 10 GB ou mais eram muito caros.



CD-ROM – Creative 48X

O mesmo que eu usei na época, e ainda funciona!


Unidade de backup – Zip Drive 100 MB interno

Os disquetes de 1,44 MB eram inadequados para backups maiores e as unidades de CD-R/CD-RW custavam uma pequena fortuna, assim os Zip Drives eram boas alternativas. Usei exaustivamente um Zip IDE para preservar os meus trabalhos.



Fonte de alimentação – K-Mex 350 W (na etiqueta)

Embora não sejam lá grandes coisas, essas fontes genéricas mais antigas tem uma vantagem: a maior corrente e potência na linha de 5 V, a mais utilizada nos PCs antigos.


Sistemas operacionais – Windows 2000 Professional SP4 e Windows 98 SE

Exatamente a mesma combinação que eu usava na época. A robustez do Windows 2000 (na minha opinião o melhor Windows já feito) em conjunto com a compatibilidade do Windows 98 SE para jogos e afins.



Montagem e testes preliminares

Primeiramente, vamos testar a fonte para ver se está tudo OK:


O K6-III instalado:


Mesmo em processadores antigos não dispenso a pasta térmica:


Uma falha do design da Asus P5A é a posição do conector ATX, muito próximo do soquete, o que impede que coolers maiores sejam utilizados:


Com o processador, a RAM e a gloriosa Voodoo3 instalados para o primeiro teste:


Bingo!


Na próxima parte a montagem definitiva e a configuração. Até lá!

Comentários

  1. Só clássicos, realmente estas P5A foram as melhores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente eram topo de linha dentre as placas super 7.

      Excluir
  2. Cadê o emoticon da carinha chorando, meu deus!? Finalmente esse dia chegou! Finalmente!!! Chega logo segunda postagem, chega logo! Será que sou AMDzete? :D

    ResponderExcluir

Postar um comentário