Bomba: Microsoft desiste oficialmente do Windows Mobile!

Por mais que o Windows 10 Mobile estivesse capengando no mercado, sempre havia uma pontinha de esperança de que o sistema deslanchasse. Porém hoje a Microsoft oficialmente declarará a sua morte. O anúncio oficial será em questão de horas.



As informações sobre os motivos ainda são muitos esparsas, porém conforme fontes internas os custos operacionais de desenvolvimento e manutenção do Windows 10 Mobile sangravam os cofres da companhia, em um nível além do aceitável pelos acionistas e o conselho de administração. Em face ao acúmulo de um prejuízo bilionário nesta divisão, o CEO Satya Nadella foi obrigado a tomar a drástica decisão, cujo anúncio deverá ser nas seguintes linhas:

“É uma declaração que eu jamais gostaria de dar, mas hoje a Microsoft informa que desistiu oficialmente do mercado de sistemas operacionais móveis. Infelizmente chegamos tarde demais neste mercado para termos alguma relevância”

De fato, o Windows móvel não tinha vida fácil: institutos renomados como o IDC previam que a sua morte seria em questão de anos. Pelo visto, a Microsoft decidiu acabar com a agonia e deu o tiro de misericórdia.

O futuro da divisão mobile

Conforme as mesmas fontes, a Microsoft não desistirá do mercado de hardware, pelo menos por enquanto. Após o anúncio da morte do Windows Mobile, é uma questão de dias para um outro: o de que a empresa entrará oficialmente para as fileiras do Android. E com um detalhe: não apenas os novos modelos dos Lumia e Surface virão com o sistema do Google, mas também os aparelhos atuais com suporte receberão uma atualização de firmware com o Android – algo que realmente choca e mostra a urgência em se livrar do agora indesejado Windows Mobile.

Porém não será aplicado um Android padrão Google: a Microsoft implementará uma forte personalização no sistema, que terá uma interface própria possivelmente com o menu Iniciar, além de aplicativos pré-instalados tais como o WordPad, Paintbrush, Paciência, Campo Minado e o gerenciador de tarefas.

O não da Apple

O mais insólito desta história é que o Android não foi a primeira opção da companhia de Redmond. Ainda segundo a fonte que por motivos óbvios não quis se identificar, Satya Nadella esteve em reunião com Tim Cook sobre um possível licenciamento do iOS (que seria renomeado para winOS nos aparelhos da MS) e recebeu um sonoro não como resposta. Segundo o sucessor do Steve Jobs, a Apple não tem interesse em mudar o seu modelo de negócios mesmo com um parceiro do porte da Microsoft. Assim as conversas foram logo encerradas, até mesmo porque a mesa do coffee break já estava servida.

Nota pessoal

Na década de 1990 a IBM feriu o orgulho próprio ao preterir o seu sistema, o OS/2, em favor do Windows. Agora é a Microsoft que está provando este sabor deveras amargo, de ter que desistir de um produto seu para adotar o do concorrente. Sem falar que um mercado mais concentrado é algo péssimo, em todos os aspectos.

Veja também:

Comentários