O mito 80486 (Parte 3 – Benchmarks clássicos do Intel DX2)

Chegou a hora do mito 80486 DX2 enfrentar a bateria de benchmarks clássicos. Será que ele demonstrará um grande salto em relação aos processadores avaliados anteriormente? Confira aqui!

Resumo do sistema gerado pelo Norton System Info 6.01.
Note que o barramento VLB não foi identificado (linha “Bus Type”)


Antes de partirmos para os testes, seguem alguns links importantes para uma melhor compreensão dos resultados: a configuração completa do 80486 DX2 de 66 MHz pode ser conferida aqui, enquanto que os gráficos com os resultados obtidos por todos os processadores clássicos testados até agora por esta humilde publicação podem ser visualizados na página de compilação de resultados.

O subsistema de vídeo


E as interrupções de hardware, as famosas IRQs


Sem mais delongas, vamos aos resultados! No índice CPU do Norton System Info 6.01 o Intel 80486 DX2 de 66 MHz foi 128% melhor do que o campeão anterior, o AMD 80386 DX de 40 MHz. Logicamente que uma superioridade era esperada, mas não achei que fosse tanto. A melhor arquitetura do 486 (como a memória cache L1) fez a diferença.



No Disk Speed houve um empate técnico entre o 486 DX2 e o 386 DX. Como foi utilizado o mesmo disco em ambos (WD Caviar de 420 MB) podemos concluir que a controladora Super I/O VLB do 486 não representou ganho em relação ao modelo para o barramento ISA utilizado pelo 386.



No índice global do NSI o 486 ficou mais de 100% à frente do 386.



No Superscape 1.0, um benchmark 3D para MS-DOS, o 486 foi nada menos do que 218% superior. Aqui também podemos creditar a diferença à placa de vídeo VLB do DX2 – o desempenho de vídeo sempre foi um grande problema para o barramento ISA.





No índice CPU Speed do SpeedSYS 4.78 o 486 DX2 ficou impressionantes 310% à frente. Uma disparidade maior do que a diferença de 26 MHz na frequência de operação poderia supor, evidenciando novamente a melhor arquitetura do 486.



O Chris´s 3D é outro ancestral do 3DMark Fire Strike. Aqui o DX2 obteve uma pontuação 349% superior em relação ao 386 DX, resultado que julgo oriundo de certos fatores: arquitetura do processador, cache L1, desempenho do coprocessador aritmético (o coprocessador integrado do 486 é melhor do que o IIT 4C87DLC-40 utilizado em conjunto com o 386 DX) e mais uma vez a influência do barramento VLB no subsistema de vídeo.






Passemos agora para o PC-Config 8.20, que detectou corretamente o tipo de barramento do 486 (VESA Local Bus), ao contrário do Norton System Info.



O índice de CPU do PC-Config manteve a tendência, com o 486 DX2 ficando 227% à frente do 386 DX.



Finalizando, os números mostraram o porquê da grande fama que o 80486 DX2 de 66 MHz teve no auge da popularidade dos 486, visto que ele representava um upgrade com um salto gigantesco de performance em relação à geração anterior. Com ganhos destes dava gosto de gastar o seu suado dinheirinho para atualizar o PC - ao contrário do que ocorre hoje, onde processadores com várias gerações de intervalo mal possuem 20% de diferença de desempenho.

Anterior:

Veja também:

Comentários

  1. Sem falar que se vc colocar o barramento à 40Mhz ele vira um DX2-80 e roda facinho sem travamentos. Já o dx4-100 não aceita e o amdx5-133 roda beleza à 160Mhz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um teste bastante interessante. Anotado!

      Excluir

Postar um comentário