Battlefield 1 finalizado

Após ter concluído a campanha solo do BF1 acredito que tenho mais subsídios para escrever algo sobre o título. Antes tarde do que mais tarde ainda…. 😛


Aspectos técnicos

Sem dúvida o BF1 tem gráficos que impressionam pelo fotorrealismo, e ao menos no DirectX 11 a engine Frostbite faz uso do SLI muito bem. Em DirectX 12, porém, a história é outra: esta API gerencia de forma totalmente diferente mais de uma GPU e ainda está longe de atingir a maturidade. Ao ativar o DX12 no jogo somente uma das GPUs é utilizada. Duh.


Com os ajustes abaixo consigo rodar o jogo o mais próximo possível dos 144 FPS em 2560 X 1440, tendo em vista que o meu monitor Dell S2716DG é de 144 Hz. Aproveito para deixar uma dica: procure configurar os jogos para manterem uma taxa de quadros por segundo média mais próxima possível da taxa de atualização do monitor, seja ela de 60, 75, 90 ou “trocentos” Hz, e desabilite o V-Sync. O conforto visual será muito maior.


A campanha

Como um jogador das antigas, o que mais me importa em um jogo é o modo single player – não tenho a menor paciência de ficar online apanhando de jovens imberbes trancados no quarto, que possuem uma proficiência que eu jamais terei tempo para atingir.


O modo campanha do BF1 sem dúvida é belíssimo e de muito bom gosto, recriando batalhas épicas da Primeira Guerra Mundial (trincheiras, tanques, aviões e até cavalos…). Isto aliado aos ótimos gráficos e efeitos sonoros deixa a ação com uma boa dose de tensão e realismo. Eu curti cada hora jogada e fazia tempo que um jogo não me prendia desta forma.


Porém há um grande ponto negativo: a campanha é curta demais e os pacotes de expansão lançados focam apenas no multiplayer. Pô EA, bem que vocês podiam dar uma atenção maior aos jogadores solitários! Com certeza eu não sou o único velho chato que gosta de jogar sozinho…

Mas justiça seja feita: a EA não está sozinha nesta onda e cada vez mais produtoras de jogos focam os seus recursos e esforços no multiplayer, pois é daí que vêm o grosso do dinheiro. É provável que em um futuro não muito distante o modo single desaparecerá, e quando este dia chegar será o momento de eu pendurar o joystick definitivamente.

Comentários