80386: a primeira CPU x86 de 32 bits (Parte 5 – Benchmarks clássicos)

Enquanto que na parte anterior desta saga demonstrei a instalação do coprocessador aritmético, neste mais novo capítulo da saga mostrarei alguns benchmarks clássicos lá dos anos 1980 e 1990, sendo um post mais ilustrativo. Os mais velhos com certeza poderão recordar tais softwares clássicos enquanto que os mais novos poderão conhecer os antecessores do PCMark, 3DMark e companhia. Vale a pena conferir!

A tela de informações do sistema do Norton System Info

O primeiro software clássico que selecionei foi o Norton System Info (NSI). Como curiosidade, veja abaixo a tabela de interrupções do sistema, onde a IRQ 2 é marcada como "Cascade", sendo uma característica típica da arquitetura PC - no artigo sobre o barramento ISA explico a origem deste cascateamento das IRQs.



No CPU Speed, o meu AMD 80386 DX de 40 MHz é mais lento do que um de 33 MHz, segundo o NSI.



Já no Disk Speed o veterano WD Caviar de 420 MB mostra a sua força!



No score geral o meu sistema ficou ligeiramente abaixo (em torno dos 5%) em relação a um Compaq 386 de 33 MHz. Notem que um 80386 é 25 vezes mais rápido do que um 8088 de 4,77 MHz, a CPU do primeiro PC.



Já o Superscape é um benchmark de aplicações 3D para MS-DOS. Aqui obtive o score de 13,1.



Este é o clássico SpeedSYS. Os pontos destacados referem-se, no sentido anti-horário, da informação de que a BIOS da placa mãe possui o famoso bug do milênio, o score do processador, disco rígido e da RAM.



Como opção de benchmark de jogos escolhi o clássico Doom 1, que ficou bastante "jogável" no 386 de 40 MHz com a placa de vídeo Cirrus Logic ISA de 256 KB.



Eis o score do demo2 do Doom:



O Chris´s 3D (C3D) é o único benchmark que requer um coprocessador aritmético (vide o erro "coprocessor not available"). Todos os demais não fazem uso do mesmo visto que os resultados foram rigorosamente idênticos com ou sem o coprocessador instalado. Realmente na época só fazia sentido a compra de um coprocessador para quem fizesse uso intenso de aplicações que o utilizam, visto que não era nada barato.



Com o coprocessador aritmético IIT 4C87DLC-40 instalado o C3D finalmente rodou. Eis a renderização de uma figura geométrica - alguma semelhança com os 3DMark da vida? :)



Por falha minha infelizmente não capturei a tela com os resultados do C3D, os quais foram de 6,4 FPS com um score do programa de 10,8.

O último software que selecionei é o clássico PC-Config. Aqui no sumário da configuração há uma curiosidade: na linha CPU Errors surge a palavra POPAD, a qual é uma instrução que possui um erro de projeto: ela não preserva o valor de um registrador (o EAX), o que acarreta travamentos no sistema, muito embora segundo a Intel isto seria raro de acontecer. Por ter sido descoberto apenas em 1990, praticamente todo 386 existente (de qualquer fabricante) possui este bug.



Aqui o meu bravo AMD 386 de 40 MHz ficou na frente nas diversas comparações.



Finalmente chegamos ao final de mais um capítulo da série! Conforme eu havia prometido, este será um modelo para ensaios de benchmarks de sistemas antigos. Até a próxima!

Próximo:

80386: a primeira CPU x86 de 32 bits (Parte 6 – Montagem definitiva)

Anterior:

Comentários

  1. Lembro do PC-Check! Mas acho que já era mais moderno do que esses aí... :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem lembrado! Vou ver se tenho ele aqui, numa dessas posso incluí-lo no meu rol de benchs e utilitários clássicos para DOS. :p

      Excluir

Postar um comentário