Criando uma máquina virtual Linux para acesso aos bancos (Configuração e Instalação)

Veja aqui como criar uma máquina virtual exclusiva para acessar os bancos, feita com softwares que são totalmente livres de custos. Desta forma é possível evitar a instalação de plugins e demais softwares indesejados utilizados pelas nobres instituições financeiras no sistema principal do PC.


EDIT 23/05/2017: veja como instalar os drivers e o G-Buster na segunda parte desta série!

Grande sucesso de público e crítica, a série sobre como remover o plugin G-Buster ajudou muitos a se livrarem desde indesejado software. Confira:


Em complemento a estes tutoriais, fiz outro que mostra como criar uma máquina virtual exclusiva para acessar os bancos usando o Windows 7:


Porém no presente texto vou além, e mostro como criar uma máquina virtual exclusiva para os bancos usando softwares completamente sem custos de licenças. O VirtualBox foi mantido como solução de virtualização e para o sistema operacional optei pelo Xubuntu, que conta com todas as facilidades do Ubuntu porém com o gerenciador de janelas XFCE, bem mais leve e estável do que o pesado Unity – do qual nem a Canonical gosta, visto que o Ubuntu retornará ao Gnome no ano que vem.

Portanto faça o download do VirtualBox e do pacote Extension Pack, instalado-os em seguida na mesma sequência. Depois baixe o ISO do Xubuntu, cuja versão 17.04 de 64 bits foi utilizada para esta postagem, por ser a última disponível na data em que a mesma foi escrita.

Aos que quiserem se aprofundar na instalação do Xubuntu e do Linux de uma maneira geral, recomendo também a leitura destas postagens que fiz nos idos de 2014:


Criando a máquina virtual

Com tudo baixado e instalado, abra o VirtualBox e clique no botão novo.


Defina um nome e escolha a versão do sistema:


O tamanho da RAM depende da quantidade total disponível no equipamento: não adianta alocar muito para a máquina virtual e deixar o sistema principal com pouca memória disponível, pois haverá degradação de performance. De um modo geral 2 GB estão de bom tamanho para o Xubuntu.


Marque a opção para criar um disco rígido virtual:


Pessoalmente prefiro utilizar o formato nativo do VirtualBox:


A opção “dinamicamente alocado” perde um pouco de performance, porém economiza um bom espaço de armazenamento.


Defina aqui o tamanho do disco rígido virtual. Reserve ao menos 40 GB e clique em Criar para salvar a sua máquina virtual.


Configurando a máquina virtual

Selecione-a na lista do VirtualBox e clique em Configurações. Abra a opção Sistema e na aba Placa-Mãe deixe como o mostrado abaixo:


Faça o mesmo nas abas Processador e Aceleração:



Na opção Monitor, aba Tela, deixe conforme o exemplo:


Na opção Armazenamento, clique no pequeno ícone em forma de CD e aponte para o arquivo ISO do Xubuntu baixado anteriormente.


Na opção Rede particularmente prefiro deixar a placa de rede virtual configurada no modo NAT, onde ela usará o mesmo IP da placa física do PC hospedeiro.


As demais opção não necessitam de alteração.

Instalando o Xubuntu

Inicie agora a máquina virtual recém-criada. Se tudo foi configurado corretamente você deverá ver a tela inicial de opções do Xubuntu. Clique na opção de instalação.


Deixe estas opções desmarcadas.


Como esta VM será simplesmente para acessar bancos sem grandes compromissos, podemos deixar que o instalador crie automaticamente as partições. Deixe a primeira opção marcada e clique em Instalar agora (será exibida também uma confirmação).


Seleção de fuso horário.


E do layout do teclado:


Aqui definimos o nome do sistema, o nome do usuário e a senha:


O processo de cópia dos arquivos. Os que não estiverem disponíveis no ISO serão baixados dos repositórios oficiais.


Agora é só reiniciar (e teclar Enter para remover a mídia virtual de instalação) para curtir a sua VM com o Xubuntu!



Para a postagem não ficar deveras longa e cansativa, paramos por aqui. Semana que vem mostrarei como instalar os drivers do VirtualBox e o famigerado G-Buster. Até!

Comentários

  1. O que seria do mundo da informática hoje se não fosse a virtualização, a famosa "caixa de areia".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, como pudemos viver sem ela? :-)

      Excluir
  2. Em 2001 ou 2002, não lembro direito agora, um VMware no meu Sempron 2400+ com Windows 98. Brinquei um pouco com outra instalação do Win 98, mas como tinha pouca memória e um Sempron não era bem uma usina de força eu acabei deixando a brincadeira de lado, só fui voltar a usar virtualização durante a faculdade. Aí veio Linux, Solaris, Windows 2000... com Virtualbox, Qemu e MS Virtual Server 2005. Até que me dá saudades :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comecei a "brincar" com máquinas virtuais em 2003 no VMWare quando ainda tinha um Athlon Thunderbird, principalmente para instalar sistemas antigos como o MS-DOS e companhia. :-)

      Excluir

Postar um comentário