Rebuild #1 – O meu primeiro PC próprio (Parte 2 – Configurando o sistema)

Neste segundo episódio da primeira temporada da série Rebuild, mostrarei alguns detalhes sobre a configuração da placa de som e da placa de vídeo, além de um problema surgido durante o processo.


Um problema inesperado e esperado

O início das operações do DX4 transcorreu sem problemas. A instalação do MS-DOS 6.22 transcorreu tranquilamente, porém durante a instalação do Windows for Workgroups 3.11 o bicho pegou: em todas as tentativas o instalador fechava exibindo a mensagem abaixo:


Nestes casos as suspeitas recaem sobre os módulos de memória e o disco rígido. Optei por testar primeiramente o velho de guerra WD Caviar de 540 MB com o Scandisk, que infelizmente revelou não estar mais na mesma forma de antigamente, algo plenamente compreensível: afinal de contas, trata-se de um componente com mais de 20 anos. Um problema realmente inesperado, mas ao mesmo tempo esperado.




Decidi reformatar o disco e recomeçar do zero, o que confirmou que o bravo WD realmente não está mais 100%:


Agora foi possível instalar o DOS e o Windows sem problemas - em breve farei um especial sobre como instalar o Windows 3.X, nos mesmos moldes que fiz para o MS-DOS. Aguardem! ;-)

Configurando a placa de som

Uma vez que eu já havia configurado o CD-ROM Creative Double Speed, restava instalar a Sound Blaster 16. A primeira tela do instalador do driver da Creative permite a escolha do diretório de instalação, além do diretório do Windows e da unidade do sistema operacional. Geralmente não é necessária nenhuma alteração nos caminhos.


Agora o utilitário irá detectar a placa:


Se tudo correr bem serão identificados os ajustes efetuados nos jumpers, visto que esta placa não é Plug and Play. Para funcionar a placa precisa de um endereço de I/O para si, outro para a porta MIDI, um canal de interrupção (IRQ) e dois canais DMA, um baixo e um alto. Se você quiser saber mais detalhes sobre estes conceitos recomendo a leitura desta postagem sobre o barramento ISA, onde tais terminologias são explicadas com a riqueza de detalhes habitual.


Os arquivos do driver serão copiados:


O utilitário avisa que serão adicionadas algumas linhas no CONFIG.SYS e no AUTOEXEC.BAT. Em uma próxima postagem mostrarei como ajustar estes arquivos de configuração que são fundamentais para o funcionamento do MS-DOS. Após reiniciar o PC, a Sound Blaster deverá estar funcionando.


O utilitário DIAGNOSE.EXE permite testar se a placa está plenamente funcional:



O MIXERSET.EXE permite ajustar o nível de volume e a equalização da placa tanto no MS-DOS quanto no Windows. Particularmente prefiro a versão para DOS... :p



Configurando a placa de vídeo no Windows

Vasculhando o meu acervo achei este lindo CD original da Trident. Maravilha!


O utilitário de instalação. Interessante observar que no CD também há drivers para o Windows 95, NT, OS/2 e até Unix!


Entrando na opção Custom podemos escolher os diretórios de instalação:



Copiando os arquivos:


Criando um grupo no Windows:


Reiniciando o sistema:


O driver instala o Screen Control, um utilitário muito prático para ajustar a resolução, quantidade de cores e até a frequência do monitor:


As configurações do Windows ficaram assim:


Para finalizar, fiquem com uma imagem do DX4 rodando o Doom II. Um aperitivo do terceiro episódio da série. Aguardem!



Veja também:

Comentários

  1. Bons tempos em que se configurava tudo na unha, jumpers da placa de som, modem, SCSI... Dava para ter maior controle sobre o PC. Seu DX4 está muito lindo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário