Por má reputação, Microsoft estuda mudar o nome do Internet Explorer

Apesar de ainda ser o navegador mais utilizado e ostentar 58% de participação no mercado (muito em função de vir "embutido" no Windows, mas isto é outra história), o Internet Explorer vem amargando uma queda vertiginosa de popularidade na última década, visto que em 2003 ele detinha nada mais, nada menos do que 95% do mercado de navegadores!

A Microsoft acredita que parte desta queda ocorre em função de que o navegador tenha adquirido uma má fama de incompatibilidade com muitos padrões da Web, insegurança a ataques e baixa performance do seu motor de renderização - oriunda principalmente do Internet Explorer 6, considerado por muitos como o navegador da "idade das trevas" da Web. Tanto que está estudando a hipótese de renomear o navegador nas próximas versões, em uma tentativa de rompimento com o passado sombrio do produto.

Convenhamos que as últimas versões do Internet Explorer, principalmente a 11, não são de todo ruins. Mas para muitos, inclusive para este que vos escreve, apenas ouvir o nome "Internet Explorer" é motivo de desconforto e de calafrios. Vendo por este prisma, talvez a estratégia da Microsoft possa ser bem-sucedida ao passar a imagem de um produto inteiramente "novo", principalmente para os utilizadores tradicionais. Mas por outro lado, a concorrência agora é muito mais qualificada e acirrada do que era a uma década atrás - o Chrome (principalmente agora que o Google está lançando uma versão de 64 bits) e o Firefox são produtos cada vez mais consolidados no gosto do grande público.

Veja também:

Softwares de 64 bits: será que agora vai?
Softwares que eu utilizo
Até que enfim: Microsoft abandonará o nome Internet Explorer

Comentários

  1. Mais do que justo, melhorar melhorou, mas eu ainda tenho forte resistência a essa "porcaria" =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E quem não tem? :-)
      Talvez a MS esteja certa em mudar de nome mesmo...

      Excluir

Postar um comentário