Especial Ryzen: Atualização do firmware e configuração do Setup

O Ryzen 7 1700 finalmente entra em funcionamento! Aqui mostro como atualizar o firmware da placa mãe ASRock Fatal1ty X370 Gaming K4, bem como a configuração do Setup.


O Ryzen a todo vapor!

Atualização do firmware

Após a montagem inicial o sistema inicializou de primeira, o que sempre é ótimo! Ao entrar no Setup observei que a versão do firmware presente na placa é a 1.50, enquanto que na página da ASRock já está disponível a 2.40. Como estamos ainda na infância da plataforma AM4, atualizações de firmware são importantes para um melhor desempenho, compatibilidade e estabilidade do sistema, e desta forma decidi proceder com atualização.


Porém aqui há um detalhe: conforme o changelog publicado pela ASRock, somente a partir da versão 1.60 há a opção de atualizar o firmware a partir do próprio Setup. Como a minha placa veio com a 1.50, eu teria que efetuar o procedimento a partir do MS-DOS ou FreeDOS no modo real. Assim criei um pendrive de boot FreeDOS com o Rufus e copiei nele o arquivo de atualização baixado da ASRock:


Conforme as instruções, basta executar o arquivo de atualização:


Momento de fortes emoções: a placa é reiniciada para a conclusão da atualização. Foram longos e intermináveis minutos!


Procedimento concluído! Oh yeah! 😃


Configuração do Setup

Ao reiniciar após o procedimento foi possível observar que a versão foi atualizada para a 2.40.


A guia “OC Tweaker” concentra os ajustes de frequência de operação, tensões de alimentação e configuração da RAM. A opção “AM4 Advance Boot Training” presente do Setup das placas ASRock pode ajudar a obter uma maior estabilidade do barramento de memória, em troca de um pequeno aumento no tempo do POST.


A opção “CPU Load-Line Calibration” é especialmente importante para fazer overclock, no que tange à estabilidade da tensão de alimentação do processador. Segundo o que pesquisei, o nível 2 é o mais indicado neste caso.


O Cool ‘n’ Quiet surgido com os primeiros Athlon 64 soquete 754 continua presente, assim como demais modos de economia de energia dos quais não sou muito entusiasta.


O display de diagnóstico ajuda muito no caso de possíveis falhas de inicialização, principalmente em overclock. Os códigos exibidos pelo mesmo dão boas pistas sobre o motivo da placa não ter inicializado, desta forma deixo esta opção sempre ligada (ao contrário do que mostra a imagem):


A velha porta serial surgida com o primeiro IBM PC em 1981 continua presente. 😎


O menu "AMD CBS" traz opções avançadas aos que quiserem fazer um ajuste fino do sistema, nos mínimos detalhes.



Ajustes avançados da frequência de operação e tensão de alimentação do processador:


Configuração do modo de operação das portas SATA:


Aqui é possível habilitar ou desabilitar o controlador de LEDs da placa, assim como atualizar o firmware – agora não é mais preciso utilizar um pendrive de boot. As opções “Easy RAID” e “Easy Driver Installer” copiam para um pendrive os drivers utilizados pela placa, de modo a facilitar posteriormente a instalação do sistema operacional. Pessoalmente prefiro procurar e baixar os drivers manualmente, como nos velhos tempos.


O monitor de hardware. Os processadores Ryzen realmente esquentam pouco, embora o meu conte com um sistema de refrigeração líquido.


Há uma rotina de diagnóstico das ventoinhas do sistema para o controle de rotação:


Um recurso interessante desta placa é a possibilidade de salvar os ajustes do Setup em um arquivo, útil caso você exagere no overclock e tenha que fazer um Clear CMOS. Para tanto deve ser utilizado um pendrive formatado em FAT ou FAT32.



É isto aí! Na próxima parte mostrarei a configuração de arranjos RAID e a finalização da montagem. Até lá!
Anterior:

Comentários