Placas-mãe para mineração: monstruosidades bizarras

A moda das criptomoedas está levando a indústria do hardware a criar coisas simplesmente bizarras.



Estava eu dando uma olhada no Clube do Hardware do ídolo Gabriel Torres, quando chamou-me a atenção a análise da placa-mãe Asus B250 Mining Expert, que como o próprio nome sugere é voltada para a mineração de criptomoedas.

Trata-se de uma placa LGA 1151 básica com o chipset Intel B250, cujo grande diferencial está na quantidade de slots oferecidos: um PCI Express 3.0 x16 e nada menos do que DEZOITO slots x1, o que teoricamente permite que 19 placas de vídeo sejam utilizadas em conjunto! Para a alimentação elétrica desta monstruosidade são utilizados três conectores ATX de 24 pinos (além da mesma quantidade de conectores de periféricos, cujo uso é opcional para uma maior estabilidade), assim ao menos três fontes de alimentação de alta potência são necessárias.

Os slots da Asus B250 Mining Expert. Imagem: Clube do Hardware.

E não basta comprar uma placa-mãe como esta que todos os problemas estarão resolvidos. Há algumas adaptações que são necessárias, como o uso de extensões PCI Express e mesmo o próprio gabinete, feito artesanalmente. Não seria um absurdo imaginar que algum fabricante de gabinetes entre na onda e lance um trambolho, com preço proporcional ao tamanho.

Outra restrição é que os drivers da AMD e da Nvidia limitam o número máximo de placas instaladas em oito, sendo necessário misturar placas dos dois fabricantes para contornar esta limitação.


Para finalizar, fico me perguntando se vale a pena minerar no Brasil dado o alto custo do hardware e da energia elétrica. E também o que será feito de frankensteins como este quando a moda arrefecer.

Veja também:

Comentários

  1. Isso me lembrou da época do finado Fórum PCs e a campanha do Folding@Home. Cheguei a participar colocando um Celeon 430 que, coitado, processava uma WU (acho que era WU o nome dos pacotes) a cada 8h dependendo do tamanho de cada pacote. Comecei a reparar que os posts eram, em sua maioria, um show de ostentação onde cada um exibia suas configurações com placas e CPUs parrudas e tals, com orgulhosas marcas de tempo (quanto mais poderoso o equipamento, mais WUs eram concluídas), "farms" e o c* a quatro. Chegou um momento que me pronunciei: "Só uma perguntinha: estamos ajudando na cura do câncer ou competindo para ver quem tem a máquina mais roluda?" Não foi exatamente nesses termos, mas a ideia era essa. Lol!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu me lembro bem do Fórum PCs e do Folding, embora eu nunca tenha participado.
      Era um bom fórum com bons colunistas (Laércio Vasconcelos, B. Piropo, Iberê Campos e o próprio Paulo Couto), pena que teve um final melancólico.

      Aliás, bons sites sobre hardware no Brasil estão minguando: o Fórum PCs acabou, o Carlos Morimoto saiu do ramo e o Gabriel Torres anda bem de saco cheio (pelo que vejo no blog dele). Tempos sombrios.

      Excluir
    2. Fóruns especializados estão escassos. No Brasil acho que só tem o Fórum do GdH e o do CdH. Mas pelo menos temos alguma coisa de qualidade no YouTube, embora tenha que garimpar bastante.

      Excluir
    3. O maior problema que eu vejo no YT são muitos dos youtubers que se acham as estrelas: fazem um vídeo de 20 minutos para falar sobre algo que um único parágrafo seria suficiente.

      Mas há honrosas exceções, felizmente.

      Excluir

Postar um comentário

Mais lidas da semana

Ficou feio

Avaliando o ReFS